G1 Mundo

Por que China censurou imagem de atletas abraçadas em Jogos Asiáticos

today7 de outubro de 2023 9

Fundo
share close

O motivo: os números de identificação usados na cintura por Lin Yuwei e Wu Yanni durante a prova formavam 64 quando as atletas se abraçavam.

A cifra se tornou uma alusão comum ao ocorrido em 4 de junho (4/6 ou 6/4, a depender do formato mais comum de data em cada país): o massacre da Praça da Paz Celestial, em 1989.

As discussões sobre o massacre ainda são um tabu na China e as autoridades apagam rotineiramente qualquer menção ao assunto na internet.



Naquele ano, tropas mataram a tiros centenas de manifestantes pró-democracia na praça em Pequim.

Ainda não está claro quantas pessoas realmente morreram naquele dia, mas as estimativas de grupos de direitos humanos variam entre várias centenas e vários milhares de mortos.

As atletas censuradas se abraçaram depois de uma corrida de 100 metros com barreiras durante os Jogos Asiáticos, na qual Lin ganhou o ouro. Ela estava na pista número 6 ao lado da pista número 4, de Wu.

Usuários fizeram diversos posts parabenizando Lin pela vitória no Weibo, uma das maiores plataformas de rede social da China, mas as postagens que incluíam a foto das duas abraçadas foram censuradas.

No entanto, a foto não parece ter sido completamente apagada da internet, com algumas notícias chinesas ainda usando a imagem das duas atletas.

A China conquistou quase 300 medalhas até agora nos Jogos Asiáticos, que acontecem atualmente na cidade chinesa de Hangzhou. O evento está previsto para durar até 8 de outubro.

O debate sobre o massacre na Praça da Paz Celestial é altamente sensível na China – gerações de chineses mais jovens cresceram com pouco ou nenhum conhecimento sobre o que aconteceu.

As publicações relacionadas ao tema são regularmente removidas da internet, que é rigidamente controlada pelo governo.

No ano passado, a live de um popular influencer chinês, que ocorreu na véspera do 33º aniversário do massacre, terminou abruptamente depois que ele mostrou ao seu público um bolo cujo formato lembrava um tanque – uma referência à icônica imagem que mostra um civil parado na frente de uma fila de tanques, tentando bloqueá-los.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

voce-viu?-medicos-executados-no-rio,-denuncia-de-fraude-na-amazonia,-invasao-de-percevejos-em-paris-e-a-historia-de-um-filme-‘amaldicoado’

G1 Mundo

Você viu? Médicos executados no Rio, denúncia de fraude na Amazônia, invasão de percevejos em Paris e a história de um filme ‘amaldiçoado’

25 segundos e mais de 30 tiros. Após pararem um veículo branco em frente à faixa de pedestres, um grupo criminoso atirou contra quatro médicos ortopedistas que estavam em um quiosque na Praia da Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio de Janeiro, na madrugada de quinta-feira (5). Três morreram e um está internado. Médicos mortos no Rio: o que se sabe sobre o caso Uma das principais hipóteses […]

today7 de outubro de 2023 9

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%