G1 Mundo

Supremo Tribunal do Irã anula sentença de morte para rapper que apoiou protestos no país

today22 de junho de 2024 6

Fundo
share close

O cantor, de 33 anos, foi condenado à morte em abril de 2024 por “corrupção na Terra”, uma das acusações mais graves no Irã.

A condenação foi anulada pelo Supremo na análise da apelação e o caso será enviado a outro tribunal, afirmou o advogado Amir Raïssian na rede social X, antigo Twitter.

Com suas músicas e em suas redes sociais, Toomaj Salehi apoiou o movimento de protestosm iniciado após a morte sob custódia, em 16 de setembro de 2022, de Mahsa Amini, uma jovem curda iraniana detida por supostamente não utilizar o véu.



A justiça iraniana acusou Salehi de “incitar a sedição, reunião, conspiração, propaganda contra o sistema e apoiar os distúrbios”, segundo o seu advogado. Ele foi preso e liberado sob fiança em novembro de 2023.

O rapper iraniano Toomaj Salehi depois de sair da prisão, em novembro de 2023 — Foto: Reprodução/Instagram

Centenas de pessoas, incluindo membros das forças de segurança, morreram durante as manifestações de outubro e novembro de 2022. Milhares foram detidas.

Nove pessoas foram executadas por condenações relacionadas com os protestos, segundo ONGs que acompanham a situação no país.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

american-airlines-afasta-funcionarios-suspeitos-de-discriminacao-racial-contra-homens-negros

G1 Mundo

American Airlines afasta funcionários suspeitos de discriminação racial contra homens negros

Três deles entraram com um processo: Alvin Jackson, Emmanuel Jean Joseph e Xavier Veal. Os homens alegam que foram retirados da aeronave, que partiria de Phoenix, no Arizona, para Nova York, depois de um comissário branco reclamar de mau cheiro corporal. O caso aconteceu em janeiro, mas somente seis meses depois foi anunciado o afastamento dos empregados. "Eles não pareciam estar seguindo nenhuma política ou procedimento. Simplesmente, de improviso, eles […]

today22 de junho de 2024 7

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%