G1 Mundo

Mohamed Al-Fayed, pai do último namorado da Princesa Diana, morre aos 94 anos

today1 de setembro de 2023 8

Fundo
share close

Al-Fayed foi o dono de uma loja de departamentos do Reino Unido, a Harrods. Ele ficou famoso por uma teoria da conspiração, já desmentida, de que a família real britânica estava por trás da morte do filho dele e de Diana.

Morte da Princesa Diana completa 25 anos



Morte da Princesa Diana completa 25 anos

Por pouco, a morte de Al-Fayed não ocorreu no mesmo dia da morte do filho dele: Dodi e Diana faleceram em um acidente de carro em Paris em 31 de agosto de 1997. Os dois estavam sendo perseguidos por fotógrafos (veja mais abaixo).

Vendedor de refrigerantes

Nascido na cidade egípcia de Alexandria, Al-Fayed começou sua carreira vendendo refrigerantes e depois trabalhou como vendedor de máquinas de costura. Ele construiu a fortuna de sua família no setor imobiliário, transporte marítimo e construção, primeiro no Oriente Médio e, depois, na Europa.

Ele entrou em conflito com o governo britânico por sua recusa em conceder-lhe a cidadania do país que foi sua casa por décadas e frequentemente ameaçava se mudar para a França, que lhe concedeu a Legião de Honra, a mais alta condecoração civil do país.

Ele passou 10 anos tentando provar que o filho dele foi assassinado –na verdade, foi um acidente em um túnel em Paris em 1997; Dodi e Diana morreram enquanto tentavam escapar de fotógrafos paparazzi em motocicletas.

Sem nenhuma evidência, ele alegou que ela estava grávida de Dodi e acusou o Príncipe Philip, marido da rainha, de ordenar aos serviços de segurança britânicos que a matassem para evitar que ela se casasse com um muçulmano.

Dodi iniciou um relacionamento com a Princesa Diana depois que ela se divorciou do Príncipe Charles, herdeiro do trono britânico.

Ele e Diana foram fotografados por tabloides britânicos de férias em um iate no sul da França, em 1997.

Após viajarem para Paris, o casal foi morto quando o Mercedes em que estavam, dirigido em alta velocidade por um motorista que havia bebido uísque e tentava escapar dos paparazzi, colidiu com uma coluna de concreto no túnel Pont de l’Alma.

Al-Fayed gastou milhões em batalhas legais para garantir que houvesse uma investigação.

Quando a investigação começou em Londres uma década após o acidente, Al-Fayed acusiy a família real, o então primeiro-ministro Tony Blair, a irmã de Diana, Sarah, os embalsamadores franceses do corpo de Diana e os motoristas da ambulância de Paris de estarem ligados à morte.

Um júri concluiu que o casal morreu por causa da direção do motorista. Al-Fayed disse que aceitou o veredicto e desistiu das tentativas legais de mostrar que eles foram assassinados.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

grupo-de-18-suspeitos-que-planejava-assaltar-carro-forte-foi-morto-em-troca-de-tiros,-diz-policia-da-africa-do-sul

G1 Mundo

Grupo de 18 suspeitos que planejava assaltar carro-forte foi morto em troca de tiros, diz polícia da África do Sul

A troca de tiros durou cerca de uma hora e meia. Entre os 18 mortos, há 16 homens e 2 mulheres. Um policial ficou ferido. Polícia da África do Sul afirma que matou 18 pessoas que planejavam um roubo A polícia da África do Sul afirmou nesta sexta-feira (1º) que agentes surpreenderam um grupo que estava prestes a assaltar um carro-forte e 18 suspeitos morreram na troca de tiros. O […]

today1 de setembro de 2023 6

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%