G1 Mundo

O que se sabe sobre incêndios que mataram mais de 50 no Chile

today4 de fevereiro de 2024 5

Fundo
share close

“Dadas as condições da tragédia, o número de vítimas certamente aumentará nas próximas horas”, disse o presidente Gabriel Boric.

Boric, que viajou para a região de Valparaíso, decretou “estado de emergência por catástrofe para ter todos os recursos necessários” para combater os incêndios.

Os serviços de emergência ainda não conseguiram fazer um levantamento completo das vítimas ou uma contagem precisa das casas e infraestruturas danificadas, mas em algumas áreas, como Viña del Mar, o número de desaparecidos já subiu para 370.



A ministra do Interior, Carolina Tohá, disse que “depois do terremoto de 2010, os incêndios florestais em Valparaíso serão a situação de emergência que mais deixou vítimas no Chile nos últimos tempos”.

O presidente chileno prometeu ainda que será investigada eventual causa intencional dos incêndios “até às últimas consequências” e disse que o Exército e os policiais reforçaram a vigilância nas zonas onde há focos ativos de incêndio.

As áreas mais afetadas são as de Valparaíso, O’Higgins e Araucanía, na região central do Chile.

Com caminhões e helicópteros, bombeiros lutam para conter as chamas em diversas áreas de Valparaíso, onde vivem quase um milhão de habitantes.

Vídeo divulgado nas redes sociais pelos Bombeiros do Chile mostram a tentativa de combater o fogo em Valparaíso:

Os esforços dos serviços de emergência não conseguiram controlar a situação até a manhã domingo (4/2).

Boric destacou que “o fogo avança muito rapidamente” e as condições meteorológicas dos últimos dias tornaram o combate aos incêndios muito mais complicado. Nas zonas afetadas, foram registradas temperaturas elevadas e ventos fortes, que se somam a uma baixa umidade.

Bombeiros têm trabalhado para acabar com os incêndios no Chile — Foto: GETTY IMAGES via BBC

Até a metade do dia de sábado (3/2), existiam 92 focos de incêndios ativos em todo o país, dos quais 29 em combate e 40 controlados.

Entre a noite de sexta e a manhã de sábado, o número de hectares queimados passou de 30 mil para 43 mil.

Vista aérea de efeitos dos incêndios nas colinas de Viña del Mar, Chile — Foto: GETTY IMAGES via BBC

‘Temos que deixar casas queimarem’

“Neste momento, temos um caos”, disse Patricio Brito, comandante dos bombeiros da cidade de Viña del Mar, segundo declarações citadas pelo jornal El País.

Todo o centro da cidade de mais de 325 mil habitantes pegou fogo.

“Não há nada que possamos fazer em relação às casas. Temos que deixá-las queimar, não temos outra opção a não ser deixar o fogo apagar”, disse um porta-voz local dos serviços de emergência.

A prefeita de Viña del Mar, Macarena Ripamonti, disse que 370 pessoas estão desaparecidas.

Um grande número de casas foi queimado em Viña del Mar — Foto: Reuters via BBC

O governo chileno decretou toque de recolher no sábado nas comunas de Limache, Quilpué, Villa Alemana e Viña del Mar, com o objetivo de manter as estradas desobstruídas e facilitar a circulação das equipes de emergência.

Segundo o Ministério do Interior, os incêndios que mais preocupam pelo seu rápido avanço e intensidade são os que afetam o Complexo Las Tablas, em Viña del Mar, que consumiu 6.800 hectares.

O fenômeno dos incêndios não é novo no Chile.

Impulsionadas por uma onda de calor recorde, em 2023 as chamas deixaram 27 mortos e afetaram mais de 400 mil hectares.

“A área com incêndios hoje é muito menor do que no ano passado”, disse Tohá.

Ela alertou, no entanto, que a maior preocupação desta vez é que alguns dos incêndios ativos estavam se desenvolvendo muito perto de zonas urbanas, “com o risco potencial muito elevado de afetar pessoas, casas e instalações”.

Incêndios florestais destroem casas na região de Valparaíso, no Chile

Incêndios florestais destroem casas na região de Valparaíso, no Chile




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

morre-ex-jogador-sueco-kurt-hamrin,-ultimo-sobrevivente-da-final-da-copa-de-1958

G1 Mundo

Morre ex-jogador sueco Kurt Hamrin, último sobrevivente da final da Copa de 1958

O ex-jogador da seleção da Suécia Kurt Hamrin, último sobrevivente da final da Copa do Mundo de 1958, morreu aos 89 anos na Itália. A morte foi confirmada neste domingo (4) pelo Fiorentina, um dos clubes que defendeu. "O presidente [Rocco] Commisso e sua família, a diretoria do clube e toda a Fiorentina se unem à dor da família e do mundo do futebol pelo falecimento de Kurt Hamrin, lenda […]

today4 de fevereiro de 2024 5

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%