G1 Mundo

Representante da Ucrânia diz que país ‘não aceitará a paz a qualquer custo’

today24 de fevereiro de 2023 10

Fundo
share close

“A Ucrânia está se defendendo no seu próprio território, defendendo seus cidadãos. A Ucrânia deixou claro que não aceitará a paz a qualquer custo. Não vamos concordar com nada que mantenha os territórios ucranianos ocupados e coloque nosso povo em dependência da vontade do agressor” declarou Tkach.

“Apaziguar com o agressor levaria a mais atrocidades. Precisamos de mais equipamentos, militares e munições”, completou.



1 ano de guerra na Ucrânia: entenda as 4 fases do conflito

1 ano de guerra na Ucrânia: entenda as 4 fases do conflito

Segundo o encarregado de Negócios da Ucrânia no Brasil, até o momento, a Rússia:

  • lançou mais de 5 mil mísseis contra a Ucrânia;
  • fez mais de 3,5 mil ataques aéreos no país;
  • fez mais de 1 mil ataques de drones na região;
  • destruiu mais de 60 mil prédios residenciais.

Conversa de Zelensky com Lula

Durante a entrevista desta sexta-feira, Anatoly Tkach confirmou que os governos ucraniano e brasileiro articulam uma conversa por telefone entre os presidentes Volodymyr Zelensky e Lula. A data ainda não foi definida.

Questionado se Zelensky convidará Lula a ir visitar a Ucrânia, o encarregado de Negócios disse que a ideia é “muito boa”, mas que não há confirmação de que um eventual convite será feito.

“A conversa ainda não aconteceu, por isso eu não posso confirmar se o presidente convidou ou não convidou. Mas a ideia é muito boa do ponto de vista de que, no caso de disponibilidade de o presidente Lula ir para a Ucrânia, isso pode mudar a percepção toda do Brasil”, afirmou.

Anatoly Tkach também foi questionado sobre uma declaração recente do presidente Lula na qual o brasileiro disse, ao comentar a guerra, que “quando um não quer, dois não brigam”.

O representante de Negócios do país no Brasil, então, disse que não se pode “equiparar” as ações russas e ucranianas na guerra.

“Nós não podemos equiparar as posições da Rússia e da Ucrânia. A Ucrânia está se defendendo no seu próprio território e defendendo seu povo. Se a Ucrânia parar de lutar, a Ucrânia deixará de existir. Se a Rússia parar essa agressão, a guerra simplesmente acaba”, afirmou.

Nesta quinta (23), o vice-ministro das Relações Exteriores da Rússia, Mikhail Galuzin, afirmou em entrevista à agência russa Tass que o governo de Vladimir Putin estuda uma proposta de paz apresentada por Lula.

Ucrânia não quer guerra ‘prolongada’

Ao fazer uma análise deste um ano de guerra na região, o representante da Ucrânia no Brasil disse que o país não quer que a guerra seja “prolongada”, mas “lutará o tempo que for necessário”.

Na avaliação de Tkach, a Rússia quer “destruir” a Ucrânia.

“Putin cometeu um erro fatal. A propaganda russa afirmava que a Ucrânia duraria dias, mas a Ucrânia parou as tropas russas e conseguiu liberar a metade dos territórios recém-ocupados por meio de contraofensivas bem-sucedidas”, declarou.

“A Rússia não mudou seus planos de destruir a Ucrânia. Cada vez que a Rússia pede negociações, suas tropas fazem o oposto. Estão tentando realizar uma nova ofensiva. O Kremlin [sede do governo russo] continua com aquisição de armas através de aliados e também aumentou a produção própria”, completou o ucraniano.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

transgeneros-judeus-sofrem-com-preconceito-e-isolamento-na-comunidade-ortodoxa-de-israel

G1 Mundo

Transgêneros judeus sofrem com preconceito e isolamento na comunidade ortodoxa de Israel

"Não posso mais rezar para o mesmo Deus das pessoas que atualmente estão tentando destruir minha comunidade e destruir nossas vidas", disse Rashlin, em referência à agenda anti-LGBTQIA+ de alguns membros do governo. Segundo um levantamento do Ministério da Saúde de Israel feito com dados de 2020, 40% de integrantes da comunidade trans no país já tentaram suicídio. "Muitos de seus amigos transgêneros se suicidaram recentemente", conta Rashilin. Diferente de […]

today24 de fevereiro de 2023 22

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%