G1 Santos

Justiça decreta prisão de homem que ameaçou e xingou guardas municipais em orla do litoral de SP; VÍDEO

today19 de janeiro de 2024

Fundo
share close

Um homem, de 30 anos, que se apresenta como membro da principal facção criminosa do país, teve a prisão preventiva decretada após ameaçar e xingar guardas das Rondas Ostensivas Municipais (ROMU) de Praia Grande, no litoral de São Paulo. Em vídeo obtido pelo g1, o homem aparece dizendo aos agentes: “aqui é o crime, xará” e faz ameaças (assista acima).

O caso ocorreu no dia 2 de janeiro, na orla da praia, próximo à Avenida Castelo Branco. Segundo a Prefeitura de Praia Grande, uma equipe da Romu foi até o local para atender uma reclamação de perturbação de sossego, desordem pública e tumulto generalizado.

Os guardas relataram à prefeitura que um homem, que estava perto de um quiosque, se exaltou quando foi abordado por eles. Os guardas sofreram ameaças e ofensas. Nesta hora, um dos guardas resolveu filmar a cena (veja acima).



“Aqui é o crime, xará. Aqui é o comando, falou? Respeita nós, nós não ‘paga’ para ninguém. Faz favor, rapaz. Vocês estão muito folgados. Quando nós começarmos a dar tiro lá em vocês de novo, vocês vão ver como é que é” (sic).

Depois de ter ameaçado e xingado os guardas, os agentes consultaram os dados do homem no sistema, onde nenhuma pendência na Justiça foi encontrada. Porém, segundo a prefeitura, o homem já teve passagem pela polícia, mas a administração não informou o motivo.

Mesmo liberado, o homem olhou para o agente, que gravava a cena, e o ameaçou. “Se brechar vai tomar aço”, disse ele. O homem foi confrontado pelo guarda e voltou a afirmar que seria membro de facção criminosa.

“Os guardas dispersaram a confusão e averiguaram a situação do estabelecimento [onde consumiam], que possuía alvará para funcionamento. O homem encontrava-se visivelmente alcoolizado”, ressaltou a prefeitura, em nota.

Homem xingou guardas municipais na orla da praia de Praia Grande (SP). — Foto: Reprodução

Segundo apurado pelo g1, o infrator, que se diz membro de facção criminosa, é natural de Santos, mas já morou em São Vicente e Praia Grande.

O caso foi registrado pela Polícia Civil e é investigado no 1° Distrito Policial (DP) de Praia Grande. A Polícia Civil apresentou à Justiça um pedido de prisão preventiva contra o homem, que foi concedido pela 2ª Vara Criminal de Praia Grande na última quinta-feira (17).

O homem responderá por promover constituir, financiar ou integrar, pessoalmente ou por interposta pessoa, organização criminosa, cuja pena prevista é reclusão de três a oito anos e multa, bem como por desacato a funcionário público, com pena prevista de seis meses a dois anos ou multa; e ameaça, cuja pena varia de um a seis meses ou multa.

A reportagem apurou que o caso corre em segredo de Justiça. O Tribunal de Justiça de São Paulo informou, em nota, que até a manhã desta quinta-feira (18) ele não havia sido preso.

A equipe de reportagem tentou localizar a defesa do homem, mas não conseguiu.

VÍDEOS: g1 em 1 Minuto Santos




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Santos.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

execucao-de-‘falso-esloveno’-procurado-pela-interpol-foge-do-‘padrao’-de-assassinatos-no-brasil,-diz-delegado;-video

G1 Santos

Execução de ‘falso esloveno’ procurado pela Interpol foge do ‘padrão’ de assassinatos no Brasil, diz delegado; VÍDEO

Geisler, que se passava pelo esloveno Dejan Kovac, foi assassinado a tiros em Santos (SP). Ele chegava em casa de bicicleta, com o filho e a esposa, quando foi alvo de vários disparos. Câmeras de monitoramento flagraram a ação. O suspeito fugiu. Segundo o delegado, a maneira como o suspeito executou o crime, juntamente ao passado de Darko, trouxe à investigação a possibilidade do assassinato ter sido cometido por um […]

today19 de janeiro de 2024

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%