G1 Mundo

Policial que matou adolescente na França pede perdão à família da vítima

today29 de junho de 2023 16

Fundo
share close

Laurent-Franck Liénard, o advogado, disse que as primeiras palavras que o policial disse foram para pedir perdão.

Nahel, um jovem de 17 anos, foi morto na manhã de terça-feira após se negar a parar em uma blitz policial em Nanterre, na periferia de Paris. Inicialmente, fontes da polícia afirmaram que o guarda atirou quando o motorista do veículo tentou atropelar dois policiais. No entanto, um vídeo mostrra o momento em que o agente aponta uma arma para o motorista e dispara à queima-roupa enquanto o veículo acelera.

Nahel parou alguns metros adiante, quando o carro bateu em um poste. Ele morreu pouco depois.



O policial suspeito de ser o autor do disparo, um agente de 38 anos, está sob custódia da polícia, sendo investigado por homicídio doloso no exercício da função, conforme anunciado pelo Ministério Público.

A morte de Nahel gerou uma onda de protestos. Houve distúrbios na cidade de Nanterre, mais de dez veículos e mobiliário urbano foram queimados. Os protestos se espalharam para outras cidades francesas, como Lyon, Toulouse e Lille.

As autoridades de Nanterre organizaram vigílias em prédios públicos para evitar invasões e saques. A polícia relatou 77 prisões durante a segunda noite de revoltas na região parisiense.

Presidente afirmou que nada justifica a morte

O presidente francês, Emmanuel Macron, afirmou que “nada justifica a morte de um jovem”. O porta-voz do governo, Olivier Véran, pediu calma em meio a uma “emoção muito forte”. A primeira-ministra Elisabeth Borne destacou que as imagens sugerem violações das regras de ação legal. O político de esquerda Jean-Luc Mélenchon enfatizou que “a pena de morte não existe mais na França” e que nenhum policial tem o direito de matar, exceto em caso de legítima defesa.

O atacante do Paris Saint-Germain (PSG), Kylian Mbappé, expressou sua indignação, lembrando que também reagiu ao caso de violência policial contra o produtor musical negro Michel Zecler em 2020, e descreveu a situação como inaceitável.

As declarações mencionadas foram criticadas pelo sindicato policial Alliance e por líderes de extrema direita, que consideraram “inconcebível” que o presidente da República, assim como outros políticos, artistas e indivíduos, emitissem condenações antes mesmo dos resultados das investigações.

Bombeiros trabalham em meio a carros incendiados durante confrontos entre manifestantes e policiais, em Paris, na França — Foto: Stephanie Lecocq/Reuters




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

suspeito-de-invadir-o-capitolio-e-preso-com-material-para-explosivos-perto-da-casa-de-obama,-diz-jornal

G1 Mundo

Suspeito de invadir o Capitólio é preso com material para explosivos perto da casa de Obama, diz jornal

Um homem com materiais para fazer explosivos foi preso perto da casa de Barack Obama, ex-presidente dos Estados Unidos, nesta quinta-feira (29), segundo os portais CBS e NBC. Taylor Taranto, de 37 anos, é um dos suspeitos de ter invadido o Capitólio no início de 2021 e era procurado pela polícia. Um oficial disse à CBS que o Serviço Secreto avistou o homem a poucos quarteirões da residência de Obama. […]

today29 de junho de 2023 7

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%