G1 Mundo

Colapso de represa na Ucrânia arrasta guerra para terreno perigoso e desconhecido

today7 de junho de 2023 11

Fundo
share close

Enquanto Ucrânia e Rússia exercitam o jogo de culpas pela destruição da represa de Nova Kakhovka, milhares de pessoas fogem, são retiradas ou se abrigam no telhado de suas casas, testemunhas de mais uma catástrofe que se abate no palco da guerra que se desenrola há 469 dias.

Este desastre ambiental arrasta o conflito para uma etapa perigosa e ainda desconhecida para os dois países.

Do lado ucraniano, a destruição parcial da barragem e os prejuízos pela inundação são mais óbvios. Pelo menos 150 toneladas de óleo vazaram no Rio Dnipro, que irriga a agricultura do sul do país.



Maior usina nuclear da Europa, a segurança central de Zaporizhzhia, a 120 km da represa, também está sob ameaça. E a elevação do nível de água na região sul pode inviabilizar o acesso à Crimeia, dando mais tempo à Rússia para fortalecer sua defesa.

Barragem que se rompeu no sul da Ucrânia em 6 de junho de 2023 fica a 125 km da usina de Zaporizhzhia, a maior central nuclear da Europa — Foto: Arte g1

A barragem está sob controle russo desde o início da invasão da Ucrânia, há 15 meses, e é fundamental no fornecimento de água potável para a península da Crimeia, anexada pela Rússia. Especialistas acreditam que o abastecimento na região será afetado por vários anos.

As circunstâncias do rompimento da represa ainda são nebulosas, embora Moscou assegure ser obra de sabotadores ucranianos, e Kiev acuse terroristas russos. O duelo de acusações expõe o potencial do desastre ambiental para os dois campos.

O fato é que o colapso da Nova Kakhovka ocorre quando a Ucrânia tem planos para deflagrar uma contraofensiva contra a Rússia, com o objetivo de recuperar o território perdido. Uma tragédia civil de grande porte como essa canalizaria esforços e recursos para socorrer as vítimas e poderia retardar a tão planejada reação ucraniana.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

quem-sao-as-centenas-de-milhares-de-russos-que-estao-deixando-a-russia-e-para-onde-estao-indo

G1 Mundo

Quem são as centenas de milhares de russos que estão deixando a Rússia e para onde estão indo

Depois de formada, Svetlana trabalhou como gerente de produtos em diversas empresas. "Nunca pensei que precisaria sair [do país], meus planos eram de me aposentar em Moscou", conta. "Eu amo a Rússia e gostava da minha vida." Cidadãos russos já vinham deixando o país desde antes da guerra na Ucrânia. Entre eles, estavam as pessoas que discordaram da anexação da Crimeia pela Rússia em 2014 e das novas leis que […]

today7 de junho de 2023 15

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%