G1 Mundo

Por que apoiadores de Trump têm medo de protestar como ele pediu?

today22 de março de 2023 12

Fundo
share close

No entanto, ao contrário do que pediu Trump, muitos de seus apoiadores mais fervorosos mandaram um recado diferente para a sua base: fiquem em casa.

É possível entender essa contradição ao navegar pelos sites e plataformas pró-Trump na internet.

Nas principais redes sociais, aplicativos de mensagens e no próprio Truth Social — que pertence a Trump — há diversos tipos de boatos circulando.



Muitos apoiadores de Trump sugerem que manifestações em favor do ex-presidente seriam tomadas por infiltrados que realizariam ataques com a intenção de culpar os oponentes pela violência.

Essa é a visão que muitos apoiadores de Trump têm da violenta invasão do Capitólio em 6 de janeiro de 2021. Eles dizem que a violência foi instigada não por apoiadores de Trump e grupos de extrema direita, como Proud Boys e Oath Keepers, mas sim por agentes federais ou “antifas” de esquerda — ativistas antifascismo que combatem Trump.

Eles dizem que a prova disso é a presença — revelada em documentos judiciais — de informantes secretos do FBI em meio aos manifestantes naquele dia.

Mas isso é muito diferente de dizer que houve um complô das autoridades federais para desencadear a violência. Embora não haja evidências disso — e haja evidências concretas de que as mais de mil pessoas presas em conexão com a invasão do Capitólio eram realmente apoiadores de Trump — sites alternativos de notícias não param de reproduzir especulações e conspirações sem embasamento.

Algumas dessas notícias chegaram até mesmo a canais mais convencionais, como a conservadora Fox News.

Os rumores e o medo de uma repetição dos eventos de janeiro de 2021 fizeram com que muitos desistissem de protestar a favor de Trump na terça-feira desta semana.

Ali Alexander, um ativista de extrema direita que organizou protestos que levaram à invasão do Capitólio, anunciou que não pretendia protestar e disse que o teórico da conspiração Alex Jones, do site Infowars, também ficaria em casa.

A deputada republicana da Geórgia, Marjorie Taylor Greene, conhecida por sua lealdade a Trump, também disse que não iria aos protestos.

Deputada apoiadora de Trump questiona quantos agentes federais estariam supostamente infiltrados em protestos. — Foto: Twitter via BBC

O mesmo tipo de preocupação foi divulgado em grupos pró-Trump no Facebook, em canais do Telegram, em sites como o 4chan e no Truth Social.

“A maior parte da conversa que vi sobre os protestos é que todos eles vão estar cheios de agentes federais ou armados pelo ‘Estado profundo’ para exibir bandeiras falsas e fazer com que os ‘manifestantes pacíficos’ pareçam violentos”, diz o especialista em teoria da conspiração Mike Rothschild.

Rothschild, autor do livro The Storm is Upon Us, sobre a teoria da conspiração QAnon, observou que um protesto na segunda-feira realizado pelo clube de jovens republicanos de Nova York atraiu apenas algumas dezenas de apoiadores.

“Acho que parte disso é paranoia legítima de ser preso, e parte é que hoje há menos pessoas com a devoção fanática a Trump do que em 6 de janeiro [de 2021]”, diz ele.

Em contraste com suas mensagens na época da invasão do Capitólio, Trump não foi específico sobre onde exatamente os manifestantes deveriam protestar.

Mas há indícios de que a violência retórica contra os oponentes de Trump está aumentando. O Advance Democracy, um grupo de pesquisa não partidário, disse que as menções à violência triplicaram na plataforma Truth Social depois que Trump declarou no sábado que seria preso e enviou a seus apoiadores a mensagem: “PROTESTEM, RETOMEM NOSSA NAÇÃO!”

As autoridades parecem estar levando a sério essas ameaças e a possibilidade de grandes protestos.

A polícia de Nova York reforçou a segurança em torno do tribunal onde Trump seria preso. A polícia de Los Angeles se preparou para um protesto pró-Trump na terça-feira em frente a um prédio federal.

Em Washington, agentes ficaram de prontidão.

No próximo sábado, Trump deve realizar um comício em Waco. A cidade do centro do Texas foi o local de um ataque a um culto cristão em 1993, que resultou na morte de 82 membros do culto e quatro agentes federais, um incidente que sempre foi muito criticado por grupos antigoverno.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

navio-tomba-em-porto-da-escocia-e-deixa-feridos;-veja-imagem

G1 Mundo

Navio tomba em porto da Escócia e deixa feridos; veja imagem

Embarcação caiu para o lado no porto de Leith, em Edimburgo. Moradores locais falam de ventos fortes no local. Navio tombado no porto de Leith, em Edimburgo, na Escócia, em 22 de março de 2023. — Foto: Reprodução/ Redes sociais Um navio de grande porte tombou em um porto de Edimburgo, na Escócia, nesta quarta-feira (22). Segundo o serviço de emergência escocês, dezenas de pessoas ficaram feridas por conta do […]

today22 de março de 2023 10

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%