G1 Mundo

Quem era o milionário russo crítico de Putin morto em hotel na Índia 2 dias após morte de amigo

today27 de dezembro de 2022 11

Fundo
share close

A dupla estava visitando o Estado de Odisha, no leste da Índia, e o milionário, que também era político, acabara de comemorar seu aniversário no hotel.

Antov era uma figura bem conhecida na cidade de Vladimir, a leste de Moscou.

No verão passado, ele negou ter criticado a guerra da Rússia na Ucrânia depois que uma mensagem apareceu em sua conta do WhatsApp.



A morte do milionário é a última de uma série de mortes inexplicadas envolvendo magnatas russos desde o início da invasão russa, muitos dos quais criticaram abertamente a guerra.

Relatos da mídia russa disseram que Antov, 65, caiu de uma janela do hotel na cidade de Rayagada no domingo. Seu amigo Vladimir Budanov, morreu no hotel na sexta-feira.

O superintendente Vivekananda Sharma, da polícia de Odisha, disse que Budanov sofreu um derrame, e que seu amigo “estava deprimido após sua morte e por isso também morreu”.

Pavel Antov em imagem postada em sua rede social — Foto: Pavel Antov/VK.com

O cônsul russo em Calcutá, Alexei Idamkin, disse à agência de notícias Tass que a polícia indiana não viu um “elemento criminoso nesses trágicos eventos”.

O guia turístico Jitendra Singh disse a repórteres que Budanov pode ter “consumido muito álcool porque tinha garrafas de bebida”.

Pavel Antov fundou a fábrica de processamento de carne Vladimir Standard e, em 2019, a revista Forbes estimou sua fortuna em cerca de US$ 140 milhões (cerca de R$ 730 milhões) no topo da lista de legisladores e funcionários públicos mais ricos da Rússia.

Ele desempenhou um papel importante na assembleia legislativa de Vladimir, chefiando um comitê de política agrária e ecologia. O vice-presidente da assembleia, Vyacheslav Kartukhin, disse que ele morreu em “circunstâncias trágicas”.

No final de junho passado, Pavel Antov pareceu reagir contrariamente a um ataque de míssil russo em um bloco residencial no distrito de Shevchenkivskyi, em Kyiv, que deixou um homem morto e sua filha de sete anos e sua mãe feridas.

Uma mensagem do WhatsApp na conta de Antov descreveu como a família foi retirada dos escombros: “É extremamente difícil chamar tudo isso de outra coisa senão terror”.

A mensagem foi apagada e Antov postou nas redes sociais que era um apoiador do presidente Putin, um “patriota do meu país” e disse que apoiava a guerra.

Ele insistiu que a mensagem do WhatsApp “veio de alguém cuja opinião sobre a operação militar especial na Ucrânia ele discordava veementemente”. Ele acrescentou que a mensagem havia sido postada acidentalmente em seu messenger e foi um mal-entendido muito irritante.

Outros magnatas russos famosos morreram em circunstâncias misteriosas desde o início da guerra.

Em setembro, o chefe da gigante petrolífera russa Lukoil, Ravil Maganov, aparentemente caiu da janela de um hospital em Moscou.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

apos-100-dias-de-protestos-e-mais-de-500-mortes,-manifestantes-no-ira-prometem:-‘nao-vamos-parar’

G1 Mundo

Após 100 dias de protestos e mais de 500 mortes, manifestantes no Irã prometem: ‘Não vamos parar’

Mais de 500 manifestantes, incluindo 69 crianças, foram mortos, de acordo com a Agência de Notícias de Ativistas de Direitos Humanos (HRANA). Dois manifestantes foram executados e pelo menos 26 outros enfrentam o mesmo destino, após o que a Anistia Internacional chama de "julgamentos simulados". Embora manifestações de alcance nacional já tenham atingido o Irã antes — uma ocasião em 2017, que durou até o início de 2018, e outra […]

today27 de dezembro de 2022 12

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%