G1 Mundo

‘Eixo de Resistência’: conheça os grupos envolvidos na crise do Oriente Médio apoiados pelo Irã

today14 de abril de 2024 8

Fundo
share close

Mesmo estando diretamente fora da guerra, o Irã vem há anos apoiando grupos que atacaram Israel recentemente. Esses grupos, unidos, se denominam como Eixo da Resistência.

Além do Hamas, fazem parte do eixo o Hezbollah, os Houthis e grupos armados xiitas no Iraque e na Síria.

Veja, a seguir, como esses grupos surgiram e se aproximaram do governo iraniano.



Foto de arquivo mostra um combatente do braço armado do Hamas durante uma parada militar — Foto: Getty Images

O nome em árabe é um acrônimo para Movimento de Resistência Islâmica, que teve origem em 1987 após o início da primeira intifada palestina contra a ocupação israelense da Cisjordânia e da Faixa de Gaza.

O grupo não aceita as condições propostas pela comunidade internacional: reconhecer Israel, aceitar os acordos anteriores e renunciar à violência.

O grupo tem um braço político e também atua com operações militares. Desde 2007, o Hamas passou a controlar a Faixa de Gaza.

Membros do Hezbollah desfilam durante um comício que marca o Dia de Al-Quds nos subúrbios ao sul de Beirute — Foto: Mohamed Azakir/Reuters

O Hezbollah também é um partido político legítimo –eles participam das eleições parlamentares e têm seus deputados.

Atualmente, o grupo é conhecido pela força militar, pela influência política e pelo alinhamento ao Irã. Além disso, o Hezbollah também controla algumas partes do território libanês.

Ao longo dos anos, o Hezbollah serviu de modelo para outros grupos apoiados pelo Irã no Oriente Médio, inclusive fornecendo ajuda e treinamento.

O grupo tem realizado ataques constantes contra alvos israelenses na fronteira entre o Líbano e Israel desde outubro de 2023.

O Hezbollah diz que os ataques conduzidos pelo grupo ajudaram a desgastar o Exército de Israel. Por outro lado, libaneses e israelenses que moram na região foram forçados a deixar as próprias casas em busca de segurança.

Fontes de segurança israelenses dizem que Israel matou cerca de 240 combatentes do Hezbollah, incluindo comandantes de alto escalão no Líbano, desde 7 de outubro de 2023. Outros 30 membros do grupo foram mortos em ataques israelenses na Síria.

Os Estados Unidos e alguns países aliados consideram o Hezbollah como uma organização terrorista.

Os houthis se tornaram uma força poderosa no Iêmen — Foto: REUTERS

O grupo rebelde Houthi conseguiu o controle de áreas do Iêmen durante uma guerra civil que começou no país em 2014. À época, os houthis tomaram a capital Sanaa e derrubaram o governo do país, que fazia oposição ao Irã.

O conflito no Iêmen levou a Arábia Saudita a intervir na região, apoiando o governo que havia sido deposto pelo grupo rebelde. Os sauditas também acusaram o Irã de armar, treinar e financiar os houthis.

Em outubro de 2023, os houthis entraram no conflito entre Israel e o Hamas disparando foguetes contra o território israelense.

Nas semanas seguintes, o grupo passou a atacar navios no Mar Vermelho com o objetivo de atingir Israel. Isso prejudicou e trouxe insegurança à rota de navegação mais curta entre a Europa e a Ásia.

Os ataques em alto mar levaram os Estados Unidos e o Reino Unido a bombardear alvos do grupo rebelde no Iêmen, em janeiro deste ano.

Os EUA acreditam que a Guarda Revolucionária do Irã tem ajudado a planejar e realizar ataques dos houthis. O Irã nega envolvimento.

Resistência Islâmica no Iraque

Homens diante da entrada de quartel-general da milícia pró-Irã Hashd Al-Shaabi, em Bagda, no Iraque, atacado por drones em 4 de janeiro de 2024. — Foto: Hadi Mizban/ AP

Grupos xiitas ligados ao Irã ganharam força no Iraque após o país ser invadido pelos Estados Unidos em 2003. Esses grupos desenvolveram milícias com milhares de combatentes.

Em outubro do ano passado, uma união de grupos chamada Resistência Islâmica no Iraque fez ataques contra forças militares norte-americanas instaladas no Iraque e na Síria.

O objetivo da resistência com os ataques seria uma resposta aos bombardeios de Israel na Faixa de Gaza, além das operações militares norte-americanas em solo iraquiano.

A Casa Branca afirmou que o Irã estava por trás dessa e de outras operações. Já o governo iraniano negou a acusação.

Em 1º de abril, a Resistência Islâmica no Iraque reivindicou a responsabilidade por um ataque aéreo em Eilat, em Israel.

Presidente sírio, Bashar al-Assad, participa de reunião do seu partido — Foto: Sana / AFP

O governo sírio liderado pelo presidente Bashar al-Assad faz parte do Eixo de Resistência.

Apesar de ainda não ter desempenhado nenhum papel direto no conflito entre Israel e o Hamas, a Síria tem sido usada como palco para uma escalada de tensões.

Tanto milícias apoiadas pelo Irã quanto o próprio Exército de Israel já fizeram ataques contra alvos inimigos dentro da Síria.

Forças apoiadas pelo Irã também estão posicionadas na Síria. Os governos dos dois países afirmam que forças iranianas estão em território sírio desempenhando um papel consultivo.

VÍDEOS: mais assistidos do g1




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

o-alerta-maximo-em-israel-apos-ataque-iraniano-sem-precedentes

G1 Mundo

O alerta máximo em Israel após ataque iraniano sem precedentes

Foi a primeira vez que o Irã realizou ataques diretos contra o território de Israel. Os dois inimigos estão envolvidos há anos numa guerra paralela (shadow war). O Irã vinha usando as chamadas forças "por procuração" (proxy) — ou seja, usando terceiros na disputa, evitando assumir um confronto direto. Os militares israelenses disseram que Israel e outros países interceptaram mais de 300 mísseis de cruzeiro e drones, a maioria fora […]

today14 de abril de 2024 8

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%