G1 Mundo

Pressionado, Putin nega planos de invadir 2ª maior cidade da Ucrânia e diz que vai avaliar proposta de cessar-fogo

today17 de maio de 2024 8

Fundo
share close

A fala acontece em meio a pressões internacionais para que Putin volte a negociar um cessar-fogo, ideia que chegou a ser considerada em 2022, quando suas tropas invadiram a Ucrânia, mas ficou parada nas mesas de negociações naquele mesmo ano.

O líder russo disse que discutiu com o presidente chinês, Xi Jinping, uma proposta feita pelo presidente francês, Emmanuel Macron, de uma trégua durante as Olimpíadas de 2024, que acontecerão na França em julho.

A visita de Putin à China acontece dias depois de o secretário de Estado dos Estados Unidos, Antony Blinkin, também viajar a Pequim e pedir a Xi Jinping que pressionasse o aliado russo por uma trégua.



Durante a visita a Pequim, ele disse também ter conversado sobre paz com Xi Jinping, um dos seus únicos aliados atuais e o mais forte deles.

No entanto, o líder russo culpou a Ucrânia pela ofensiva em Kharkiv e voltou a acusar o presidente do país, Volodymyr Zelensky, de ter sido quem emperrou as negociações de paz.

“Sobre o que está ocorrendo na direção de Kharkiv, isso também é culpa deles (Ucrânia), porque eles bombardearam e continuam, infelizmente, a bombardear bairros residências na área, incluindo Belgorod (cidade russa perto da fronteira com a Ucrânia)”, acusou Putin.

Quando questionado por repórteres se havia planos para tomar o controle de Kharkiv, ele disse que “atualmente, não há esse plano”.

Convocação de presos na Ucrânia

Nesta sexta-feira, o presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, assinou duas leis polêmicas na tentativa de aumentar suas tropas:

Uma delas permite que presos condenados por crimes sirvam ao Exército e lutem na guerra. Outra aplica multas ao quem não responda a convocações das Forças Armadas.

Zelensky ainda não havia se pronunciado sobre as aprovações até a última atualização desta reportagem.

A convocação de presidiários para a guerra é uma das táticas que vêm sendo adotadas por Putin desde os primeiros meses de sua ofensiva na Ucrânia.

Veja quais são os interesses da relação entre China e Rússia

Veja quais são os interesses da relação entre China e Rússia

O cenário de estagnação que marcou a guerra da Ucrânia durante cerca de um ano ficou para trás.

Aproveitando a demora da chegada de mais ajuda do Ocidente para tropas ucranianas, a Rússia conseguiu avançar sobre frentes de batalha no leste, criou novas no norte e agora se aproxima da conquista da segunda maior cidade ucraniana.

O governo da Ucrânia já trabalha com o cenário de uma ofensiva russa ainda maior nas próximas semanas. Pesa o fato de que, com a falta de ajuda do Ocidente, as forças da Ucrânia estão em menor número em infantaria, blindados e munições atualmente nas frentes de batalha.

Por isso, o Exército ucraniano está na defensiva ao longo da linha de frente, que tem uma extensão de cerca de 1.000 quilômetros, e tenta construir linhas de defesa mais fortes.

Segundo o Instituto para o Estudo da Guerra, think tank dos Estados Unidos que monitora diariamente a situação nas frentes de batalha dos principais conflitos ativos no mundo, a situação na Ucrânia neste momento é a seguinte:

  • As forças russas têm avançando principalmente nos arredores de Kharkiv, com incursões no norte e nordeste da cidade, e estão perto de conquistá-la;
  • No leste, a posição atual da Rússia, de dominação de quase toda a região, permite que tropas do país possam escolher “múltiplas direções” para avançar em Avdiivka, em Donetsk;
  • Fora da Ucrânia, o Kremlin tem investido em uma campanha contra países da Otan, utilizando interferências no GPS e sabotando infraestruturas logísticas militares.

Além de ser a maior cidade depois da capital Kiev, Kharkiv, no nordeste da Ucrânia, é também um importante centro industrial e científico da Ucrânia, além de ter se tornado um dos símbolos da resistência na guerra.

As tropas da região foram as que mais resistiram a ataques russos ao longos dos mais de dois anos de guerra. Por isso, uma eventual vitória da Rússia na cidade pode também ter um peso simbólico e ser uma das importantes da guerra.

Homem trabalha em construção de nova linha de defesa da Ucrânia na cidade de Kharkiv, no nordeste, em abril de 2024. — Foto: Evgeniy Maloletka/ AP




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

primeiros-caminhoes-com-ajuda-humanitaria-desembarcam-em-pier-construido-pelos-eua-em-gaza

G1 Mundo

Primeiros caminhões com ajuda humanitária desembarcam em píer construído pelos EUA em Gaza

Com as principais passagens entre Gaza e o Egito fechadas ou com serviço intermitente após a operação militar de Israel em Rafah, a pressão internacional para que alimentos, medicamentos e outros itens de primeira necessidade entrassem no território havia se intensificado. Segundo o Comando Central dos EUA, os primeiros desembarques ocorreram às 9h do horário local (3h em Brasília). O píer flutuante pré-montado foi construído por militares americanos no porto […]

today17 de maio de 2024 6

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%