G1 Mundo

Polícia de Londres vai colocar 29 mil agentes na rua para coroação e diz que tolerância a protestos será baixa

today4 de maio de 2023 2

Fundo
share close

No sábado (6), além dos monarcas britânicos e do público, haverá cerca de 2 mil convidados para o evento, incluindo monarcas de outros países e líderes de nações.

O governo do Reino Unido já afirmou que os serviços de segurança estão prontos para agir.

Houve um incidente na terça-feira: um homem jogou cartuchos de espingarda através do portão do palácio de Buckingham.



Homem é preso por jogar munição do lado de fora do palácio de Buckingham — Foto: Henry Nicholls/Reuters

A polícia informou que a tolerância para qualquer distúrbio ou manifestação será baixa, e que essa é uma das maiores e mais importantes operações na história.

O vice-comissário, Ade Adelekan, diz que a polícia planejou a operação de segurança durante algum tempo, e que a força tem experiência com esse tipo de evento.

Custo da operação de segurança

A monarquia britânica respondeu a reclamações sobre o custo da operação de segurança: houve relatos de que a organização custará US$ 125 mil (R$ 624 mil), mas, segundo o palácio de Buckingham, vai ser esse valor.

No entanto, eles não falam qual é o custo do evento e respondem a perguntas sobre os valores com respostas como a seguinte, de um porta-voz da monarquia: “Uma ocasião como esta, uma grande ocasião de Estado, atrai um enorme interesse global que mais do que compensa as despesas que a acompanham”.

Dezenas de fãs reais começaram a acampar no centro de Londres antes da coroação do rei Charles no sábado, mas enquanto eles e outros milhões estão antecipando o evento histórico com entusiasmo, muitos outros dizem que não se importam.

A coroação, cujas origens remontam a 1.000 anos, será o maior evento cerimonial desde a encenada para a mãe de Charles, a rainha Elizabeth, em 1953, com uma exibição de pompa e uma enorme procissão militar.

Para alguns britânicos, é um evento único na vida. Para outros, é uma ocasião bem-vinda apenas porque proporciona um dia de folga com um feriado extra na segunda-feira.

“Eles simplesmente tiram tudo de mim. Eles nunca trabalham”, disse Philip Nash, de 68 anos, enquanto varria as ruas de Whitechapel, uma área mais degradada do leste de Londres.

“Eu gostaria de ver um deles vir aqui, vir varrer esta rua. Você conhece algum deles para trabalhar de verdade? Eles são como vampiros, sugando meu sangue.”

Para alguns em Whitechapel, uma área onde os imigrantes se estabeleceram na capital britânica durante séculos, uma cerimônia espetacular para a realeza parece inadequada quando muitos estão lidando com a inflação alta, acima de 10%, que está elevando o custo dos alimentos e de energia. 

Em toda a capital e em muitas partes do Reino Unido, lojas e áreas públicas estão enfeitadas com bandeiras britânicas e festas de rua estão planejadas. Telas gigantes mostrarão a cerimônia em 30 locais em todo o país.

Embora o planejamento e os detalhes das ocasiões históricas tenham sido divulgados por meses na imprensa, as pesquisas sugerem que a maioria do público não está tão interessada.

Uma pesquisa do YouGov no mês passado descobriu que apenas 33% dos entrevistados se importam com a cerimônia. Outra pesquisa na semana passada descobriu que 48% provavelmente assistiriam na televisão, em comparação com 46% que disseram o contrário.

Isso contrasta com 1953, quando milhões lotaram as ruas de Londres e cerca de 27 milhões de pessoas assistiram à cerimônia televisionada de Elizabeth, que foi para muitos a primeira vez que assistiram a qualquer evento na televisão.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

inundacoes-em-ruanda-deixam-ao-menos-130-mortos

G1 Mundo

Inundações em Ruanda deixam ao menos 130 mortos

Outras 77 pessoas ficaram feridas, das quais 36 ainda estavam hospitalizadas na manhã desta quinta-feira. Destroços em estrada em Ruanda, em 3 de maio de 2023 — Foto: Mariam Kone/AFP Ruanda está contabilizando o número de mortos em decorrência de uma enchente no país. Até esta quinta-feira (4), sabe-se que há pelo menos 130 mortos. As enchentes e os deslizamentos foram causadas por chuvas na noite de terça e quarta-feira. […]

today4 de maio de 2023 2

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%