G1 Santos

Caramujos em escola de Praia Grande preocupam pais de alunos por riscos de doenças; veja orientações

today28 de maio de 2024 5

Fundo
share close

Em nota, a Diretoria de Ensino de São Vicente afirmou que não há infestação do molusco na unidade. A pasta explicou, porém, que o maior número de animais tem relação com o clima na região.

A mãe de uma aluna, de 15 anos, contou ao g1 que o vídeo foi gravado na segunda-feira (27), mas ela já havia reclamado dos caramujos em uma reunião escolar. Na ocasião, de acordo com a mulher, outros responsáveis demostraram preocupação com a saúde dos estudantes e nada foi resolvido.

“O caramujo sobe pela parede, por conta do mato que tem do lado de fora da janela, e entra na sala. Os alunos mesmo pegam uma folha de caderno e tiram [o animal] porque, se deixar, fica lá”, afirmou a mãe, que não quis se identificar.



Caramujo foi filmado dentro de sala de aula em Praia Grande (SP) — Foto: Arquivo pessoal e Fernanda Bonilha/g1 (imagem ilustrativa)

A Secretaria de Educação (Seduc) do Estado de São Paulo disse à equipe de reportagem que a dedetização na escola é feita semestralmente. De acordo com a pasta, o mato ao redor da unidade é aparado regularmente, sendo a próxima poda a ser realizada assim que o período de chuva terminar.

A Seduc acrescentou ainda que a unidade de ensino promove ações de conscientização sobre a importância de manter os espaços limpos e os alimentos bem lavados. De qualquer forma, a administração da escola está à disposição dos alunos e responsáveis para mais esclarecimentos.

A Prefeitura de Grande, por sua vez, afirmou que a equipe de Saúde Ambiental fez uma vistoria na escola nesta terça-feira (28) e não encontrou nenhum caramujo. A gestão da unidade de ensino foi orientada em como fazer a coleta e o descarte correto do animal.

Sobre o excesso de lixo destacado pela mãe da aluna, a administração municipal disse que a Secretaria de Serviços Urbanos (Sesurb) realizou a limpeza da área. “A situação só ocorre porque, infelizmente, os moradores insistem em descartar lixo em locais inadequados”, afirmou a pasta.

Caramujo africano (imagem ilustrativa) — Foto: Reprodução/TV Mirante

O biólogo e professor universitário, Jorge dos Santos, explicou ao g1 que a espécie de molusco terrestre vista na escola é conhecida como caramujo africano (Achatina Fulica). Ele afirmou que o animal é comum no litoral de São Paulo e em outras regiões que apresentam calor e umidade.

De acordo com o especialista, os caramujos se alimentam de matéria orgânica em decomposição, como restos de alimentos e fezes de outros animais. Esta espécie de molusco gosta de ambientes urbanos por oferecer abrigo e menor exposição de predadores.

À equipe de reportagem, Jorge afirmou que o caramujo pode causar uma doença chamada Angiostrongiliase. Os sintomas são dores de cabeça, náuseas, vômitos, meningite e paralisia. Em casos graves, leva à morte. Confira os mecanismos de transmissão:

🐌Contato direto com o caramujo ou o muco [fluído que o animal excreta] dele

🚰Ingestão de água e alimentos contaminados pelo o muco do animal

🍖Consumo de carne de animais infectados pelo molusco

🦠Encostar em um local contaminado e levar as mãos sujas até a boca, olhos ou nariz

VÍDEOS: g1 em 1 minuto Santos




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Santos.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

tias-de-menino-levado-a-forca-pela-mae-sao-presas-por-ajudarem-mulher-a-fugir-com-filho;-video

G1 Santos

Tias de menino levado à força pela mãe são presas por ajudarem mulher a fugir com filho; VÍDEO

O menino, de cinco anos, desapareceu após ser levado em 23 de abril. No dia seguinte, a Justiça expediu um mandado de busca e apreensão do menor. Conforme decisão judicial provisória, a guarda da criança é compartilha entre o pai e a avó paterna (leia mais abaixo) A Delegada Deborah Lázaro, da Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) de Santos, afirmou à equipe de reportagem que as duas mulheres, de […]

today28 de maio de 2024 4

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%