G1 Santos

Universitárias acima dos 40 anos criticam deboche por idade e incentivam estudantes experientes

today15 de março de 2023 9

Fundo
share close

A estudante de pedagogia da Universidade Católica de Santos (UniSantos), Márcia Dolores Lopez, de 52 anos, disse não ter enfrentado problemas com os colegas de sala por ter mais idade, mas, mesmo assim, diante do que assistiu no noticiário, disse acreditar que muitas vezes aos jovens falta o entendimento sobre a contribuição dos mais experientes à sociedade.

Márcia afirmou que se sentiu triste ao ver a situação enfrentada por Patrícia. “Acho que a pessoa com [mais] idade tem suas limitações, mas o intelecto não muda. A gente tem muito a agregar e quando a sociedade compreender isso, como um todo, vai existir essa valorização”.

Prestes a completar 53 anos, a estudante de pedagogia está cursando a segunda graduação. “O que me motivou foi acreditar que tenho muito a contribuir para a sociedade. Eu acho que principalmente na área da educação a gente tem uma carência gigantesca de profissionais para trabalhar”.



Ela afirmou que não é a única com mais de 40 anos na sala, mas que acredita ser a que tem mais idade. “Fui muito bem recebida tanto por professores quanto por alunos que, apesar de jovens, me acolheram muito bem e sempre param para conversar”.

Márcia Dolores Lopez, de 52 anos, e as colegas de sala do curso de pedagogia da UniSantos — Foto: Arquivo Pessoal

Vanessa Silva Souza, de 41 anos, estuda Gastronomia na UniSantos e afirmou que viu na faculdade a chance de um recomeço. “De uma nova vida, de novos caminhos. Cozinhar é uma coisa que sempre gostei muito e não tenho dificuldade de conciliar minha vida até porque tenho um apoio muito grande do meu marido. É um momento meu, para mim, sobre mim e que tudo gira em torno de mim”.

Com 25 anos ela começou o curso de Farmácia, mas precisou interrompê-lo no último ano por causa do nascimento da filha. Aos 40, ela resolveu voltar estudar para realizar o sonho de se formar. “Termino esse ano e quero começar o mestrado”.

Ela contou que ao entrar na faculdade pensou em eventuais conflitos por serem “todos novinhos”. Entretanto, a relação com os demais alunos, segundo ela, foi ótima. “Me sinto extremamente acolhida e amada pelos colegas”.

Vanessa (à direita) ao lado da coordenadora do curso de Gastronomia Michele Uemura — Foto: Arquivo pessoal

Sobre a situação vivida por Patrícia, Vanessa afirmou que não imagina como seria passar por uma situação dessa e que não é possível dimensionar a dor vivida pela outra estudante. “Me senti muito triste pelo o que ela está passando e por saber que, em pleno século XXI, que a gente imagina que os jovens tenham cabeça tão moderna alguém passe por uma situação dessas“.

Vanessa defende e incentiva que pessoas acima de 40 anos estudem e realizem os sonhos. Ela espera que o que aconteceu com Patrícia não desmotive quem tem mais idade a correr atrás das realizações pessoas.

As pessoas podem tirar tudo de você, sua paz, mas o conhecimento é uma coisa que não se tira e não tem idade para adquiri-lo. É bem lamentável [o que aconteceu] e deve acontecer com mais gente”.

Eu sempre escutei que a vida começa aos 40 anos, mas quando eu tinha 20 pensava que era impossível. Percebi com 41 que a vida começa sim aos 40. Tenho planos que não tinha quando era mais jovem, aproveito muito mais as coisas, aproveito a faculdade, aproveito cada momento”.

Mirian Goldenberg, antropóloga e pesquisadora há mais de 30 anos do tema de envelhecimento e felicidade, define o termo etarismo como “velhofobia”, já que, assim, as pessoas conseguem entender de que tipo de violência e assédio se trata.

Em vídeo, universitárias de Bauru debocham de colega de sala de 40 anos

Em vídeo, universitárias de Bauru debocham de colega de sala de 40 anos

Um vídeo que viralizou na internet mostra três estudantes de uma universidade particular de Bauru (SP) debochando de uma mulher que também estuda na instituição pelo fato dela ter 40 anos. A estudante, que na verdade está prestes a completar 45 neste mês, está no primeiro ano de biomedicina.

Uma publicação feita na última sexta-feira (10) no Twitter já soma mais de três milhões de visualizações. Na postagem, uma das universitárias aparece gravando um vídeo para uma rede social enquanto conversa com as outras duas.

No vídeo, ela ironiza: “Gente, quiz do dia: como ‘desmatricula’ um colega de sala?”. Logo depois, outra responde: “Mano, ela tem 40 anos já. Era para estar aposentada”. “Realmente”, concorda a terceira.

Em seguida, a estudante que grava o vídeo diz: “Gente, 40 anos não pode mais fazer faculdade. Eu tenho essa opinião”. Elas chegam a dizer que a mulher “não sabe o que é Google”. (Veja o vídeo acima)

Estudante hostilizada por ter mais de 40 anos cursa biomedicina em Bauru — Foto: Arquivo pessoal

VÍDEOS: Mais assistidos do g1 nos últimos 7 dias




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Santos.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

cover-de-roberto-carlos-e-condenado-por-chamar-miriam-leitao-de-‘terrorista’

G1 Santos

Cover de Roberto Carlos é condenado por chamar Miriam Leitão de ‘terrorista’

A decisão é da juíza Barbara Donadio Antunes Chinen, da 3ª Vara do Foro de Registro, no interior de São Paulo. De acordo com a sentença, Roberto Boni é acusado de ofender a jornalista publicamente, em um vídeo publicado no canal dele no YouTube, o Canal Universo, em outubro de 2018. Boni chegou a ser condenado à dois anos e seis meses de detenção, mas a pena acabou convertida na […]

today15 de março de 2023 16

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%