G1 Santos

Sérvio que ‘fugiu’ com a família para o Brasil na década de 60 prova comidas típicas do país dele feitas por chef brasileiro; veja as receitas

today24 de novembro de 2022 6

Fundo
share close

Aos 13 anos, o sérvio Zlate Dobresvki chegou ao Brasil junto com a família. Ainda jovem, ele se dedicou a arte de servir clientes ao trabalhar em bares e restaurantes e, assim, se tornou um dos garçons mais experientes de Santos, no litoral de São Paulo. A convite do g1, ele experimentou pratos sérvios feitos por um chef de cozinha brasileiro, para matar a saudade das receitas da família. No paladar, o tempero brasileiro agradou. Mas, na Copa do Mundo do Catar, o coração do sérvio fala mais alto pela sua terra natal.

Em 1967, ele, o pai, a mãe, o irmão e a avó atravessaram o oceano, em uma viagem de navio de mais de uma semana. “Com carta de chamada dele [tio], para facilitar a fuga de lá para cá, como se tivesse onde morar aqui. Viemos pela Itália, em navio, demorou muito, muito”, conta ele, que lembra do mal-estar após tanto tempo no mar.

Ao chegar em Santos, Dobresvki trabalhou na confecção de vassouras, em pastelarias e restaurantes. A família comprou um bar, onde ele ficou no comando por um tempo até 1985. Dobresvki ainda trabalhou no cais santista e, depois de casado, iniciou a carreira de garçom. “Me considero um dos excelentes garçons na cidade de Santos, por tempo de trabalho, por prazer, gosto, amor no trabalho, prazer de servir a pessoa. Adoro”, disse.



Zlate Dobreviesk chegou no Brasil com 13 anos — Foto: Mariane Rossi/g1

Há três anos, Dobresvki voltou à Sérvia. Ele conseguiu rever os amigos e familiares que ainda vivem no país dele. E, aproveitou para comer os pratos típicos de lá. “Pedi para minha prima fazer rason. Aqui (Brasil) não tem. Seria tipo semelhante ao chucrute”, explica.

Ele também lembra da shopska salata, uma espécie de salada, que pode ser servida como uma entrada. “Tomate, pepino japonês, pimentão, verde, amarelo e cebola. Em cima, você coloca queijo branco e azeite”, comenta.

Moussaka sérvia preparada pelo chef Robinson Omelczuk — Foto: Mariane Rossi/g1

As comidas típicas da sérvia sofrem influência das cozinhas eslava, turca e grega. Muitos pratos contém carnes bovina, de porco e de cordeiro. Elas são grelhadas como churrasco, na forma de hambúrgueres ou almôndegas. O repolho, a abobrinha, a berinjela e os pimentões estão em vários pratos. O pão também sempre está presente na mesa de um sérvio.

Outros pratos conhecidos são o ajvar, uma pasta feita de pimentões; o cevapi, uma mini kafta feita de carne moída, a gibanica, uma torta de queijos e a pljeskavica, um espécie de hambúrguer grelhado, preparado com uma mistura de carnes.

Sérvio Zlate Dobresvki é garçom em um restaurante em Santos — Foto: Mariane Rossi/g1

O g1 convidou o garçom para experimentar alguns pratos típicos na Sérvia, mas preparados pelo chef de cozinha Robinson Omelczuk. Ele fez uma moussaka sérvia, com camadas de carne moída, batatas e berinjela.

O chef também preparou duas versões do rolinho conhecido como sarma, um dos principais pratos dos sérvios. Os dois são recheados de carne, sendo que um é feito com couve e outro com repolho.

“A tradição é ser cozida com carne de cordeiro, mas é uma carne muito cara e nobre. Adaptamos ela com a carne bovina. Na massa da carne moída, você coloca um pouco de arroz cru, que é justamente para dar a liga”, explica o chef. Dobresvki experimentou os três pratos (confira as receitas completas abaixo) e se surpreendeu com o sabor.

“Divinamente excelente. Espetacular. Melhor do que o de lá. Aprovado!”, disse ele

O garçom, que cresceu e vive em terras brasileiras até hoje, diz que não pensa em voltar a morar no seu país de origem. “Eu não troco a cidade de Santos por canto nenhum. Já me fizeram proposta (para voltar para lá), eu não. Eu não troco a cidade de Santos, eu cresci aqui”.

Quando o assunto é futebol, a opinião dele muda. O Brasil estreia na Copa do Mundo do Catar em um jogo contra a seleção da Sérvia nesta quinta-feira (24). “Não posso negar que sou Sérvio e torcer para a Sérvia”. Depois dessa partida, ele garante que a torcida será para a seleção canarinho. “Passou o jogo Sérvia e Brasil, aí eu sou Brasil”, brinca ele.

Sarma de couve recheado com carne, preparado pelo chef Robinson Omelczuk — Foto: Mariane Rossi/g1

Confira a receitas sérvias do chef Robinson:

  • 500 g de patinho moído
  • ½ xícara (chá) de arroz (cru)
  • ½ cebola
  • 2 colheres (chá) de pimenta síria
  • 1 ½ colher (chá) de sal
  • pimenta-do-reino moída na hora a gosto
  1. Descasque e pique fino a cebola.
  2. Numa tigela média, coloque todos os ingredientes do recheio.
  3. Tempere com pimenta-do-reino moída na hora e misture bem com as mãos. Reserve.
  4. Lave as folhas de couve sob água corrente. Leve uma frigideira de borda alta com água ao fogo para ferver. Prepare uma tigela grande com água e gelo
  5. Para branquear as folhas: assim que a água ferver, adicione 1 colher (chá) de sal e mergulhe 3 folhas de couve e deixe cozinhar por 30 segundos.
  6. Assim as folhas ficam maleáveis, com uma pinça, transfira as folhas para a tigela com água gelada para cessar o cozimento e, em seguida, para um escorredor. Repita o processo com todas as folhas.
  7. Para enrolar os charutinhos: disponha uma folha de couve bem aberta na tábua; corte a folha ao meio, bem rente ao talo, no sentido do comprimento e descarte o talo – cada metade se transforma em um charutinho.
  8. Coloque cerca de 1 colher (sopa) do recheio, deixando cerca de 2 cm da base da folha livre para enrolar; enrole a ponta da folha sobre o recheio, dobre as laterais para dentro e continue enrolando até o fim. Repita com as outras folhas.
  9. Coloque os charutinhos, bem junto um do outro, numa panela média, até cobrir todo o fundo. Faça outra camada sobre a primeira. Quanto mais apertadinhos ficarem, melhor, eles não abrem na hora de cozinhar.
  10. Regue com o caldo de legumes (ou água) e leve ao fogo médio. Quando começar a ferver, diminua o fogo e deixe cozinhar por 20 minutos, com a tampa entreaberta.
  11. Desligue o fogo e sirva a seguir.

Sarma de repolho com carne, preparado pelo chef Robinson Omelczuk — Foto: Mariane Rossi/g1

Sarma – Repolho com carne

  • 500 gramas de carne moída
  • 200 gramas de arroz cozido
  • 1 unidade de repolho
  • 1 unidade de cebola
  • 1 dente de alho
  •  2 colheres de sopa de azeite de oliva
  •  pimenta do reino
  •  sal
  1. Comece por picar finamente a cebola e o alho. Refogue os ingredientes em uma frigideira ou panela com o azeite.
  2. Quando dourarem, acrescente o tomate pelado e a carne
  3. Tempere com sal e pimenta e deixe cozinhar por 10 a 15 minutos, mexendo de vez em quando para não queimar. Desligue e misture com o arroz cozido.
  4. Coloque o repolho em uma panela com água fervente e sal por 2 a 3 minutos, ou até as folhas começarem a soltar.
  5. Retire as folhas soltas para um prato ou travessa, para escorrer o excesso de água.
  6. Em seguida, recheie cada uma das folhas de repolho com um pouco da carne picada com arroz e dobre em forma de trouxa.
  7. Cozinhe ao vapor ou em uma panela com um pouco de água por 20 a 30 minutos e está pronto a servir. Dica do chef: Pode prender os rolinhos com palitos de madeira para garantir que não abrem.

Sarma de couve, repolho e moussaka preparados pelo chef Robinson Omelczuk — Foto: Mariane Rossi/g1




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Santos.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

alunos-do-instituto-neymar-jr.-estao-preparados-para-a-estreia-do-brasil-e-do-camisa-10-na-copa-do-catar

G1 Santos

Alunos do Instituto Neymar Jr. estão preparados para a estreia do Brasil e do camisa 10 na Copa do Catar

Os alunos do Instituto Neymar Jr. entraram no clima da Copa do Mundo e enfeitaram a Rua Arquiteto Nelson Rocha, que fica ao lado do projeto, em Praia Grande, no litoral de São Paulo. O Brasil estreia nesta quinta-feira (24), às 16h, contra a Sérvia. Entre as imagens pintadas na rua, estão: a Bandeira do Brasil, a camisa de Neymar Jr, a bola da Copa e o mascote Canarinho. Bandeirinhas […]

today24 de novembro de 2022 12

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%