G1 Santos

Médico preso suspeito de causar a morte de 42 pacientes atuou em Guarujá e Pariquera-Açú

today16 de dezembro de 2023 25

Fundo
share close

O médico não estava impedido de atuar e tinha registro ativo nos conselhos de medicina. O sistema do DataSUS, órgão de informações do Sistema Único de Saúde do Brasil, inclusive, apontou vínculos dele com cidades do Rio Grande do Sul e São Paulo, como em Guarujá e Pariquera-Açu.

Em nota, a Secretaria Municipal de Saúde de Guarujá (SP) informou que o médico prestou 13 plantões no Pronto-socorro da Santa Cruz dos Navegantes durante o mês de agosto deste ano. Ele atendia no pronto atendimento e não chegou a fazer cirurgias.

De acordo com a secretaria, Couto não tinha impedimentos para realizar os serviços e não há queixas registradas oficialmente contra ele na unidade de saúde.



O Hospital Regional Dr. Leopoldo Bevilcqua de Pariquera-Açu (SP) informou à reportagem que Couto prestou serviços, por meio de empresa terceirizada, entre setembro e outubro de 2023. A unidade de saúde ressaltou que ele nunca atuou na área cirúrgica. O médico realizava atendimentos de plantão no pronto-socorro.

As diretorias clínica e técnica da unidade de saúde disseram que tomaram conhecimento das denúncias e problemas jurídicos envolvendo o profissional e, imediatamente, notificaram a terceirizada para que fizesse o afastamento do médico, o que foi realizado.

Conforme apurado pelo g1 junto à Polícia Civil, não há investigações criminais em andamento envolvendo Couto nas cidades de Guarujá e Pariquera-Açu.

VÍDEO mostra prisão de médico em hospital de Caçapava; ele é suspeito de 42 mortes

VÍDEO mostra prisão de médico em hospital de Caçapava; ele é suspeito de 42 mortes

Couto é suspeito de ter causado a morte de 42 pacientes devido a procedimentos cirúrgicos, e provocado lesões em outros 114. Pacientes e pessoas que trabalharam com ele relataram excesso de cirurgias por dia, procedimentos desnecessários e até diagnóstico de câncer raro falso.

O médico foi alvo de uma operação policial em dezembro do ano passado, ocasião em que foram cumpridos mandados de busca e apreensão no hospital em que atuava, em Novo Hamburgo, bem como no apartamento em que vivia na cidade.

Na época, existia a suspeita do envolvimento dele na morte de cinco pacientes, e de ter causado sequelas em outros nove. Documentos, celulares e equipamentos de informática foram apreendidos.

Em fevereiro deste ano, João Couto se registrou no Conselho Regional de Medicina de São Paulo (Cremesp). Na ocasião, o órgão confirmou estar ciente de que o médico enfrentava uma suspensão em sua licença, mas que “é obrigado a efetuar o registro do médico” por se tratar de uma restrição parcial.

O médico foi preso na tarde desta quinta-feira (14) na Fusam Caçapava (SP), enquanto realizava atendimento. (assista o vídeo acima).

Médico João Batista do Couto Neto foi preso no interior de São Paulo. — Foto: Reprodução

De acordo com Tarcísio Kaltbach, os indiciamentos são decorrentes de apurações envolvendo a morte de dois homens e uma mulher. Segundo o titular da 1ª DP de Novo Hamburgo, ainda restam 39 investigações de homicídio e 114 de lesão corporal envolvendo o cirurgião.

Com surpresa a Defesa recebeu a notícia da decretação da prisão preventiva do médico João Couto Neto. A decisão não se reveste de qualquer fundamento fático ou jurídico e constitui clara antecipação de pena, com a finalidade de coagir e constranger o médico. Impetraremos ordem de habeas corpus o mais breve possivel para fazer cessar a absurda e imotivada prisão.

VÍDEOS: g1 em 1 minuto Santos




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Santos.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

enfermeira-e-presa-por-participar-de-venda-de-atestados-medicos-falsos-anunciados-por-whatsapp

G1 Santos

Enfermeira é presa por participar de venda de atestados médicos falsos anunciados por WhatsApp

Uma enfermeira, de 33 anos, foi presa por participar da venda de atestados falsos em Santos e São Vicente, no litoral de São Paulo. Os documentos com os brasões dos municípios indicavam que as declarações médicas teriam sido entregues nas unidades de saúde. Conforme apurado pelo g1, neste sábado (16), os papéis eram vendidos pelo primo dela por até R$ 50. De acordo com o Boletim de Ocorrência (BO) registrado […]

today16 de dezembro de 2023 1

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%