G1 Mundo

Osiris-Rex: cápsula com amostras de asteroide que pode atingir a Terra faz pouso bem-sucedido no deserto dos EUA

today24 de setembro de 2023 17

Fundo
share close

Ela foi lançada pela espaçonave Osiris-Rex quando a sonda passou por nosso planeta neste domingo (24/9), a etapa final de uma missão que durou sete anos.

As amostras voltaram para a Terra dentro de uma cápsula, para protegê-las durante sua descida à Terra.

Segundo a Nasa, não há sinais de danos à estrutura; ela está em perfeito estado.



Os cientistas esperam que o material revele novas informações sobre a formação dos planetas há 4,5 mil milhões de anos, e possivelmente até forneça informações sobre como a vida começou no nosso mundo.

O pouso ocorreu em uma área do deserto de Utah, pertencente ao Departamento de Defesa dos Estados Unidos, às 08h52 (11h52 de Brasília).

A cápsula levou 13 minutos para atravessar a atmosfera da Terra.

Ela tem o tamanho de um pneu de carro e se moveu inicialmente a mais de 12 km/s (43.200 km/h) com um pico de aquecimento superior a 3.000°C.

Mas uma combinação de escudo térmico e pára-quedas permitiu que ela caísse em segurança na planície desértica.

O pára-quedas que ajudou a retardar sua descida se desconectou, mas foi avistado perto do local de pouso.

Uma cápsula que transporta detritos rochosos do asteroide Bennu está prestes a cruzar o céu acima de Utah — Foto: NASA

A sonda Osiris-Rex deixou a Terra em 2016 para investigar o asteroide Bennu, que tem uma probabilidade muito pequena de atingir o nosso planeta no final do próximo século.

As chances de colisão são, segundo os cientistas da Nasa, de uma em 1.750 nos próximos 300 anos ou mais, e a data que mais os preocupa é 24 de setembro de 2182.

Para se ter uma ideia dessa probabilidade, é o mesmo que jogar uma moeda e obter cara 11 vezes seguidas.

É um risco pequeno, mas que os cientistas estão levando muito a sério, porque o impacto de uma rocha espacial com 500 metros de largura poderia causar uma devastação total numa cidade do tamanho de São Paulo, por exemplo.

Portanto, faz sentido entender a fundo esse asteroide.

Se soubermos do que ele é feito, poderemos encontrar maneiras de pará-lo — caso seja necessário.

A espaçonave levou dois anos para alcançar Bennu e outros dois observando a “montanha espacial” antes de fazer uma série audaciosa de manobras para coletar os materiais de sua superfície.

Tudo o que restava, portanto, era trazer essas amostras — cerca de 250g em massa — com segurança para o solo da Terra.

Pouco antes das 5h (8h de Brasília), a Nasa confirmou que a espaçonave havia lançado a cápsula em direção à Terra, e que a sonda também havia feito uma manobra de desvio para garantir que poderia passar por nosso planeta.

Nasa lança sonda em direção a asteroide Bennu

Nasa lança sonda em direção a asteroide Bennu

As equipes de recuperação estavam confiantes, mas sabiam que nada podia ser dado como garantido.

Permanecia vivo na memória dos cientistas o que aconteceu com a Genesis, uma cápsula que em 2004 trouxe amostras do vento solar.

Seu pára-quedas não abriu, e a cápsula atingiu o solo a mais de 300 km/h, abrindo seu conteúdo.

Os meteorologistas do Campo de Testes e Treinamento de Utah colocaram balões meteorológicos nos últimos dias para obter as informações mais recentes para ajudar a prever a posição final de lançamento.

Com a previsão de ventos fracos, consideraram improvável que a cápsula fosse empurrada para fora de sua rota.

O maior problema é toda a chuva que o deserto sofreu este ano. Há poças e bastante lama.

As equipes de recuperação se deslocaram até o local do pouso em helicópteros — o objetivo é colocar a cápsula em uma rede e movê-la sob um helicóptero para uma sala limpa temporária em Dugway.

É nesta cabine estéril que o recipiente interno da cápsula contendo as amostras de Bennu será removido e fechado em nitrogênio para transporte posterior para o Centro Espacial Johnson da Nasa, no estado americano do Texas, onde a análise detalhada poderá começar.

Todas as operações de recuperação foram pensadas para evitar a introdução de contaminação terrena nas amostras, comprometendo o andamento das pesquisas.

Concluído o lançamento da cápsula, a Osiris-Rex será agora instruída a voar para outro asteroide chamado Apophis.

O encontro está previsto para 2029.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

as-imagens-falsas-de-criancas-nuas-geradas-por-inteligencia-artificial-que-chocaram-cidade-da-espanha

G1 Mundo

As imagens falsas de crianças nuas geradas por Inteligência Artificial que chocaram cidade da Espanha

Os retratos foram criados a partir de fotos das jovens totalmente vestidas, muitas delas retiradas de suas próprias contas nas redes sociais. Estes foram então processados por um aplicativo que gera uma imagem imaginária da pessoa sem roupa. Até agora, mais de 20 meninas, com idades entre 11 e 17 anos, se apresentaram como vítimas do uso do aplicativo no vilarejo de Almendralejo, na província de Badajoz, no sudoeste do […]

today24 de setembro de 2023 13

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%