Tocando:

Rádio 97Web

Muçulmanos envenenam pastor por causa de planos para construção de Igreja

Escrito por em 4 de maio de 2021

No dia 5 de abril, o pastor Yolonim Oduchu foi envenenado no vilarejo de Raraka, sub-condado de Oloki, distrito de Pallisa, na Uganda, por muçulmanos que queriam comprar o terreno onde o pastor iria construir a igreja.

De acordo com o seu irmão Francis Okirya, o pastor teria recusado vender um lote de cinco acres dentro do centro comercial de Raraka para muçulmanos que queriam construir uma escola e mesquita no local.

Aliasa Opeduru e vários outros muçulmanos sãos os suspeitos do assassinato do pastor, segundo Okirya eles teriam abordado várias vezes seu irmão na tentativa de comprar o terreno, mas Oduchu tinha planos para que parte da terra fosse reservada para construir uma igreja.

“Mais tarde, meu irmão recebeu uma mensagem ameaçadora de Opeduru dizendo que não negociaria com ele novamente”, disse Okirya

Yolonim Oduchu deixou oito filhos e uma esposa desamparada.

Os muçulmanos teriam encontrado um patrocinador na Turquia para financiar a construção da mesquita e não queriam uma igreja perto, porém uma semana depois o pastor começou a limpar o terreno.

Oduchu sempre comia em um pequeno hotel no centro comercial, cujo dono é muçulmano, quando ia visitar o terreno, porém no dia 5 de abirl após uma leve refeição no local ele chegou em casa se sentindo mal.

“Meu marido pegou uma motocicleta e chegou em casa reclamando de fortes dores de estômago, diarreia e começou a vomitar”, disse Mary Oduchu, esposa do pastor. “Nós o levamos às pressas para uma clínica próxima e ele sucumbiu a um envenenamento”.

O pastor era pai de oito filhos com idades entre 2 e 16 anos, sua esposa pede agora orações e doações para as despesas com as crianças.

Okirya contou ao Morning Star News que voltou ao cemitério após o enterro do pastor em 10 de abril para pegar uma pá que havia deixado lá, e encontrou sangue borrifado e papéis com escritos em árabe em cima da sepultura de Oduchu.




Opinião dos visitantes

Deixe um Comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *