G1 Mundo

‘O governo não entende que morremos antes dos outros’: greve dos garis de Paris completa 10 dias

today14 de março de 2023 18

Fundo
share close

“O governo não entende que morremos antes dos outros” é o título de uma matéria do jornal “Libération”, que ouviu agentes de limpeza de Paris em greve. Ao diário, eles contaram as dificuldades que enfrentam no dia a dia. “Mas a população só quer saber se o lixo foi recolhido”, diz o gari David. 

A reportagem do jornal foi até uma estação de incineração de lixo em Ivry-sur-Seine, periferia da capital francesa, bloqueada por empregados há mais de uma semana. Os agentes de limpeza acamparam no local e prometem continuar em greve até que o governo os ouça.

“Faz tempo que Macron não escuta as ruas, mas se nos deixamos ser derrotados, não vamos conseguir nada”, diz o lixeiro Karim, 39 anos, ao Libération. “É fácil ir fazer festa na África, como o presidente fez na semana passada, mas vir conversar com os sindicalistas, é muito mais difícil”, reitera. 



Segundo o projeto de reforma da Previdência, que foi aprovado pelo Senado no domingo (12) e volta para a Assembleia de deputados nesta quinta-feira (16) para o voto final, a idade mínima para aposentadoria dos lixeiros passará de 57 para 59 anos. Para categoria, a ideia é inaceitável. 

Daouda, 49 anos, explica ao Libé que os lixeiros têm uma expectativa de vida menor do que o resto da população devido à inalação do cheiro dos dejetos. Já o aposentado Pascal, de 64 anos, conta que trabalhou 36 anos recolhendo lixo das ruas. Ele participa da mobilização em apoio aos colegas e afirma que, devido às mais de três décadas na profissão, desenvolveu hipertensão e problemas na tireoide. “As pessoas não fazem ideia do que é ser lixeiro”, enfatiza.

Guerra política: governo x prefeitura

Pilhas de lixo não coletado em Paris, em 13 de março de 2023 — Foto: Benoit Tessier/Reuters

O jornal “Les Echos” trata da guerra política que a greve dos lixeiros detonou entre a prefeita de Paris, a socialista Anne Hidalgo, e o governo nacional, de centro-direita. Em entrevista à rádio Franceinfo, o ministro das Contas Públicas, Gabriel Attal – que não esconde sua intenção de se candidatar à prefeitura da capital francesa nas próximas eleições -, não poupa Anne Hidalgo de críticas. Segundo ele, a socialista encoraja os garis a continuarem paralisados. 

Outros membros do governo Macron também miram na prefeita de Paris, destaca Les Echos. É o caso da ministra das Pequenas e Médias Empresas, Olivia Grégoire, que denuncia “uma oposição ideológica que castiga os parisienses”. Já o ministro dos Transportes, Clément Beaune, aponta inação da parte da socialista que, segundo ele, não previu nenhuma medida de urgência para resolver o problema.

Enquanto quase seis toneladas de lixo se acumulam a céu aberto em Paris, agentes de limpeza de outras cidades francesas – como Nantes, Antibes e Montpellier – também aderem ao movimento para pressionar o governo a recuar nos planos de impor a reforma da Previdência, destaca o jornal Le Figaro. 

Vários membros do governo pedem que Hidalgo recorra às chamadas “requisições”, medida polêmica que obrigaria alguns empregados a voltarem ao trabalho, impondo um serviço mínimo de coleta de lixo. No entanto, como explica Le Figaro, mesmo que o pedido seja feito pela prefeita de Paris, ele precisa ser aprovado pela Secretaria de Segurança Pública. Além de complicada, a iniciativa é vista como autoritária por boa parte dos juízes administrativos, que podem se recusar a furar o direito de greve, conclui o jornal. 




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

governo-brasileiro-prorroga-visto-humanitario-para-ucranianos

G1 Mundo

Governo brasileiro prorroga visto humanitário para ucranianos

Portaria publicada nesta terça-feira (14) determina a ampliação do prazo para pedir o visto, para 31 de dezembro de 2024. Pessoas apátridas afetadas pela guerra na Ucrânia também podem solicitar a documentação. Grupo de refugiados ucranianos chega ao Brasil, em março de 2022. — Foto: Reprodução/Globo O governo brasileiro prorrogou nesta terça-feira (14) o prazo até 31 de dezembro de 2024 para a concessão de visto humanitário temporário a ucranianos […]

today14 de março de 2023 10

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%