G1 Mundo

Protestos contra extrema-direita reúnem 250 mil na Alemanha

today20 de janeiro de 2024 4

Fundo
share close

O motivo foi uma recente reunião do partido com neonazistas e empresários na qual discutiram sobre um projeto de expulsão em massa de imigrantes e “cidadãos não assimilados“.

Em Frankfurt, cerca de 35 mil pessoas se reuniram neste sábado sob o lema “Defendam a democracia – Frankfurt contra a AfD”. Um número semelhante de pessoas se manifestou na cidade de Hannover, mais ao norte, com cartazes que diziam “Fora nazistas”.

Também foram registrados atos em Braunschweig, Erfurt e Kassel, e em cidades menores, como vem acontecendo diariamente há uma semana.



Ao todo neste fim de semana, são esperados atos em mais de 100 cidades alemãs. Neste domingo, foram convocados protestos em Berlim, Munique, Colônia, Dresden, Leipzig e Bonn.

Além de alguns políticos, a Igreja e a Federação Nacional de Futebol fizeram um apelo à manifestação da rejeição à AfD, que entrou no Bundestag, a câmara baixa do Parlamento, em 2017.

O chanceler alemão, o social-democrata Olaf Scholz, pediu em comunicado na sexta-feira que todos se posicionassem “a favor da coesão, da tolerância” e da “nossa Alemanha democrática”.

Friedrich Merz, líder do partido da oposição conservadora CDU, escreveu na rede social X que é “muito encorajador que milhares de pessoas se manifestem pacificamente contra o extremismo de direita”.

Entretanto, dois membros de seu partido, pertencentes ao Werteunion, a ala mais conservadora do CDU, também participaram da reunião em Potsdam. O líder deste grupo, Hans-Georg Maassen, anunciou neste sábado que deixou a sigla e comunicou a formação de um partido próprio.

Manifestantes saem às ruas de Frankfurt para protestar contra a AfD, de extrema-direita — Foto: REUTERS/Kai Pfaffenbach

Os protestos eclodiram após a organização de jornalismo investigativo Correctiv divulgar, em 10 de janeiro, informações sobre uma reunião secreta em Potsdam, perto de Berlim.

Entre os participantes havia membros da AfD, neonazistas e empresários. O evento também contou com a presença de uma figura de destaque do movimento identitário radical, o austríaco Martin Sellner.

O partido confirmou a presença dos seus membros na reunião, mas garantiu que não apoia o projeto de “remigração” apresentado por Sellner.

O austríaco apoia a teoria da conspiração da “grande substituição”, que afirma que existe um complô de imigrantes não-brancos para substituir a população branca “nativa” da Europa.

O caso chocou muitos na Alemanha, num momento em que a AfD está em alta nas pesquisas eleitorais antes de três grandes eleições regionais no Leste do país, onde o apoio ao partido é mais forte.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

governo-da-argentina-anuncia-cancelamento-de-beneficios-sociais-de-mais-de-27-mil-pessoas

G1 Mundo

Governo da Argentina anuncia cancelamento de benefícios sociais de mais de 27 mil pessoas

O governo da Argentina, por meio do Ministério de Capital Humano, disse, neste sábado (20), que cancelará mais de de 27.000 beneficiários dos programas Potenciar Trabajo e Potenciar Empleo (potenciar trabalho e potenciar emprego, respectivamente, em tradução livre do espanhol). De acordo com o anúncio da pasta comandada pela ministra Sandra Pettovello, detectou-se 27.208 planos com incompatibilidades. Com isso, o pagamento de 2 bilhões de pesos argentinos (algo em tono […]

today20 de janeiro de 2024 4

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%