G1 Santos

Testemunhas negam confronto entre PM e suspeitos em operação com 5 mortos: ‘chegaram atirando’

today29 de fevereiro de 2024 9

Fundo
share close

No boletim de ocorrência (BO) consta que policiais foram alvos de tiros enquanto estavam em ação contra o tráfico de drogas e reagiram, atingindo os suspeitos, com idades entre 17 e 32 anos (saiba mais abaixo). No entanto, moradores afirmam que a dinâmica foi diferente.

Segundo a população, um dia antes da operação, policiais militares estiveram no local procurando por um drone que teria desaparecido após apresentar um problema e fazer um pouso na área. Na ocasião, os agentes teriam feito ameaças de que retornariam ao local para uma operação.

“Eu estava aqui e vi tudo. Eles chegaram, umas cinco viaturas da Baep [Batalhão de Ações Especiais de Polícia] e simplesmente chegaram já atirando”, disse uma moradora do bairro em entrevista ao repórter Walace Lara, da TV Globo. A mulher teve a identidade preservada.



Um outro morador deu a mesma versão. Ele contou que não existiu troca de tiros e lembrou os sons dos disparos. “Não foi um estampido aberto. Foi tiro de fuzil mesmo”, disse ao repórter da Globo.

Testemunhas negam confronto entre PM e suspeitos em operação com 4 mortos

Testemunhas negam confronto entre PM e suspeitos em operação com 4 mortos

“Era muito tá, tá, tá, tá… muito. Eu achei que tava desmoronando alguma casa, era um barulho muito alto”, complementou a moradora.

No dia seguinte aos disparos, a equipe de reportagem da TV Globo ainda encontrou no local pares de chinelos e ao menos 15 cápsulas de fuzis no chão.

Segundo apurado pelo repórter da TV Globo, cápsulas de outros tipos de arma não foram localizadas. Uma das testemunhas informou que a área não foi periciada.

De acordo com o boletim de ocorrência (BO), obtido pelo g1, uma equipe policial realizava operação de combate ao tráfico de drogas na região e resolveu surpreender traficantes chegando a um ponto de venda por uma área de mata e mangue.

Caso aconteceu em região de mata do bairro Jardim Rio Branco, em São Vicente (SP) — Foto: Marco Antonio Gonçalves/TV Globo

Como o local era de difícil acesso, os policiais solicitaram apoio de outras equipes, que foram em direção ao mesmo destino, mas pela rota normal. Segundo o BO, os traficantes se depararam com esses agentes e, por isso, tentaram fugir pela área de mata. Eles foram surpreendidos pela equipe que fazia a operação e passaram a disparar contra os policiais, que revidaram.

Após o tiroteio, os agentes resgataram cinco homens que estavam caídos no chão baleados e acionaram o socorro. Eles foram encaminhados para hospitais da cidade, mas quatro não resistiram.

Um suspeito, de 24 anos, foi internado no Hospital do Vicentino, sob escolta policial, mas morreu nesta quinta-feira (29), de acordo com a SSP-SP.

No BO, as vítimas fatais foram identificadas como Peterson Souza Da Silva Xavier Nogueira (32 anos), Luiz Henrique Jurovitz Alves De Lima (18 anos), Kauê Henrique Diniz Batista (17 anos) e Marcus Vinícius Jurovitz De Lima (17 anos).

Caso aconteceu no bairro Jardim Rio Branco, em São Vicente — Foto: g1 Santos

Ainda segundo o registro policial, foram encontradas três armas de fogo (dois revólveres calibre 38 e uma pistola calibre 40) e um carregador ao lado dos homens baleados.

Já no ponto de venda de drogas, foram localizadas 68 porções de maconha, 55 pedras de substância aparentando ser crack e 77 porções de cocaína, separadas e embaladas para venda, além da quantia de R$ 729 em espécie e cinco aparelhos celulares.

A Secretaria de Segurança Pública de São Paulo (SSP-SP) afirmou que a informação de que a PM teria perdido um drone na região é improcedente. A pasta ainda enfatizou que o grupo que foi morto estava com drogas e armas, que foram apreendidas.

Em entrevista para a TV Globo, o ouvidor Claudio Aparecido da Silva comentou sobre a denúncia da ocorrência em São Vicente. “Se confirmada a versão da população local ali, a gente está diante de um dos maiores escândalos da segurança pública do Estado de São Paulo, uma vez que isso coaduna [combina] com as várias denúncias que nós temos recebido na Ouvidoria e demonstra que, efetivamente, o que está acontecendo na Baixada Santista não é uma ação de segurança pública. Exatamente o contrário, uma promoção da desordem por parte do Estado”, relatou.

A Operação Verão foi estabelecida na Baixada Santista desde dezembro de 2023. No entanto, as 2ª e 3ª fases, que, respectivamente, contaram com reforço policial e instalação do gabinete de Segurança Pública em Santos, foram decretadas logo após os assassinatos do soldado PM Samuel Wesley Cosmo, no último dia 2, e do cabo José Silveira dos Santos, no dia 7 de fevereiro.

A atual fase da operação, inclusive, contou com a presença do gabinete da SSP-SP na região. A pasta esteve sediada na Baixada Santista durante 13 dias. As mortes dos suspeitos em confrontos com a polícia passaram a ser contabilizadas desde o último dia 7 deste mês.

Policiais militares Marcelo Augusto da Silva, Samuel Wesley Cosmo e José Silveira dos Santos, mortos na Baixada Santista (SP) — Foto: Reprodução/Redes Sociais e g1 Santos

No dia 26 de janeiro, o policial militar Marcelo Augusto da Silva foi morto na rodovia dos Imigrantes, na altura de Cubatão. Ele foi baleado enquanto voltava para casa de moto. Uma grande quantidade de munições estava espalhada na rodovia. O armamento de Marcelo, no entanto, não foi encontrado.

Segundo a Polícia Civil, Marcelo foi atingido por um disparo na cabeça e dois no abdômen. Ele integrava o 38º Batalhão de Polícia Militar Metropolitano (BPM/M) de São Paulo, mas fazia parte do reforço da Operação Verão em Praia Grande (SP).

No dia 2 de fevereiro, o policial das Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar (Rota) Samuel Wesley Cosmo morreu durante patrulhamento de rotina na Praça José Lamacchia. O agente chegou a ser socorrido para a Santa Casa de Santos (SP), mas morreu na unidade.

Uma gravação de câmera corporal obtida pelo g1 mostra o momento em que o soldado da Rota foi baleado no rosto durante um patrulhamento no bairro Bom Retiro (assista abaixo).

Vídeo mostra o PM da Rota sendo baleado no rosto em viela no litoral de SP

Vídeo mostra o PM da Rota sendo baleado no rosto em viela no litoral de SP

Cinco dias depois, o cabo PM José Silveira dos Santos, do 2⁰ Batalhão de Ações Especiais de Polícia (BAEP), morreu ao ser baleado durante patrulhamento no bairro Jardim São Manoel, em Santos. Na ocasião, outro policial militar foi baleado e internado – ele recebeu alta médica no dia 21.

Em números, no estado, a ação da PM só não é mais letal que o episódio conhecido como o ‘massacre do Carandiru’, que aconteceu em 1992. Na ocasião, 111 presos foram mortos durante uma rebelião na Casa de Detenção, na Zona Norte de São Paulo.

Após Massacre do Carandiru: PMs não foram presos e sobreviventes relembram caso

Após Massacre do Carandiru: PMs não foram presos e sobreviventes relembram caso

VÍDEOS: g1 em 1 Minuto Santos




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Santos.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

bale-jovem-de-sao-vicente,-sp,-e-bicampeao-em-premio-no-festival-de-danca-de-florianopolis

G1 Santos

Balé Jovem de São Vicente, SP, é bicampeão em prêmio no Festival de Dança de Florianópolis

O Balé Jovem de São Vicente, no litoral de São Paulo, venceu o Prêmio Desterro 2024. A escola foi considerada a melhor em performance geral no 13º Festival de Dança de Florianópolis, que ocorreu entre 17 e 25 de fevereiro, no Teatro Ademir Rosa. Entre os mais de 120 grupos que concorreram em 14 sessões de mostra competitiva, a escola foi considerada a de melhor performance geral pela comissão de […]

today29 de fevereiro de 2024 2

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%