G1 Mundo

Quem foi o ‘Unabomber’, criminoso que inspirou série e foi encontrado morto neste sábado

today11 de junho de 2023 8

Fundo
share close

Kaczynski, 81, matou três pessoas e feriu mais 23 durante uma onda de bombardeios em massa entre 1978 e 1995. Mais tarde, ele se declarou culpado de seus crimes.

Ele foi condenado à prisão perpétua sem liberdade condicional em 1996, depois de escapar por quase 20 anos.

O matemático formado em Harvard acabou sendo pego em uma cabana em Montana.



Ele foi um homem que fascinou o mundo por décadas e se tornou tema de vários documentários de TV. O criminoso até se tornou tema de uma série da Netflix.

Kaczynski passou as últimas três décadas detido em prisões nos Estados Unidos – mais recentemente em um centro médico prisional da Carolina do Norte.

Os guardas prisionais do Centro Médico Federal em Butner, Carolina do Norte, descobriram o corpo de Kaczynski na manhã deste sábado (10/6) por volta das 00h25, horário local, disse um porta-voz da Bureau of Prisons, agência americana responsável pelas prisões no país, à BBC.

“A equipe que o encontrou imediatamente iniciou medidas para salvar a sua vida”, acrescentou o porta-voz. “O Sr. Kaczynski foi transportado para um hospital local e posteriormente declarado morto pela equipe do hospital.”

Antes de sofrer de problemas de saúde que levaram à sua transferência para a instalação em dezembro de 2021, desde maio de 2018 ele estava detido na prisão federal Supermax em Florence, Colorado.

Ted Kaczynski, o “Unabomber”, escapou da prisão até 1996 — Foto: GETTY IMAGES

Os crimes de “Unabomber” eram violentos e deixaram várias de suas vítimas mutiladas.

Mas seus crimes foram descobertos depois que ele forçou os jornais Washington Post e o New York Times a publicar um manifesto desequilibrado e violento, chamado Industrial Society and Its Future (Sociedade Industrial e seu futuro, em tradução livre), em setembro de 1995.

Os jornais concordaram em publicar o manifesto por recomendação do FBI e do procurador-geral dos EUA, após “Unabomber” afirmar que encerraria suas ações criminosas se um jornal de circulação nacional publicasse o seu texto.

O documento anônimo de 35 mil palavras criticou a vida moderna e afirmou que a tecnologia estava levando os americanos a sofrer de uma sensação de alienação e impotência.

Depois de ler o texto nos jornais, o irmão e a cunhada de Kaczynski reconheceram o tom e alertaram o FBI, que o procurava há anos na mais longa caçada do país.

Em abril de 1996, as autoridades finalmente encontraram o matemático formado em Harvard em uma cabana de madeira compensada e papel alcatroado de três a quatro metros, nos arredores de Lincoln, em Montana.

A cabana estava cheia de jornais, um diário codificado, explosivos e duas bombas completas.

Embora o manifesto impressionasse a muitos por ter um tom abertamente político, Kaczynski nunca procurou incorporar o manto revolucionário que alguns atribuíam a ele.

Em seus próprios diários, ele escreveu que não afirmava ser “altruísta ou agir para o ‘bem’ (seja lá o que for) da raça humana”, em vez disso, insistia que agia “meramente por desejo de vingança”.

Seus crimes parecem ter começado logo depois que ele foi demitido do negócio da família por seu irmão por compartilhar recados abusivos para uma colega que o largou após dois encontros.

De lá, ele se mudou para a selva de Montana e para a cabana que havia construído à mão, sem aquecimento, encanamento ou eletricidade.

Seus primeiros ataques foram direcionados à Northwestern University, em Illinois. Os dois bombardeios ocorreram com quase um ano de diferença em 25 de maio de 1978 e 9 de maio de 1979, ferindo duas pessoas.

Então, em novembro de 1979, uma bomba acionada por altitude que ele enviou em 1979 explodiu a bordo de um voo da American Airlines. Doze pessoas sofreram com a inalação de fumaça.

Os alvos de seus ataques pareciam sempre ser universidades e companhias aéreas. O FBI o apelidou de “Unabomber”.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

video:-motorista-quase-capota-carro-em-prova-da-autoescola-na-argentina

G1 Mundo

VÍDEO: Motorista quase capota carro em prova da autoescola na Argentina

Incidente foi registrado por câmeras de segurança e vídeo viralizou no país. Motorista quase capota carro em prova da autoescola Uma senhora de 63 anos quase capotou o carro enquanto fazia a prova da autoescola para obter a carteira de motorista em Lanus, na Argentina. O caso aconteceu na quarta-feira (7) e foi registrado pelas câmeras de segurança do local. O vídeo, que viralizou na Argentina, mostra a motorista dirigindo […]

today11 de junho de 2023 38

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%