G1 Mundo

Hamas divulga vídeo de refém israelense

today16 de outubro de 2023 7

Fundo
share close

Nesta segunda-feira (16), o Hamas divulgou um vídeo que mostra uma dessas reféns. Segundo o jornal “Times of Israel” e “Haaretz”, trata-se de Mia Schem, de 21 anos, que tem cidadanias francesa e israelense. Os jornais afirmam que ela foi raptada em uma festa rave que foi atacada pelos terroristas do Hamas.

Schem aparece com um braço engessado e afirma que foi operada durante três horas e que está recebendo cuidados e remédios. Ela afirma que só pede para voltar para casa assim que possível, para a família, para os parentes, para os irmãos. “Por favor me tirem daqui assim que possível”, afirma.

O exército israelense divulgou comunicado no qual afirma que o Hamas tenta “se retratar como uma organização humanitária, mas é uma organização terrorista assassina responsável pelo assassinato e sequestro de bebês, mulheres, crianças e idosos”.



De acordo com uma análise do jornal “The New York Times”, há indicações de que parte das imagens foi gravada há pelo menos seis dias.

O Hamas ameaçou executar os reféns em caso de ataques de Israel contra civis na Faixa de Gaza.

Mais tarde, um importante líder do Hamas afirmou que “tem o que precisa” para libertar todos os palestinos de prisões de Israel. Ele também indicou que o grupo pode tentar usar os reféns como barganha para assegurar a libertação de prisioneiros da Palestina.

Pouco depois de Khaled Meshaal ter feito os comentários sobre os prisioneiros, que incluem israelenses e não israelenses sequestrados pelo Hamas no dia 7 de outubro, o braço armado do grupo anunciou que os não israelenses são “convidados” que serão soltos “quando as circunstâncias permitirem”.

Na segunda-feira (16), o chefe da diplomacia da Turquia, Hakan Fidan, conversou por telefone com o líder do Hamas, Ismail Haniyeh, sobre a possibilidade de libertação dos reféns.

Até a publicação desta reportagem, os números de vítimas no confronto que começou no dia 7 de outubro são os seguintes:

  • Mais de 1.400 pessoas, a maioria civis, foram mortas no ataque do Hamas, e 199 foram feitas reféns. O Hamas afirma que o número de reféns é 250.
  • Os bombardeios do Exército israelense lançados em retaliação contra a Faixa de Gaza deixaram pelo menos 2.750 mortos, a maioria civis, e entre eles centenas de crianças, segundo as autoridades locais.

Quais são as provas de vida?

O governo de Israel identificou 199 reféns, civis e soldados, e atualizou um balanço anterior que falava de 126 cativos nas mãos do Hamas.

Entre os reféns há soldados israelenses, mulheres, crianças, idosos, trabalhadores estrangeiros e pessoas com dupla nacionalidade.

As provas do sequestro vêm de imagens gravadas e divulgadas pelo próprio Hamas no momento dos sequestros, em 7 de outubro ou depois.

O Hamas afirma que 22 reféns já morreram em bombardeios israelenses. Este número não é verificável.

A inteligência militar, e o general Nitzan Alon em particular, estão encarregados desta questão, na qual o Exército afirma implementar “esforços colossais”.

De forma inédita e híbrida, uma plataforma de “milhares de voluntários, que inclui especialistas da sociedade civil e reservistas da famosa unidade de inteligência 8200, ajudam em um quartel-general comum na identificação e localização dos reféns”.

Por sua vez, as famílias estão reunidas em um “fórum para famílias de reféns e desaparecidos”, mobilizado com recursos próprios.

Nesta segunda-feira, Israel nomeou Gal Hirsch, um general que já foi acusado em um caso de corrupção, como coordenador para resolver a crise dos reféns. Sua nomeação foi criticada por vários especialistas.

Um negociador do FBI também está presente, já que vários cidadãos americanos estão entre os reféns.

Israel possui uma unidade de elite de inteligência de seu Exército que é a mais adequada para intervir neste tipo de cenário: a Sayeret Matkal. Entre outras coisas, é responsável pelo resgate de reféns fora das fronteiras.

A principal dificuldade permanece em meio ao caos dos bombardeios para localizar esses reféns, sabendo que o Hamas é conhecido por operar sob um sistema de células muito descentralizadas.

Há canais internacionais?

No momento, nenhum canal oficial foi divulgado.

Além da possível mediação do Egito, histórico negociador entre Israel e o Hamas, o presidente turco Recep Tayyip Erdogan e o Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) afirmam que dialogam com o movimento islamita palestino.

“Como intermediários neutros, estamos prontos para realizar visitas humanitárias, para facilitar a comunicação entre os reféns e suas famílias e qualquer possível libertação”, declarou o diretor regional do CICV para o Oriente Médio.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

chefe-de-agencia-de-inteligencia-israelense-admite-que-falhou-em-impedir-o-ataque-do-hamas

G1 Mundo

Chefe de agência de inteligência israelense admite que falhou em impedir o ataque do Hamas

Ronen Bar, o chefe da agência de inteligência interna de Israel, Shin Bet, afirmou, nesta segunda-feira (16), que tem responsabilidade por não ter conseguido impedir que o Hamas realizasse seu ataque mortal em cidades israelenses. No dia 7 de outubro, o grupo terrorista Hamas disparou centenas de foguetes contra Israel a partir da Faixa de Gaza. Em seguida, combatentes do Hamas invadiram o território israelense e mataram civis e militares […]

today16 de outubro de 2023 6

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%