G1 Mundo

Na Argentina, Lula diz que BNDES voltará a financiar projetos em países vizinhos

today24 de janeiro de 2023 13

Fundo
share close

Lula deu a declaração durante pronunciamento em Buenos Aires, na Argentina, ao lado do presidente argentino, Alberto Fernández. Os dois participaram de um encontro com empresários dos dois países.

“O BNDES vai voltar a financiar as relações comerciais do Brasil e vai voltar a financiar projetos de engenharia para ajudar empresas brasileiras no exterior e para ajudar que os países vizinhos possam crescer e até vender o resultado desse enriquecimento para um país como o Brasil. O Brasil não pode ficar distante. O Brasil não pode se apequenar”, disse Lula.

O petista afirmou que a ideia é que o Brasil seja um “protagonista” internacional no financiamento de grandes projetos.



Lula também criticou a postura do BNDES durante a gestão do ex-presidente Jair Bolsonaro.

“Faz exatamente quatro anos em que o BDNES não empresta dinheiro para desenvolvimento porque todo dinheiro do BNDES é voltado para o Tesouro que quer receber o empréstimo que foi feito. Então, o Brasil também parou de crescer, o Brasil parou de se desenvolver e o Brasil parou de compartilhar a possibilidade de crescimento com outros países”, declarou o petista.

No mesmo evento, Lula destacou a importância da relação bilateral Brasil-Argentina. O país vizinho é o maior parceiro comercial do Brasil na América Latina e o terceiro, no mundo.

“A Argentina é, em toda a América Latina, o principal parceiro comercial do Brasil. A Argentina e Brasil tinham um comércio maior do que Brasil e Itália, maior do que Brasil e Inglaterra, maior do que Brasil e França, maior do que Brasil e Rússia, maior do que Brasil e Índia”, disse.

“Argentina é o terceiro parceiro comercial do Brasil, só perde para a China e para os Estados Unidos, isso tem que ser valorizado, isso só pode ser valorizado, não por conta dos presidentes, mas por conta dos empresários, são vocês que sabem fazer negócio, são vocês que sabem negociar”, completou.

Lula se encontrou com Alberto Fernández nesta segunda (23) — Foto: Agustin Marcarian/Reuters

Ele acrescentou que vai criar condições para “ajudar” nas obras. O BNDES atuaria como financiador do empreendimento.

“Eu tenho certeza que os empresários brasileiros têm interesse no gasoduto. Eu tenho interesse. […] E se há interesse dos empresários, se há interesse do governo, e nós temos um banco de desenvolvimento para isso, eu quero dizer que nós vamos criar as condições para fazer o financiamento que a gente puder fazer para ajudar o gasoduto argentino”, declarou.

Sem citar Jair Bolsonaro (PL), Lula voltou a dizer que o Brasil não tem mais um desafeto de Fernández na Presidência da República.

“Por isso meu caro Alberto você saiba que você não vai ter mais um presidente da República xingando o presidente da Argentina, você não vai ter mais um presidente da República ofendendo o povo argentino. Você vai ter daqui para frente um presidente da República que é amigo da Argentina, amigo do companheiro Alberto Fernández e que vai fazer todo esforço possível para que as duas economias voltem a crescer”, concluiu o petista.

VÍDEOS: mais assistidos do g1




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

polonia-diz-que-vai-entregar-tanques-alemaes-a-ucrania-independentemente-da-posicao-de-berlim

G1 Mundo

Polônia diz que vai entregar tanques alemães à Ucrânia independentemente da posição de Berlim

O primeiro-ministro polonês, Mateusz Morawiecki, disse nesta segunda-feira (23) que seu governo pedirá permissão à Alemanha para enviar tanques alemães Leopard à Ucrânia, mas que planeja enviá-los independentemente da resposta de Berlim. "Vamos pedir tal acordo, mas isso é uma questão secundária", disse Morawiecki a repórteres. "Mesmo que não consigamos o acordo, daremos nossos tanques à Ucrânia como parte de uma pequena coalizão, mesmo que a Alemanha não faça parte dela", […]

today24 de janeiro de 2023 16

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%