G1 Mundo

Quem é a mulher mais visada do Equador

today21 de janeiro de 2024 5

Fundo
share close

Desde que expôs, no mês passado, as ligações do narcotráfico com juízes, procuradores, policiais e políticos, Diana Salazar recebeu 15 ameaças de morte e tornou-se a mulher mais visada do Equador.

A segurança pessoal da procuradora-geral do país é equiparada à do presidente Daniel Noboa: ela usa permanentemente um colete à prova de balas e tem escolta policial até para ir ao banheiro.

Primeira mulher negra a ocupar o cargo, Salazar mexeu num vespeiro ao mandar para a prisão 30 personalidades da vida pública equatoriana, na megaoperação conhecida como Metástase, que envolveu 900 agentes em sete províncias.



Entre os juízes e policiais presos, estavam o presidente do Conselho da Magistratura, Wilman Terán, ligado ao ex-presidente Rafael Correa e acusado de conspirar com o crime organizado, e o ex-general da polícia Pablo Ramírez, o encarregado das penitenciárias equatorianas, comandadas, de fato, pelas facções criminosas.

A procuradora-geral, de 42 anos, descreveu a operação como o maior processo contra a corrupção e o tráfico de drogas da História do país: “Trata-se de um claro raio X sobre como o tráfico de drogas se apoderou das instituições do Estado para operar com dinheiro ilícito de órgãos judiciais e políticos para alcançar a impunidade.”

O decreto permite a intervenção das forças militares no combate a 22 grupos criminosos, considerados terroristas pelo presidente.

A procuradora manteve o tom desafiador mesmo após o assassinato do promotor César Suárez, na quarta-feira (17), quando investigava o ataque armado às instalações da emissora TC, em Guayaquil:

“É impossível não ficar arrasada com a morte de um colega na luta contra o crime organizado. Serei enfática: grupos do crime organizado, criminosos, terroristas não vão impedir o nosso compromisso com a sociedade equatoriana, continuaremos com mais força, por ele, pelo país e pela justiça”, assegurou ela, numa mensagem publicada na rede social X.

A atuação de Salazar divide os equatorianos, que a descrevem como heroína ou vilã, dependendo do grupo ideológico.

Ela está há 22 anos no Ministério Público e foi nomeada para o cargo de procuradora-geral em 2019 para um período de seis anos, por meio de um concurso também questionado por seus detratores. Antes disso, ela investigou os principais casos de corrupção que abalaram o país.

Esteve à frente dos processos de fraudes na Federação Equatoriana de Futebol, que renderam a condenação por seis anos de prisão de seu presidente, Luis Chiriboga Acosta; e na Odebrecht, em que o ex-vice-presidente do Equador Jorge Glas foi sentenciado a seis anos por associação ilícita.

As maiores críticas ao trabalho de Salazar vêm da ala ligada ao correísmo, que a acusam de ser seletiva e não tão rígida nas investigações de corrupção que envolveram os ex-presidentes Lenín Moreno e Guillermo Lasso.

Por isso, ela enfrenta um pedido de impeachment na Assembleia Nacional, promovido pelo partido Revolução Cidadã, que embora tenha a maior bancada na Casa, ainda não conseguiu os 70 votos necessários para censurá-la.

No Equador, pessoas armadas invadem estúdio de TV estatal

No Equador, pessoas armadas invadem estúdio de TV estatal




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

por-que-adolescentes-da-coreia-do-norte-foram-condenados-a-trabalho-forcado-por-verem-a-k-dramas

G1 Mundo

Por que adolescentes da Coreia do Norte foram condenados a trabalho forçado por verem a K-dramas

K-dramas são como são chamadas as produções de TV da Coreia do Sul — e proibidas na Coreia do Norte. O filme "Parasita" e a série "Round 6" são algumas produções sul-coreanas desse gênero. Não se sabe, entretanto, qual série k-drama os adolescentes assistiram para serem condenados. Segundo a BBC, o vídeo, aparentemente, foi gravado em 2022. As imagens mostram os dois jovens, então com 16 anos, sendo condenados na […]

today21 de janeiro de 2024 1

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%