G1 Mundo

Netanyahu diz que país está se preparando para uma invasão por terra

today25 de outubro de 2023 5

Fundo
share close

“Estamos atuando para obter as melhores condições para começar a guerra. Quando entrarmos em Gaza, quando começar a guerra, não haverá nada que nos detenha para chegarmos ao objetivo. Nós temos apenas uma coisa para o Hamas, que é o fogo”, diz.

Netanyahu incentivou, ainda, os cidadãos israelenses a andarem armados e pediu aos civis palestinos para saírem do território.

“Nós pedimos que a população que não está envolvida em Gaza que saia, deixe o campo para nós.”



O primeiro-ministro afirmou que a decisão sobre quando as forças entrariam no enclave palestino bloqueado seria tomada pelo gabinete especial de guerra do governo. Netanyahu não deu mais informações e detalhes sobre a operação.

As Forças Armadas israelenses já tinham afirmado que preparavam um ataque por terra à Faixa de Gaza, mas sem informar uma data. Segundo o comunicado divulgado no dia 14 de outubro, o ataque faria parte de uma “extensa operação” que inclui incursões também por ar e pelo mar.

Até agora, as forças israelenses vêm atacando Gaza por meio de bombardeios – uma opção que o primeiro-ministro do país, Benjamin Netanyahu, costuma preferir, para evitar o custo humano e político.

Na semana passada, o ministro da Defesa do país detalhou pela primeira vez o plano de Israel para a Faixa de Gaza. Disse que a ocupação não será definitiva e que ocorrerá em três etapas.

  • A primeira delas, já parcialmente em curso, é de ataques aéreos e a ofensiva por terra.
  • Em um segundo momento, militares focarão em combater “bolsões de resistência” dentro da Faixa de Gaza.
  • Na terceira fase, segundo o ministro, as tropas se retirarão e Israel criará “um novo regime de segurança” que trará “uma nova realidade para a segurança dos cidadãos de Israel”.

Após a conclusão da etapa final, Israel “cessaria sua responsabilidade pela Faixa de Gaza para sempre”, disse o ministro. Ele não especificou como funcionará o novo regime de segurança planejado por seu país. Mas disse que o principal objetivo é “destruir o Hamas”.

Oficialmente, Tel Aviv diz estar atrás de integrantes do Hamas – o grupo, além de ter cometido uma série de atentados terroristas a Israel no sábado (7), dando início à guerra recente com Israel, também governa a Faixa de Gaza.

O Hamas tem um braço político que ganhou as últimas eleições na região. A Faixa de Gaza faz parte do território, junto com a Cisjordânia, reivindicado pelos palestinos para a criação de um Estado próprio.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

Notícias

Patricia Bullrich, terceira colocada na eleição da Argentina, declara apoio a Javier Milei

Bullrich foi a terceira colocada nas eleições, realizadas no domingo (22), e seu apoio era considerado um dos pontos cruciais para o segundo turno por conta da migração de votos - ela angariou cerca de 24% dos votos. Candidata da direita, Bullrich criticou Milei ao longo da campanha e chegou a chamar suas ideias de "perigosas e ruins". Em entrevista nesta quarta, no entanto, ela afirmou que quer impedir o "perigo do kirchnerismo", em referência a Sergio Massa, aliado dos […]

today25 de outubro de 2023 10

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%