Tocando:

Rádio 97Web

Pastor é condenado a 2 anos de prisão por dizer que oração pode curar a Covid-19

Escrito por em 6 de dezembro de 2021

O Pastor Keshab Raj Acharya foi condenado pelo Tribunal Distrital de Dolpa a dois anos de prisão e uma multa sob a lei anti-conversão do Nepal por dizer em suas redes sociais que orações podem curar o covid-19

Preso pela primeira vez em 23 de março de 2020, Acharya foi acusado de espalhar informações falsas sobre o covid-19, e embora tenha sido solto cerca de quinze dias depois, ele foi preso novamente momentos depois sob a acusação de “ultrajante sentimentos religiosos” e “proselitismo”.

De acordo com The Christian Post, no vídeo em questão que circulou na internet, o pastor Acharya aparece fazendo uma oração sobre o corona vírus em frente a sua congregação.

“Ei, Corona, vá e morra. Que todos os seus atos sejam destruídos pelo poder do Senhor Jesus. Eu o repreendo, Corona, em nome do Senhor Jesus Cristo. Pelo poder ou pelo governante desta Criação, eu o repreendo. Pelo poder em nome do Senhor Jesus Cristo, corra, vá embora e morra”, disse Acharya.

Ao mesmo tempo que proíbe o evangelismo por afirmar que ninguém pode fazer uma tentativa de converter pessoas de outras religiões para suas próprias, a Constituição do país estabelece o Nepal como um país secular.

“Por mais de um ano, as autoridades do Distrito de Dolpa parecem empenhadas em condenar o pastor Acharya de algo e o punir por simplesmente ser um pastor cristão. Desde que a nova constituição foi aprovada em 2015, os cristãos nepaleses estão preocupados que o artigo 26º e suas leis de promulgação sejam usadas para atingir sua comunidade”, disse William Stark, gerente regional do ICC para o sul da Ásia.

Govinda Bandi, a conselheira sênior que defendia o pastor, disse na época que suas prisões repetidas eram um sinal muito preocupante da trajetória da liberdade religiosa no país, afirmando ainda que esta é uma perseguição direcionada e uma farsa do sistema de justiça.




Opinião dos visitantes

Deixe um Comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.