G1 Mundo

Ucrânia diz ter matado comandante da frota russa no Mar Negro e mais 33 oficiais da Rússia

today25 de setembro de 2023 4

Fundo
share close

O ataque, com uma série de mísseis de alta precisão a grandes distâncias fornecidos pelos Estados Unidos e pela Europa, aconteceu durante uma reunião de altos cargos no quartel-general (leia mais abaixo), o que pode explicar o grande número de oficiais mortos.

“Trinta e quatro oficiais, entre eles o comandante da frota russa do mar Negro, morreram em consequência do ataque”, afirmou o Exército ucraniano em comunicado. “Outros 105 (militares russos) ocupantes ficaram feridos. O prédio do quartel-general não pode ser reparado”.

O quartel-general da frota russa no mar Negro fica no centro da cidade de Sebastopol, dentro da Crimeia, a península ucraniana invadida e anexada pela Rússia em 2014. Desde então, Sebastopol virou uma espécie de balneário para turistas russos – alguns deles até gravaram o momento em que os mísseis atingiram o quartel-general (veja vídeo acima).



A Rússia não havia se pronunciado sobre as supostas mortes até a última atualização desta notícia, mas é de praxe que Moscou não fale sobre baixas militares na guerra da Ucrânia. Na sexta-feira (22), dia do ataque, o Kremlin falou em um militar morto no bombardeio.

Falhas na defesa antiaérea russa

Quartel-general bombardeado fica no centro de Sebastopol, muito frequentado por turistas. — Foto: g1/ arte

Independentemente do número de mortos, o ataque ucraniano colocou holofotes sob uma suposta falha na defesa antiaérea da Rússia. Desde o início da guerra, o Kremlin afirma com frequência ter uma dos melhores sistemas de interceptação de ataques aéreos do mundo.

O Instituto de Estudos da Guerra, um think tank dos Estados Unidos, aponta para a possibilidade de que uma parte significativa desse arsenal de defesa possa já ter sido destruída durante a guerra da Ucrânia.

Isso explicaria o fato de quem a Ucrânia vem conseguindo atacar alvos ucranianos com mísseis, e não mais apenas drones.

Em paralelo, relatórios feitos por serviços de inteligência do Ocidente apontam também a possibilidade de que Kiev esteja fazendo ataques mais “midiáticos” para compensar o avanço tímido de sua operação de contraofensiva no front de batalha.

Desde o fim do ano passado, o Exército ucraniano tenta recuperar o território de seu país ocupado pelas tropas russas após o início da guerra, em fevereiro de 2023. Segundo Instituto para o Estudo da Guerra, cerca de 20% do território ucraniano está atualmente ocupado por tropas russas, a maioria no leste e no sul do país.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

prefeito-da-cidade-de-derna,-a-mais-afetada-nas-enchentes-da-libia,-e-detido

G1 Mundo

Prefeito da cidade de Derna, a mais afetada nas enchentes da Líbia, é detido

Abdulmenam al-Ghaithi é acusado de má gestão e negligência na tragédia que matou mais de 11 mil pessoas. Fotografia aérea mostra destroços da cidade de Derna, na Líbia, atingida por uma enchente causada pela passagem da tempestade Daniel — Foto: Muhammad J. Elalwany/AP O prefeito da cidade de Derna, no leste da Líbia, Abdulmenam al-Ghaithi, foi detido sob suspeita de má gestão e negligência no colapso das barragens que inundaram […]

today25 de setembro de 2023 5

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%