G1 Mundo

EUA acusam Hamas de travar acordo para abrir fronteira entre Gaza e Egito

today15 de outubro de 2023 7

Fundo
share close

Segundo o conselheiro de Segurança Nacional dos Estados Unidos, Jake Sullivan, tanto o governo egípcio quanto o israelense – que negociam com mediação dos EUA a abertura da fronteira – já concordaram em criar o corredor para a saída de estrangeiros. Mas o grupo terrorista, que governa a Faixa de Gaza, travou a abertura, afirmou Sullivan.

“Os egípcios concordaram em permitir que os americanos cruzassem a fronteira por Rafah (a cidade fronteiriça). Os israelenses garantiram que tentariam, no que cabe a eles, manter a área segura. Ontem (14) tentamos retirar um grupo (de cidadãos norte-americanos), mas a questão foi que o Hamas impediu que isso acontecesse”, disse o conselheiro, em entrevista à rede norte-americana CBS.

Neste domingo (15), o secretário de Estado dos Estados Unidos, Antony Blinken, foi ao Cairo, no Egito, onde se reuniu com o presidente do país, Abdel Fattah al-Sisi, para pressioná-lo a abrir os postos de controle.



Localizada entre o sul de Gaza e o nordeste do Egito, Rafah é a única saída da Faixa de Gaza fora das fronteiras com Israel. Por conta disso, se tornou um ponto de concentração para milhares de palestinos e centenas de estrangeiros que tentam deixar a região de conflito.

Infográfico mostra limites entre Faixa de Gaza, Rafah, Israel e Egito. — Foto: Editoria de arte/g1

Desde de quinta-feira (12), os governos de Israel e Egito negociam a abertura do posto de controle para a passagem de civis. À Associated Press e a rede de TV Al-Jazeera, as autoridades dos dois países informaram ter chegado a um acordo, mas não especificaram quando a fronteira seria aberta.

O possível acordo prevê apenas a saída de estrangeiros: e o Hamas e o presidente do Egito já afirmaram que cidadãos palestinos não serão permitidos nessa passagem.

O ministro Mauro Vieira informou a última sexta-feira (13) que os cidadãos deverão pegar a aeronave presidencial próximo à fronteira com o território palestino, no Egito , e não mais na capital, Cairo, como estava sendo inicialmente negociado.

O conflito entre Israel e Palestina teve início no sábado (7), após terroristas do grupo Hamas iniciarem um ataque sem precedentes contra o território israelense. Israel declarou guerra ao grupo terrorista, e os bombardeios entre os dois lados continuam desde então.

Até o momento, a guerra deixou 4.070 mil pessoas morreram no confronto – 2.670 mil em Gaza, segundo o último balanço palestino, divulgado neste domingo, e 1,4 mil em Israel, segundo as autoridades locais.

A maioria das mortes de ambos os lados são de civis – crianças estão entre as vítimas.

Desde os ataques, os hospitais da região sofrem com a falta de equipamentos, medicamentos e espaço para atender as vítimas da guerra.

Sem espaço nos cemitérios e diante do risco iminente de transportar vítimas para os hospitais, as autoridades de saúde na Faixa de Gaza – controlada pelo Hamas – estão armazenando os corpos dos palestinianos mortos pelos ataques aéreos israelitas em caminhões refrigerados.

Israel declara guerra após ataque do Hamas; entenda

Israel declara guerra após ataque do Hamas; entenda

Quem é quem no conflito Israel x Hamas

Quem é quem no conflito Israel x Hamas




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

polonia-vai-as-urnas-neste-domingo-e-resultado-pode-determinar-futuro-da-relacao-com-a-uniao-europeia

G1 Mundo

Polônia vai às urnas neste domingo e resultado pode determinar futuro da relação com a União Europeia

Os locais de votação abriram cedo nesta manhã e os primeiros resultados são esperados para o início da noite.   Segundo as pesquisas de intenções de voto, o partido populista Lei e Justiça (PiS) obteria a maioria das cédulas, mas pode ter dificuldade de formar uma coligação governamental, abrindo caminho para a oposição pró-União Europeia liderada pelo ex-presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk. “Estas são as eleições mais importantes desde […]

today15 de outubro de 2023 8

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%