G1 Mundo

Netanyahu anuncia pela 1º vez planos para Gaza quando a guerra entre Israel e Hamas acabar

today23 de fevereiro de 2024 4

Fundo
share close

O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, apresentou um plano para o “dia seguinte” em Gaza. Essa é a primeira proposta oficial visando o fim da guerra entre Israel e Hamas.

Segundo o documento apresentado a membros do gabinete de segurança de Israel na quinta-feira e visto pela Reuters nesta sexta-feira (23), Israel quer manter o controle de segurança sobre todas as terras a oeste da Jordânia, incluindo a Cisjordânia, ocupada e Gaza – territórios onde os palestinos querem criar uma independência.

Em Gaza, Netanyahu descreve a desmilitarização e o fim da radicalização como objetivos a alcançar a médio prazo. Ele, porém, não detalha quando essa fase começará e quanto tempo durará.



O que é a Faixa de Gaza?

O que é a Faixa de Gaza?

Nos objetivos de longo prazo, rejeita o “reconhecimento unilateral” de um Estado palestino. Ele diz que um acordo só será alcançado via negociações diretas entre os dois lados – mas não revelou quem representaria os palestinos.

O primeiro-ministro propõe também que Israel tenha presença na fronteira Gaza-Egito, e coopere com o Egito e os Estados Unidos na área para evitar tentativas de contrabando, inclusive na passagem de Rafah.

Para substituir o domínio do Hamas em Gaza, Netanyahu sugere trabalhar com representantes locais “que não são ligados a grupos terroristas ou não são apoiados financeiramente por eles”.

Netanayhu pede ainda o fechamento da Agência de Refugiados Palestinos (UNRWA), substituindo-a por outros grupos de ajuda internacional.

“O documento reflete um amplo consenso público sobre os objetivos da guerra e sobre a substituição do domínio do Hamas em Gaza por uma alternativa civil”, afirmou um comunicado do gabinete do primeiro-ministro.

Os pedidos do primeiro-ministro foram distribuídos aos membros do gabinete de segurança para iniciar uma discussão sobre o assunto.

O porta-voz do presidente palestino Mahmoud Abbas, Nabil Abu Rudeineh, disse à Reuters que a proposta de Netanyahu estava fadada ao fracasso, assim como quaisquer planos israelenses para mudar as realidades geográficas e demográficas em Gaza.

“Se o mundo está genuinamente interessado em ter segurança e estabilidade na região, deve acabar com a ocupação de terras palestinas por Israel e reconhecer um Estado palestino independente com Jerusalém como capital”, disse.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

como-o-mundo-todo-ficou-mais-inseguro-desde-invasao-russa-da-ucrania

G1 Mundo

Como o mundo todo ficou mais inseguro desde invasão russa da Ucrânia

Mas o confronto — o maior em continente europeu desde a 2ª Guerra Mundial — teve repercussões muito maiores do que apenas na região. Analistas e historiadores ainda discordam sobre as dimensões exatas do conflito. Alguns falam que a guerra na Ucrânia poderia talvez ser enxergada dentro de um contexto de uma espécia de 2ª Guerra Fria — e há até quem fale que ele poderia ajudar a desencadear uma […]

today23 de fevereiro de 2024 4

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%