G1 Mundo

Após retirar tropas do sul da Faixa de Gaza, Israel diz que está ‘a um passo da vitória’

today7 de abril de 2024 9

Fundo
share close

O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, disse neste domingo (7) que o país está “a um passo da vitória” na guerra contra o Hamas na Faixa de Gaza, segundo agências de notícias internacionais.

Netanyahu garantiu, ainda, que Israel não concordará com um cessar-fogo até que o Hamas liberte todos os reféns israelenses, capturados há seis meses, no ataque terrorista de 7 de outubro de 2023.

A declaração do primeiro-ministro acontece no mesmo dia em que Israel retirou a 98ª Divisão de suas Forças Armadas da Faixa de Gaza. Além disso, segundo um porta-voz do Exército, não há mais nenhuma tropa ativa operando no sul do enclave – região onde os ataques israelenses se concentraram nestes seis meses de guerra.



Ao portal Haaretz, o porta-voz explicou que a saída dos militares aconteceu pelo “esgotamento de todas as operações de inteligência e combate na região” e negou que isso tenha tido influência de uma pressão do governo dos Estados Unidos sobre Netanyahu.

De acordo com o porta-voz, o exército israelense já fez tudo o que podia na região e matou milhares de integrantes do Hamas. Ele também pontuou que, com a saída, os palestinos poderão voltar para suas casas.

“Nossa missão era desmantelar a Brigada Khan Yunis do Hamas, e conseguimos isso. Nossa segunda missão foi devolver os reféns e falhamos nossp. A operação no complexo hospitalar de Al-Shifa contribuiu para a decisão de mudar a nossa percepção em relação aos combates na Faixa Sul”, comentou o porta-voz.

Os próximos passos dos militares ainda não estão completamente definidos, mas Israel planeja designar três divisões para a fronteira da Faixa de Gaza, além de permanecer no Kibutz de Kissufim.

A retirada ocorre num momento em que o Egito se prepara para acolher uma nova ronda de negociações destinadas a alcançar um cessar-fogo e um acordo para a libertação de reféns.

Desde o início da guerra, cerca de 1.200 israelenses foram mortos com os ataques do Hamas e 33 mil palestinos morreram nos contra-ataques de Israel. Ainda há centenas de reféns.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

o-papel-do-canibalismo-nas-cerimonias-do-crime-organizado-no-mexico

G1 Mundo

O papel do canibalismo nas cerimônias do crime organizado no México

Seria possível existir uma teologia por trás de gangues armadas que, sem nenhuma piedade, sequestram, torturam, matam e esquartejam seus rivais e traidores, chegando ao extremo de ingerir carne humana? O antropólogo Claudio Lomnitz, da Universidade de Columbia, nos Estados Unidos, acredita que sim, existe uma espiritualidade que oferece sustentação moral a essas práticas delituosas. No seu livro Para una Teología Política del Crimen Organizado ("Para uma teologia política do […]

today7 de abril de 2024 8

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%