G1 Mundo

Ciclone Mocha obriga milhares a deixarem suas casas em Bangladesh e Mianmar

today13 de maio de 2023 13

Fundo
share close

A aproximação do ciclone Mocha, que deve atingir o litoral de Bangladesh e de Mianmar neste domingo (14), fez milhares de pessoas deixarem suas casas. As fortes tempestades, com ventos de até 175 km/h, são esperadas para a costa leste dos dois países.

No caminho dos temporais, está a região de Cox’s Bazar, em Bangladesh, distrito fronteiriço que abriga um acampamento com cerca de um milhão de refugiados da etnia rohingya. A maioria fugiu de uma repressão liderada pelos militares em Mianmar, em 2017.

De acordo com o Departamento Meteorológico de Bangladesh, o ciclone Mocha deve se intensificar no domingo e atingir principalmente Cox’s Bazar, que fica na fronteira entre os dois países.



Fora dos campos de refugiados, pelo menos 5 mil pessoas já se mudaram para abrigos contra ciclones em Bangladesh. As autoridades do país também informaram que estão trabalhando para evacuar 500 mil pessoas que estariam no caminho do ciclone.

Categorizado como uma tempestade ciclônica muito severa, capaz de desencadear ondas do mar de até 3,66 metros, o ciclone Mocha também deve atingir o estado de Rakhine e a região noroeste de Mianmar, onde seis milhões de pessoas precisam de assistência humanitária e 1,2 milhão estão deslocadas, segundo o gabinete humanitário da ONU.

Em Bangladesh, Mohammad Shamsud Douza, autoridade governamental responsável pelos refugiados, afirmou que os trabalhos estão concentrados em “salvar vidas”. “As pessoas que correm o risco de deslizamentos de terra serão retiradas”, disse.

Ainda segundo Shamsud Douza, milhares de trabalhadores comunitários e voluntários já foram mobilizados, juntamente com equipes médicas e de resgate que estão de prontidão.

Em Mianmar, pelo menos 10 mil pessoas deixaram suas casas no Estado de Rakhine, para áreas mais seguras, segundo a mídia local.

“Todo mundo está tentando deixar a cidade desde a tarde de ontem”, disse um morador da capital de Rakhine, Sittwe, que pediu para não ser identificado. “Poucas pessoas permanecem na minha rua, apenas minha família.”

Em Mianmar, o Programa Mundial de Alimentos disse que estava preparando suprimentos de emergência que poderiam ajudar mais de 400 mil pessoas em Rakhine e arredores por um mês.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

por-que-palestinos-seguram-chaves-na-nakba,-quando-lamentam-criacao-de-israel

G1 Mundo

Por que palestinos seguram chaves na Nakba, quando lamentam criação de Israel

Todos os anos, no dia da Nakba, os palestinos saem às ruas com uma das relíquias mais preciosas que muitas famílias guardam e conseguiram manter de geração em geração: as chaves das casas das quais foram expulsos há 75 anos, e para as quais nunca puderam retornar. "Eles guardaram as chaves porque há esperança e desejo de voltar, elas são o símbolo dessas casas, não importa se ainda estão de […]

today13 de maio de 2023 17

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%