G1 Mundo

Tesouro dos EUA sanciona ex-presidente do Paraguai e atual vice-presidente, cita corrupção

today27 de janeiro de 2023 21

Fundo
share close

O órgão também colocou na lista de sanções quatro entidades pertencentes ou controladas por Cartes.

O Tesouro acusou Cartes de participar de atividades corruptas antes, durante e depois de seu mandato como presidente e alega que a base de sua carreira dependia de “meios corruptos para o sucesso”, enquanto acusou Velázquez de interferir em processos legais para “proteger a si mesmo e a seus associados criminosos” da investigação.

Veja abaixo um vídeo de 2019 sobre investigações brasileiras envolvendo Horácio Cartes.



Lava Jato do Rio pede a prisão do ex-presidente do Paraguai Horácio Cartes

Lava Jato do Rio pede a prisão do ex-presidente do Paraguai Horácio Cartes

Cartes negou em julho irregularidades, quando os EUA fizeram as acusações pela primeira vez. Ele, Velázquez e um porta-voz de seu partido político, o governista Partido Colorado, não responderam imediatamente aos pedidos de comentários nesta quinta-feira (26). Em uma rádio local, Velázquez classificou como falsas as acusações.

As sanções aumentam a pressão sobre o Partido Colorado apenas três meses antes das eleições presidenciais, marcadas para abril. O candidato do Colorado, Santiago Peña, enfrenta Efrain Alegre, um rival que representa uma coalizão de centro-esquerda.

Espera-se que a eleição seja acirrada, com várias questões em jogo, incluindo o reconhecimento de Taiwan pelo Paraguai. Efrain Alegre é a favor do corte de relações para aumentar as exportações para a China.

Entre várias acusações, o Tesouro disse que Cartes forneceu ajuda financeira e incentivos para pressionar seu partido a eliminar uma exigência que teria impedido que ele concorresse como candidato presidencial do partido. Ele também teria pago aos membros do grupo até US$ 10 mil dólares cada para apoiar sua candidatura antes das eleições de 2013.

Como presidente, Cartes teria feito pagamentos mensais a parlamentares de US$ 5 mil a US$ 50 mil por membro em troca de apoio. Em 2017, Cartes prometeu US$ 1 milhão para comprar os votos de parlamentares em uma tentativa malsucedida de aprovar uma reforma constitucional que lhe permitiria concorrer a um segundo mandato, apontou o Tesouro.

O Tesouro disse que Cartes e Velázquez têm laços com membros do Hezbollah, grupo designado pelos EUA como terrorista, que realiza eventos “regularmente” no Paraguai para trocar favores e propinas.

As sanções significam que todas as propriedades e interesses de Cartes e Velázquez nos EUA estão bloqueados, disse o Tesouro.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

ativista-e-condenado-a-28-anos-de-prisao-por-insultar-rei-da-tailandia

G1 Mundo

Ativista é condenado a 28 anos de prisão por insultar rei da Tailândia

O tailandês Mongkol Tirakote, de 28 anos, que trabalha como vendedor de roupas na Internet, foi considerado culpado em dois casos sobre ofensas à família real. Os magistrados reduziram sua pena de 42 para 28 anos depois que ele testemunhou no julgamento, disse seu advogado. O homem vai recorrer da sentença. A corte também estabeleceu uma fiança de 300 mil bah (cerca de R$ 46 mil) para Tirakote, que será […]

today27 de janeiro de 2023 9

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%