G1 Mundo

Na Jordânia, secretário de Estado dos EUA se reúne com autoridades árabes para discutir ajuda humanitária à Gaza

today4 de novembro de 2023 6

share close

Na pauta do encontro em Amã estava a necessidade de aumentar a ajuda humanitária a civis em Gaza e os esforços americanos para evitar que o conflito se amplie com a entrada de outros países ou organizações, como o grupo xiita Hezbollah, baseado no Líbano e foco principal da preocupação americana.

Ao fim da reunião, o secretário de Estado americano afirmou que eles também discutiram a retomada das conversas sobre a criação de um estado palestino e que teriam concordado que o Hamas não pode permanecer no comando da Faixa de Gaza.

Segundo a Associated Press, autoridades egípcias afirmam que há consenso entre os governos árabes envolvidos nas discussões com os Estados Unidos para resistir a “quaisquer conversas” sobre um período pós-guerra em Gaza antes do estabelecimento de um cessar-fogo.



O ministro do Exterior da Arábia Saudita disse, segundo a agência, que as autoridades árabes discutiram “o chamado árabe pelo fim das operações militares” e “a entrega imediata de ajuda humanitária” para a Faixa de Gaza, além do “retorno da estabilidade e a restauração do caminho para a paz”.

A reunião aconteceu um dia depois de Blinken, principal diplomata do governo Joe Biden, pedir que Israel interrompa temporariamente a ofensiva militar na Faixa de Gaza para permitir a entrada de ajuda humanitária.

“Não haverá parceiros para a paz se eles forem consumidos por uma catástrofe humanitária e alienados por qualquer aparente indiferença à sua difícil situação”, afirmou o americano nesta sexta-feira (3), segundo a Associated Press.

O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, rejeitou rapidamente qualquer possibilidade de cessar-fogo enquanto reféns mantidos pelo Hamas não forem libertados.

Na reunião com o americano neste sábado, autoridades do Egito, em coordenação com o Catar, afirmaram que propuseram pausas humanitárias nos combates de seis a 12 horas por dia para permitir a entrega de ajuda humanitária, além de evacuações de feridos para o Egito e entrada de combustível.

Neste domingo (5), Blinken deve viajar para a Turquia para se reunir com o presidente Recep Tayyep Erdogan. No sábado, a Turquia seguiu o movimento da Jordânia e anunciou a retirada de seu embaixador em Israel por causa do agravamento da situação em Gaza.

Com informações das agências internacionais Associated Press e Reuters.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

hezbollah-ataca-norte-de-israel-em-19-locais-ao-mesmo-tempo

G1 Mundo

Hezbollah ataca norte de Israel em 19 locais ao mesmo tempo

Israel respondeu com bombardeios. A agência de notícias nacional do Líbano afirmou que regiões no sul do país foram atingidas. Incêndios em cidade no norte de Israel O grupo Hezbollah, do Líbano, afirmou que fez um ataque a 19 locais no norte de Israel nesta quinta-feira (2), segundo a agência Reuters. Há instalações militares israelenses entre os alvos, de acordo com informações de dirigentes do Hezbollah à agência de notícias […]

today4 de novembro de 2023 10

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%