G1 Mundo

Boris Johnson esquece documento e é barrado em posto de votação por desobedecer lei criada por ele mesmo

today3 de maio de 2024 11

Fundo
share close

Em 2002, quando ele ainda estava no governo, ele passou a exigir que as pessoas apresentassem documento com foto para evitar fraudes eleitorais.


O ex-primeiro-ministro britânico Boris Johnson é visto no Aeroporto de Gatwick, perto de Londres, na Inglaterra, em 22 de outubro de 2022 — Foto: REUTERS/Henry Nicholls



Quando o ex-primeiro-ministro Boris Johnson, do Reino Unido, estava no governo, ele determinou que os eleitores precisam apresentar um documento com foto para poder votar. Nesta quinta-feira (2), ele mesmo foi barrado em um posto de votação porque se esqueceu de levar o documento.

A mídia do Reino Unido afirma que Johnson, que saiu do governo em 2022, foi inicialmente proibido de votar em eleições no condado de Oxfordshire. Um porta-voz dele afirmou que, em algum momento, Johnson votou, mas não negou que o ex-primeiro-ministro não apresentou documento com foto.

Documento para poder votar

Em 2022, quando ele ainda estava no governo, ele passou a exigir que as pessoas apresentassem documento com foto para evitar fraudes eleitorais. A medida foi criticada na época porque poderia afastar uma parte do eleitorado das urnas.

Antes dessa lei, os eleitores só precisavam dizer qual era o nome e o endereço para poder votar.

Em 2021, quando ele era primeiro-ministro, ele disse que achava que não era despropositado pedir para que eleitores apresentassem alguma evidência de sua identidade.

No ano passado, quando a lei entrou em vigor, cerca de 14 mil pessoas não puderam votar porque não apresentaram um documento.

Uma pesquisa feita pela YouGov mostra que 14% dos britânicos não sabiam da exigência de documento com foto para votar.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

governo-do-arizona-revoga-lei-antiaborto-de-1864-que-havia-sido-reativada-pela-suprema-corte-estadual

G1 Mundo

Governo do Arizona revoga lei antiaborto de 1864 que havia sido reativada pela Suprema Corte estadual

Antes de chegar à governadora, a emenda para barrar a volta da lei foi aprovada na Câmara e no Senado com a ajuda de políticos republicanos, que votaram contra sua legenda. A assinatura de Hobbs aconteceu apenas um dia após a decisão do Senado, que teve 16 votos a favor e 14 contra. Com a revogação formalizada nesta quinta, o direito ao aborto no Arizona volta a ser como era […]

today3 de maio de 2024 4

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%