G1 Mundo

Voo com Julian Assange decola de Bangkok em direção às Ilhas Marianas do Norte

today25 de junho de 2024 3

Fundo
share close

Um acordo com a Justiça dos EUA tirou Assange, o fundador do WikiLeaks, da prisão na segunda-feira (24). Ele é acusado de vazar milhares de documentos confidenciais dos Estados Unidos e estava preso desde 2019 no Reino Unido.

Uma vez nas Ilhas Marianas do Norte, um território dos EUA no Oceano Pacífico, ele vai se apresentar à Justiça americana.

Voo de Julian Assange decola de Bangkok rumo às Ilhas Marianas do Norte — Foto: Reprodução/FlightRadar24



Como parte do acordo, Assange vai se declarar culpado nesta semana por violar a lei de espionagem dos EUA, segundo documento emitido pela Justiça dos EUA. Ele assumirá uma acusação criminal — de conspiração para obter e divulgar documentos classificados de defesa nacional dos EUA — em audiência nas Ilhas Marianas do Norte às 20h de terça-feira no horário de Brasília.

Aeronave que leva Julian Assange até as Ilhas Marianas do Norte taxia em aeroporto de Bangkok após escala para reabastecimento — Foto: Athit Perawongmetha/Reuters

Na audiência, o fundador do WikiLeaks deve ser sentenciado a 62 meses de prisão, tempo que ele já cumpriu no Reino Unido. Após se declarar culpado e passar pela audiência, Assange estará oficialmente liberado e espera-se que ele volte para a Austrália, país do qual é cidadão.

Julian Assange ficou mundialmente conhecido por fundar um grupo de ativistas chamado WikiLeaks, em 2006. Nos anos seguintes, a organização vazou cerca de 700 mil documentos classificados dos Estados Unidos, o que irritou autoridades norte-americanas.

Julian Assange desde de avião durante escala em Bangkok — Foto: Reprodução/WikiLeaks

Diante disso, Assange enfrentou várias acusações e chegou a ficar sete anos asilado na Embaixada do Equador em Londres, antes de ser preso. Ele será oficialmente libertado após anos de batalhas judiciais e um acordo com os Estados Unidos.

Caso fosse extraditado para os EUA, ele poderia ser condenado a até 175 anos de prisão.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

brasileiro-dono-de-clinica-de-estetica-e-preso-nos-eua-por-suspeita-de-fazer-cirurgias-plasticas-sem-licenca-medica

G1 Mundo

Brasileiro dono de clínica de estética é preso nos EUA por suspeita de fazer cirurgias plásticas sem licença médica

Um brasileiro foi preso nos Estados Unidos por suspeita de fazer cirurgias plásticas em um centro de estética sem ter a licença médica necessária. O pernambucano Adley da Silva, de 51 anos, era dono da Cosmetica Plastic Surgery and Anti-Aging, que realizava cirurgias como lipoaspiração, implante de silicone e "levantamento de bumbum brasileiro". Adley era médico assistente, mas não tinha licença de cirurgião, de acordo com as investigações do Departamento […]

today25 de junho de 2024 5

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%