G1 Mundo

A caminho de Israel, Biden enfrenta lista de desafios para tentar conter avanço do conflito no Oriente Médio

today18 de outubro de 2023 9

Fundo
share close

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, está a caminho de Israel, onde irá se reunir com o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu nesta quarta-feira (18). A viagem de Biden tem uma série de desafios embalados por uma escalada nas tensões no Oriente Médio, que enfrenta o 12º dia de um conflito com mais de 4 mil mortos.

O presidente dos Estados Unidos também visitaria a Jordânia após a passagem por Israel, onde se encontraria com autoridades do país, do Egito e da Palestina. No entanto, o encontro foi cancelado após o ataque contra o hospital.

Na segunda-feira (16), o secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken, afirmou que Biden vai reafirmar seu apoio a Israel durante o encontro com Netanyahu.



No entanto, outro ponto importante para o presidente norte-americano é fechar um acordo sobre um corredor humanitário para levar ajuda para civis que estão em Gaza. Estados Unidos e Israel se comprometeram em desenvolver um plano sobre isso.

Além disso, de acordo com especialistas, outro objetivo do governo norte-americano é tentar evitar que o conflito envolva outros países na região como o Irã, o Líbano e a Síria — principalmente após o episódio envolvendo o ataque ao hospital na Faixa de Gaza.

O conflito entre Israel e o Hamas

Israel declara guerra após ataque do Hamas; entenda

Israel declara guerra após ataque do Hamas; entenda

▶️ Como começou o conflito? O confronto se iniciou após o grupo terrorista Hamas lançar centenas de foguetes contra Israel a partir da Faixa de Gaza, em 7 de outubro.

  • Por terra, ar e mar, com motos e parapentes, homens armados invadiram o território israelense pelo sul do país.
  • Houve relatos de que os invasores atiraram em pessoas que estavam nas ruas e sequestraram dezenas de israelenses (incluindo mulheres e crianças), levados como reféns para Gaza.

▶️ Como foi a resposta de Israel? Diante da ofensiva do Hamas, o governo israelense iniciou uma retaliação.

  • “Estamos em guerra e vamos ganhar”, disse o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, logo após o ataque. “O nosso inimigo pagará um preço que nunca conheceu.”
  • Ainda em 7 de outubro, Israel lançou bombas em direção à Faixa de Gaza.

▶️ O que é e onde fica a Faixa de Gaza? É o território palestino localizado em um estreito pedaço de terra na costa oeste de Israel, na fronteira com o Egito.

  • Marcado por pobreza e superpopulação, tem 2 milhões de habitantes morando em um território de 360 km².
  • Para se ter uma ideia desse tamanho em comparação com cidades brasileiras, o território é um pouco maior que o da cidade de Fortaleza (312,4 km²) e menor que o de Curitiba (434,8 km²).
  • Tomada por Israel na Guerra dos Seis Dias, em 1967, e entregue aos palestinos em 2005, Gaza vive um bloqueio de bens e serviços imposto por seus vizinhos de fronteira.

▶️ Qual é o histórico do conflito na região? A disputa entre Israel e Palestina se estende há décadas e já resultou em inúmeros enfrentamentos armados e mortes.

  • Em sua forma moderna, remonta a 1947, quando a Organização das Nações Unidas (ONU) propôs a criação de dois Estados, um judeu e um árabe, na Palestina, sob mandato britânico.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

governo-e-oposicao-na-venezuela-assinam-acordo-eleitoral;-eua-devem-retirar-sancoes-financeiras-contra-o-pais

G1 Mundo

Governo e oposição na Venezuela assinam acordo eleitoral; EUA devem retirar sanções financeiras contra o país

Com esse acordo, os Estados Unidos devem começar a retirar algumas das sanções econômicas impostas contra a Venezuela. A eleição presidencial do país acontecerá no segundo semestre de 2024, afirma o acordo eleitoral, e observadores internacionais serão autorizados a monitorar a votação. Cada lado pode escolher seu candidato de acordo com suas regras internas, mas esse acordo não reverteu as proibições já impostas a algumas figuras da oposição -- incluindo […]

today18 de outubro de 2023 8

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%