G1 Santos

Mulher que evitou atropelamento de criança com autismo que ‘escapou’ de escola diz que Deus a colocou para salvá-la

today20 de fevereiro de 2023 17

Fundo
share close

Em nota, a Prefeitura de Santos esclareceu que, em nenhum momento, eximiu-se da responsabilidade da escola em relação à aluna e, conforme informado na última quinta-feira (16), um dia após o ocorrido, informou apurar, baseada em depoimentos, se a menina teria saído da unidade acompanhada da mãe de uma colega de classeinformação negada pela mulher citada.

Adeilda contou que já na rua, após ter pegado a filha, percebeu a menina que ‘escapou’ da escola se descolando das demais mães. Diante da cena disse ter perguntado a uma mulher se a garota era filha dela, mas ouviu não como resposta. Durante essa conversa a criança virou a esquina.

A dona de casa a acompanhou a menina e notou que ela seguia mãe e filha que atravessavam a rua abraçadas. “Só que vinha um carro cruzando a via. Como a criança era pequena me assustei e fui rápido para o meio da rua para o motorista me ver e não acontecer [o acidente]“.



Acreditando que a garota estava com a mulher que havia atravessado a via, Adeilda a alertou sobre o risco de atropelamento, mas novamente ouviu que a criança não era filha dela. “Perguntei: Como assim? Me abaixei para falar [com a menina], mas ela não entende. Peguei na mão dela e a levei para a escola. Quando chegamos ela resistiu, não queria entrar”.

Criança de 5 anos com autismo escapou de escola no Gonzaga, em Santos (SP), na última quarta-feira (15) — Foto: Arquivo Pessoal

A dona de casa relembrou que começou a gritar porque não tinha ninguém do portão da escola, mas ao entra na unidade logo encontrou a mãe da criança ‘emocionalmente abalada’. “Pegou a menina no colo e começou a gritar. Até chorei. Ela ficou muito desesperada”.

Adeilda contou que chovia no momento em que saiu para pegar a filha na escola. O marido teria insistido para ela pegar o carro, mas resolveu caminhar até a escola. “Algo me disse para ir a pé. Deus me colocou lá. Nunca vivi isso, mas imagino a dor [dessa mãe]”.

Para ela é essencial ter mais segurança, principalmente no portão da escola. “Tem que ter mais pessoas para verem se realmente as crianças estão saindo com os pais. Foi grande a falta de atenção da escola porque uma criança sair sozinha é muito grave, principalmente especial. Eu nem quero imaginar se fosse com a minha filha”.

A mãe da garota que ‘escapou’ da escola, a autônoma Yasmin de Campos Fonseca, de 25 anos, disse que reviver o ocorrido é um misto de gratidão, mas também de injustiça, impotência e desespero. “Minha filha nasceu de novo e eu nasci de novo porque ela foi o anjo da vida da minha filha, um anjo que Deus mandou para proteger minha filha”.

Yasmin disse não ter palavras para descrever o gesto que Aldeida teve com a filha dela. “Não tem nada que eu faça como forma de agradecimento, não tem nada que pague, que eu fale dessa atitude que ela teve”.

Ela ainda enfatizou que Aldeida poderia ter ido de carro, mas que algo fez com que ela fosse a pé para ajudar a sua filha. “Se ela tivesse ido [de carro] não sei, de verdade, o que teria acontecido, nem se minha filha estaria aqui hoje comigo“.

Criança de 5 anos com autismo escapou de escola no Gonzaga, em Santos (SP), na última quarta-feira (15) — Foto: Arquivo Pessoal e Vanessa Rodrigues/A Tribuna Jornal

A administração municipal ratificou que lamenta profundamente a saída da menina da escola sem a presença dos responsáveis legais e que todas as providências cabíveis já foram tomadas, além de uma sindicância que irá investigar a fundo o caso.

A Secretaria de Educação informou que todas as 86 escolas municipais atendem plenamente a recomendação do MEC em relação às diretrizes de educação inclusiva. Na escola citada, além dos professores, há 18 profissionais de apoio escolar inclusivo (PAEIs), sendo nove para cada período.

A autônoma Yasmin de Campos Fonseca, de 25 anos, passou por momentos de desespero ao buscar a filha na escola e descobrir que ela havia escapado da unidade. Ela afirmou ao g1 que a garota deixou o prédio sem que ninguém percebesse e, por sorte, foi encontrada por outra mãe de aluno – estava atravessando a rua e quase foi atropelada.

Yasmin contou que, ao chegar na escola, cumprimentou a professora e perguntou como a filha tinha se comportado em sala de aula. A docente respondeu que a menina tinha se saído bem e que iria chamá-la para ir embora.

“Na hora que ela virou para chamar, ela [filha] não estava dentro da sala de aula. Falou que olharia no banheiro e já fui procurando na outra sala”. Yasmin disse ter entrado em desespero quando a professora contou que a menina também não estava no banheiro.

VÍDEOS: Mais assistidos do g1 nos últimos 7 dias




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Santos.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

guaruja-cancela-programacao-de-carnaval em-decorrencia-das-fortes-chuvas

Prefeitura de Guarujá

Guarujá cancela programação de Carnaval em decorrência das fortes chuvas

Devido os impactos das fortes chuvas que atingiram a região nas últimas 24 horas, com um volume de aproximadamente 400 milímetros, o maior da série histórica em 70 anos, a Prefeitura de Guarujá alterou a programação do feriado prolongado de Carnaval. A Secretaria Municipal de Cultura (Secult) cancelou todos os eventos relacionados à Folia de Momo, incluindo Desfile Show, Música na Praça, desfiles de rua dos blocos e bandas. A […]

today19 de fevereiro de 2023 13

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%