G1 Mundo

Sergio Massa e Javier Milei começam campanha tentando atrair eleitores de ex-adversária

today24 de outubro de 2023 11

Fundo
share close

No domingo (22) as votações foram as seguintes:

  • O atual ministro da Economia, Sergio Massa, teve 36,68% dos votos.
  • O deputado federal ultraliberal Javier Milei ficou com 29,98% dos votos.
  • Patricia Bullrich, a terceira colocada, terminou com 23,83% dos votos.

O segundo turno acontece no dia 19 de novembro.



No fim da noite de domingo, Bullrich deixou claro que ela mesma não vai apoiar Sergio Massa, o candidato peronista (ou seja, da corrente política ligada a Juan Domingo Perón, que foi presidente da Argentina três vezes no século passado). Ela não falou nada sobre Milei, no entanto.

Massa quer evitar excentricidades do adversário

Neste segundo turno, Sergio Massa deve tentar se aproximar do atual prefeito de Buenos Aires, Horacio Larreta, um aliado do ex-presidente Mauricio Macri.

Larreta foi pré-candidato à presidência neste ano. Ele disputou a nomeação do Juntos pela Mudança, a coligação política de Macri, mas perdeu para Patricia Bullrich. O prefeito é tido como um político mais centrista do que Bullrich.

A coligação Juntos pela Mudança é formada pelos partidos:

  • Proposta Republicana, de Maurício Macri;
  • União Civica Radical, um dos partidos mais tradicionais da Argentina.

A campanha de Massa também tenta obter apoio da União Cívica Radical.

O plano dos estrategistas de Massa em relação a Milei é discutir apenas as propostas dele, e não as excentricidades ou as declarações polêmicas –no QG de Massa, afirma-se que esse tipo de embate que favorece Milei –o candidato de direita ganhou fama em programas de debate na TV justamente ao encarnar uma espécie de personagem excêntrico que dava declarações polêmicas.

A ideia é associar Massa a um sentimento de nacionalismo pela Argentina. Um dos slogans é “Argentina, Sim” –essa seria uma forma de tentar sinalizar que Milei representa um sentimento anti-argentino.

Milei começou a elogiar a ex-adversária

Em seu discurso no domingo, Milei já começou a tentar se aproximar da coligação de Bullrich, a coligação Juntos pela Mudança.

Nesta segunda-feira, ele voltou a elogiar a ex-adversária. Em uma entrevista, ele afirmou que ela teve sucesso combatendo a insegurança (Bullrich foi ministra da Segurança durante o governo de Mauricio Macri).

Ele também afirmou que o eleitorado sinalizou que não quer a permanência do grupo político que atualmente está no governo, os kirchneristas.

Um sinal disso seria que a soma de votos dele, Milei, e de Bullrich é de mais de metade dos votos.

Massa e Milei — Foto: Mariana Nedelcu/REUTERS; LUIS ROBAYO / AFP




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

hamas-libera-mais-duas-refens;-veja-quem-sao-pessoas-que-permanecem-sequestradas-pelo-grupo

G1 Mundo

Hamas libera mais duas reféns; veja quem são pessoas que permanecem sequestradas pelo grupo

As Forças de Defesa de Israel notificaram alguns familiares de que os seus entes queridos são mantidos reféns, enquanto em outros casos os parentes acham que a pessoa foi levada como refém por estar há muito tempo desaparecida. O Hamas disse que escondeu os reféns em “locais e túneis seguros” dentro de Gaza. Os militares de Israel dizem que os reféns incluem 20 crianças e entre 10 e 20 pessoas […]

today24 de outubro de 2023 9

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%