G1 Mundo

Quem é Viktor Bout, o ‘Senhor das Armas’ da vida real que foi libertado pelos EUA em troca da jogadora Brittney Griner

today8 de dezembro de 2022 12

Fundo
share close

A jogadora americana de basquete Brittney Griner, que estava presa na Rússia, foi envolvida nesta quinta-feira (8) em uma troca de prisioneiros entre Washington e Moscou. O Kremlin pediu, em troca da atleta, a libertação de Viktor Bout, um famoso negociante de armas que já serviu de inspiração para um filme de sucesso de Hollywood.

Viktor Bout é um ex-tenente-coronel do Exército Soviético que o Departamento de Justiça dos EUA já apontou como um dos maiores traficantes de armas do mundo.

Ele se tornou um dos homens mais procurados do planeta por causa de sua carreira como negociante internacional de armas e foi apelidado de “Mercador da Morte” em uma biografia de 2007.



Traficantes de armas russo, Viktor Bout, dentro de centro de detenção na Tailândia — Foto: Apichart Weerawong/Arquivo/AP

Ele se tornou conhecido por sua disposição de armar grupos interessados em quase todos os lugares por que passava, desde as milícias em Serra Leoa até o brutal regime liberiano de Charles Taylor e o Talibã.

Sua vida e sua história serviram como inspiração para o filme “Senhor das Armas”, estrelado pelo ator Nicholas Cage e lançado em 2005.

Nascido em Dushanbe, no Tadjiquistão soviético, em 1967, Bout é fluente em várias línguas e já serviu no exército soviético como tradutor militar, inclusive em Angola.

Como ele ficou conhecido?

Após o colapso da União Soviética em 1991, ele conseguiu capitalizar um excesso de armas baratas de fabricação soviética que poderiam ser vendidas a clientes na África, Ásia e América do Sul.

Operando nos Emirados Árabes Unidos, ele usou uma frota de aviões da era soviética para fornecer armas para insurgências, senhores da guerra e estados párias em todo o mundo.

O russo Viktor Bout, em foto de outubro de 2010 — Foto: Reuters

Bout foi preso em 2008 na Tailândia após uma operação policial dos EUA. Agentes o gravaram oferecendo-se para vender mísseis a pessoas que ele acreditava serem guerrilheiros esquerdistas colombianos.

Quatro ano depois, em 2012, ele foi condenado a 25 anos de prisão por um tribunal dos EUA.

A juíza federal de Nova York Shira Scheindlin rejeitou o pedido da promotoria de prisão perpétua e decretou que “25 anos são suficientes” para os crimes cometidos por Bout.

A Rússia sempre proclamou sua inocência, descrevendo seu caso como uma flagrante injustiça e tentando garantir sua libertação.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

congresso-dos-eua-aprova-projeto-de-lei-que-protege-casamento-entre-pessoas-do-mesmo-sexo

G1 Mundo

Congresso dos EUA aprova projeto de lei que protege casamento entre pessoas do mesmo sexo

Em 2015, a Suprema Corte dos EUA legalizou o casamento entre pessoas do mesmo sexo em todo o país. Desde então, o casamento entre pessoas do mesmo sexo é um direito constitucional. No entanto, agora o perfil dos ministros da Corte é muito mais conservador, e os deputados temem que aquela decisão de 2015 seja anulada. A corte já se mostrou disposta a reverter seus próprios precedentes, como fez em […]

today8 de dezembro de 2022 16

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%