G1 Mundo

Portugal promulga lei que descriminaliza a eutanásia

today16 de maio de 2023 10

Fundo
share close

O presidente de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa, promulgou, nesta terça-feira (16), a lei que descriminaliza a eutanásia, aprovada na semana passada pelo Parlamento.

A versão final da lei que regulamenta “a morte medicamente assistida”, como a prática é chamada em Portugal, foi aprovada graças, em particular, aos socialistas, que têm maioria absoluta, por 129 votos a favor e 81 contra de um total de 230 deputados.

“A Constituição obriga o Presidente a promulgar uma lei à qual impôs seu veto e que foi confirmada pela Assembleia da República. Claro que vou promulgá-la, é meu dever constitucional”, disse Rebelo de Sousa após a votação.



Parlamento de Portugal aprova projetos de lei que permitem a eutanásia

Parlamento de Portugal aprova projetos de lei que permitem a eutanásia

O projeto de lei foi aprovado pelo Parlamento português em quatro ocasiões nos últimos três anos, mas foi devolvido para uma revisão constitucional devido à oposição do presidente.

Para evitar o último veto do chefe de Estado, os socialistas decidiram votar pela segunda vez o mesmo projeto de lei.

A norma foi reformulada várias vezes para levar em conta os comentários do presidente e depois de ter sido alterada também pela Corte Constitucional.

A versão definitiva da lei estabelece que a eutanásia só é permitida em casos em que “o suicídio medicamente assistido seja impossível devido à incapacidade física do paciente”.

Após a publicação dos decretos de aplicação, a lei poderia entrar em vigor no outono boreal, segundo estimativas citadas pela imprensa local.

A eutanásia e o suicídio assistido são autorizados apenas em alguns países europeus, incluindo Espanha, Bélgica, Luxemburgo e Holanda.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

cristina-kirchner-diz-novamente-que-nao-sera-candidata-presidencial-na-argentina

G1 Mundo

Cristina Kirchner diz novamente que não será candidata presidencial na Argentina

Cristina publicou uma carta aos seus companheiros de movimento político no qual afirma que não estará vinculada a nenhuma candidatura, e que ela deu mostras de que privilegia um projeto coletivo em detrimento de sua própria vida profissional. Ela então criticou a decisão jurídica que a condenou. A vice-presidente diz que a Justiça tomou decisões para tentar tirá-la de qualquer candidatura para deixá-la em fragilidade em qualquer corrida eleitoral. Essa […]

today16 de maio de 2023 15

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%