G1 Santos

Gabinete de Segurança Pública retorna a SP após 13 dias na Baixada Santista, prisão de suspeito de matar PM e 28 mortes em operação

today19 de fevereiro de 2024 1

Fundo
share close

De acordo com o titular da pasta, Guilherme Derrite, a volta do gabinete à capital não interfere no andamento da operação na Baixada Santista.

“O combate ao crime organizado continua para que possamos devolver a paz e a tranquilidade aos moradores e visitantes da região”, disse Derrite, em conteúdo divulgado pela SSP-SP.

A pasta acrescentou que, até o momento, durante toda a Operação Verão, mais de 681 pessoas foram presas, sendo 254 delas procuradas pela Justiça por algum tipo de crime. Além disso, quase meia tonelada de drogas foi apreendida, e 79 armas ilegais foram retiradas das ruas.



Segundo a SSP-SP, Derrite acompanhou presencialmente, junto com o comandante-geral da PM, o coronel Cássio Araújo de Freitas, e o delegado-geral da Polícia Civil, Artur Dian, as ações para combater o crime organizado, o tráfico de drogas e o planejamento estratégico para localizar e prender responsáveis por ataques a policiais na Baixada Santista.

Além do reforço no policiamento ao longo da Operação Verão, a Baixada Santista também teve aumento de contingente com tropas dos Batalhões de Ações Especiais do Grande ABC, de Guarulhos e da Região Metropolitana de São Paulo. A SSP-SP acrescentou que a equipe de Polícia Civil também foi reforçada para conduzir as investigações.

‘Japa do Crime’ (à dir.) foi uma das presas durante a Operação Verão no litoral de SP — Foto: @guilhermederrite + Divulgação/Polícia Civil

Entre os principais presos durante a operação está Karen Tanaka Mori, conhecida como ‘Japa’, que é viúva de um chefe de facção morto em 2018 e suspeita de lavar dinheiro para a organização. Além dela, os agentes também prenderam Caio Vinicius, apelidado de ‘Nego Boy’ e acusado de liderar o tráfico de drogas na comunidade onde o soldado Cosmo foi morto.

Outra prisão destacada pela pasta foi a de Kaique Coutinho do Nascimento, acusado de matar o soldado Cosmo. ‘Chip’, como é conhecido o suspeito, foi identificado durante a terceira fase da Operação Verão e detido em Uberlândia, por policiais de Minas Gerais.

PM da Rota Samuel Wesley Cosmo (à esq.) morreu após ser baleado por Kaique Coutinho do Nascimento, o ‘Chip’ (à dir.) — Foto: Reprodução e Divulgação/Polícia Civil

Em nota, a SSP-SP afirmou que todos os casos são rigorosamente investigados pela 3ª Delegacia de Homicídios da Deic de Santos, com o acompanhamento do Ministério Público e do Poder Judiciário.

Relembre outras mortes em confrontos policiais no litoral de SP:

O primeiro suspeito, que não foi identificado, morreu na madrugada. O caso aconteceu na Avenida Francisco da Costa Pires, no bairro São Jorge, em Santos. Segundo a SSP-SP, policiais da Rota estavam em operação no local quando foram recebidos a tiros pelo homem e revidaram. O suspeito chegou a ser socorrido ao Hospital Vicentino, mas não resistiu.

José Marcos Nunes da Silva, de 45 anos, foi morto dentro do próprio barraco na comunidade do Sambaiatuba — Foto: Arquivo Pessoal e g1 Santos

Por volta das 11h do mesmo dia, outro suspeito – também não identificado – morreu na Rua Joaquim Teixeira de Carvalho, no bairro do Bom Retiro, em Santos. Ele foi atingido após atirar contra policiais do 3º BPChq.

Durante aquela noite, outras três mortes foram registradas na Vila dos Criadores, também em Santos. De acordo com a SSP-SP, suspeitos atiraram contra policiais que faziam uma incursão na região e, depois, fugiram. No entanto, houve troca de tiros e o trio acabou atingido.

Rodnei da Silva Sousa, de 28 anos, morreu após ser baleado por tiros de fuzis de dois PMs da Rota no Morro São Bento, em Santos. Ele estava em um carro de aplicativo que foi abordado pelos agentes.

Segundo o boletim de ocorrência, o motorista de aplicativo atendeu a ordem dos policiais e desceu. Porém, o passageiro, que estava no banco da frente, teria apontado uma arma contra os agentes. Dois PMs reagiram e dispararam.

Rodnei veio de Peruíbe e vivia no Morro do São Bento, em Santos (SP); ele deixou filho de 4 anos — Foto: Arquivo pessoal

  • Quarta-feira (7) – seis mortos

Gabriel da Silva Batista de Sena, de 14 anos, morreu após ser baleado por uma equipe da Polícia Rodoviária na Rodovia dos Imigrantes, durante a madrugada, na altura de Cubatão. Segundo boletim de ocorrência, obtido pelo g1, policiais viram três homens em atitude suspeita andando na beira da rodovia. Eles desembarcaram da viatura e foram surpreendidos por disparos de arma de fogo.

Na mesma data, outro suspeito, identificado como Davi Gonçalves Junior, de 20 anos, morreu após ser baleado em uma casa na Avenida Oswaldo Toschi, no bairro Parque, em São Vicente. Ele teria apontado uma arma para os policiais, que atiraram novamente em legítima defesa.

Durante a noite, por volta das 21h50, outros dois homens morreram em Itanhaém. Segundo a PM, uma equipe da Força Tática estava em patrulhamento na Rua Manoel Francisco Lisboa, no bairro Belas Artes, quando avistou suspeitos. Eles efetuaram diversos disparos de arma de fogo contra a equipe, que se defendeu. Dois homens foram baleados e morreram no local, enquanto os demais fugiram.

Mais tarde naquela noite, por volta das 22h45, um homem identificado como Jonathan Correa de Oliveira, morreu baleado por policiais militares do 6º Batalhão de Ações Especiais de Polícia (BAEP) na comunidade da Vila dos Pescadores, em Cubatão (SP). Ao notar a aproximação da equipe, o suspeito teria sacado uma pistola e atirado diversas vezes contra os policiais militares, que revidaram.

Suspeito que morreu em São Vicente foi levado ao PS Central, mas chegou sem vida — Foto: Alexsander Ferraz/A Tribuna Jornal

  • Quinta-feira (8) – dois mortos

Dois homens, que ainda não foram identificados, morreram em confronto com policiais militares da Rota em frente a um terreno baldio de Santos.

De acordo com o boletim de ocorrência, agentes averiguavam uma denúncia sobre a localização do acusado de matar o policial Samuel Wesley Cosmo, quando viram homens que dispararam contra os PMs enquanto fugiam. Uma outra equipe se deparou com os indivíduos e durante confronto, dois suspeitos foram baleados.

  • Sexta-feira (9) – quatro mortos

Por volta das 10h30, um adolescente de 16 anos morreu após entrar em confronto com policiais militares no bairro Vila Voturuá Independência, em São Vicente. A equipe policial apurava uma denúncia de tráfico de drogas.

Com o adolescente, foi apreendida uma mochila com 66 pinos com cocaína, 96 pedras de crack, 48 porções de haxixe e 44 cigarros de maconha, além de porções de K9, um caderno com anotações, um celular, a quantia de R$ 389,00 e revólver calibre 22 municiado.

Confronto aconteceu no Morro São Bento, em Santos (SP) — Foto: Reprodução

De acordo com a corporação, a dupla passou a atirar na direção dos policiais, que revidaram com tiros de fuzis. Ao todo, foram dez disparos: sete realizados por um dos agentes e três por outro. Os homens, identificados como Jefferson Ramos Miranda e Leonel Andrade Santos, foram levados até o hospital, mas não resistiram.

Na quarta-feira (7), Davi Gonçalves Junior, morto em uma casa na Avenida Oswaldo Toschi, no bairro Parque, em São Vicente, estava acompanhado de Hilderbrando Simão Neto, de 24 anos. Este suspeito foi baleado, socorrido pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e levado ao Hospital do Vicentino, onde permaneceu internado sob escolta policial até morrer na sexta-feira (9).

  • Quarta-feira (14) – um morto

Um homem, de 33 anos, morreu após ser baleado por policiais militares durante confronto no Saboó, em Santos. A operação, segundo o secretário de Segurança Pública do Estado de São Paulo, Guilherme Derrite, utilizou um “atirador designado”, popularmente chamado de ‘sniper’, que disparou de cerca de 60 metros e matou o suspeito. O g1 apurou que, para essa técnica, o profissional responsável geralmente usa um fuzil.

  • Quinta-feira (15) – dois mortos

Um homem, ainda não identificado, morreu após ser baleado por policiais militares durante confronto na comunidade Maré Mansa, no bairro Jardim Mar e Céu, em Guarujá, no litoral de São Paulo, durante a tarde. Segundo a SSP, policiais militares realizavam patrulhamento na comunidade, quando se depararam com homens traficando drogas. Durante a abordagem, os suspeitos teriam disparados contra os agentes, que revidaram e balearam um deles.

Outro suspeito, de 31 anos, identificado como Ygor Júnior Gonçalves, foi morto com tiros de fuzil e pistola por policiais militares na comunidade México 70, no bairro Vila Margarida, em São Vicente. De acordo com o boletim de ocorrência, obtido pela reportagem, policiais militares faziam um patrulhamento na Avenida Brasil por volta de 16h50. Na Rua 8, os agentes foram recebidos com tiros dentro de um cômodo e revidaram. Ele foi levado ao Hospital Vicentino, mas não resistiu.

  • Sexta-feira (16) – três mortos

Conhecido como ‘Danone’ e outros dois homens morreram após abordagem policial em Guarujá (SP) — Foto: Redes sociais

Rodrigo Pires dos Santos, conhecido como o líder de facção criminosa Danone, e outros dois suspeitos foram mortos durante um confronto com policiais militares da Coordenação de Operações Especiais (COE), da Polícia Militar, em Guarujá, pela manhã.

A Polícia Militar informou que o caso ocorreu, por volta de 5h50, na Rua Isaudo Martins, no bairro Santa Cruz dos Navegantes. Os agentes foram até um apartamento, onde estaria Danone. Lá, eles se depararam com ele e outros dois homens. Houve confronto e o trio foi baleado, segundo a polícia.

Um homem, ainda não identificado, foi morto de manhã pela Polícia Militar em um local conhecido como Beco das Almas, em Guarujá. De acordo com a Secretaria de Segurança Pública de São Paulo (SSP-SP), o suspeito puxou a arma para os policiais, momento em que foi baleado.

Uma equipe da Rota matou um homem suspeito e deixou dois trabalhadores feridos, de manhã, no morro do São Bento, em Santos. Segundo a polícia, houve um confronto. Os moradores, porém, dizem que os policiais chegaram atirando na comunidade.

Um homem foi baleado e levado à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da Zona Noroeste, mas não resistiu. Dois funcionários da Geologus, empresa contratada pela Prefeitura de Santos para executar serviços de contenção e drenagem no local, foram atingidos. Segundo a SSP, eles ficaram feridos por conta de “estilhaços”

Policiais militares Marcelo Augusto da Silva, Samuel Wesley Cosmo e José Silveira dos Santos, mortos na Baixada Santista (SP) — Foto: Reprodução/Redes Sociais e g1 Santos

No dia 26 de janeiro, o policial militar Marcelo Augusto da Silva foi morto na rodovia dos Imigrantes, na altura de Cubatão. Ele foi baleado enquanto voltava para casa de moto. Uma grande quantidade de munições estava espalhada na rodovia. O armamento de Marcelo, no entanto, não foi encontrado.

Segundo a Polícia Civil, Marcelo foi atingido por um disparo na cabeça e dois no abdômen. Ele integrava o 38º Batalhão de Polícia Militar Metropolitano (BPM/M) de São Paulo, mas fazia parte do reforço da Operação Verão em Praia Grande (SP).

No dia 2 de fevereiro, o policial das Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar (Rota) Samuel Wesley Cosmo morreu durante patrulhamento de rotina na Praça José Lamacchia. O agente chegou a ser socorrido para a Santa Casa de Santos (SP), mas morreu na unidade.

Uma gravação de câmera corporal obtida pelo g1 mostra o momento em que o soldado da Rota foi baleado no rosto durante um patrulhamento no bairro Bom Retiro (assista abaixo).

Vídeo mostra o PM da Rota sendo baleado no rosto em viela no litoral de SP

Vídeo mostra o PM da Rota sendo baleado no rosto em viela no litoral de SP

Kaique Coutinho do Nascimento, o ‘Chip’ (à dir.), é suspeito de matar o PM da Rota Samuel Wesley Cosmo — Foto: Reprodução

Ainda na última quarta-feira, a Polícia Militar prendeu o suspeito de matar o PM da Rota Samuel Wesley Cosmo. Kaique Coutinho do Nascimento, de apelido ‘Chip’, foi detido em Uberlândia, em Minas Gerais. O crime aconteceu em Santos, no litoral de São Paulo.

O policial foi baleado durante patrulhamento na Praça José Lamacchia, no bairro Bom Retiro, no último dia 2 de fevereiro. Ele chegou a ser levado para a Santa Casa de Santos, mas não resistiu aos ferimentos e morreu no local.

O g1 apurou junto à Polícia Militar que ‘Chip’ foi preso no Bairro Gávea. A informação foi confirmada pelo secretário de Segurança Pública de São Paulo, Guilherme Derrite, por meio das redes sociais.

VÍDEOS: g1 em 1 Minuto Santos




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Santos.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

santos-retoma-testagem-rapida-de-covid-19

G1 Santos

Santos retoma testagem rápida de covid-19

Serviço de saúde é oferecido apenas para moradores de Santos. Prefeitura de Santos volta a oferecer testes rápidos de covid-19 nesta segunda-feira (19). — Foto: Isabela Carrari/Arquivo/Prefeitura de Santos A Prefeitura de Santos, no litoral de São Paulo, volta a oferecer, nesta segunda-feira (19), testes rápidos de covid-19. As testagens são realizadas em seis policlínicas de Santos, de segunda a sexta-feira, das 8h às 11h. (confira a lista de locais […]

today19 de fevereiro de 2024 5

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%