G1 Mundo

Partido alemão AfD é expulso de frente de extrema direita na Europa após dirigente dizer que membros da SS nazista ‘não eram todos criminosos’

today23 de maio de 2024 6

Fundo
share close

A coligação Identidade e Democracia (ID), formada por partidos de extrema direita do Parlamento Europeu, expulsou o partido AfD, da Alemanha, porque um político da sigla afirmou que os membros da SS nazista “não eram todos criminosos”.

Maximilian Krah, o principal candidato da AfD nas eleições para o Parlamento Europeu, deu a declaração em uma entrevista a um jornal italiano publicada no fim de semana.

A SS era uma força paramilitar nazista e foi uma das organizações responsáveis pelo Holocausto.



A coligação ID afirmou em um comunicado nesta quinta-feira (23) que “não quer mais ser associada aos incidentes que envolvem o cabeça de chapa da lista da AfD para as eleições europeias”.

A AfD ainda tentou evitar sua expulsão do ID e sugeriu que poderia simplesmente expulsar Krah. Não deu certo, e o partido inteiro foi excluído da frente.

Krah foi obrigado pelo próprio partido a prometer que não vai fazer mais nenhum evento de campanha (ele ainda é candidato, no entanto).

O Identidade e Democracia é controlado pela política francesa Marine Le Pen e tem entre seus integrantes Matteo Salvini, da Itália, e Geert Wilders, da Holanda.

Eleições para o Parlamento Europeu

As eleições para o Parlamento Europeu vão acontecer entre os dias 6 e 9 de junho.

As pesquisas indicam que os grupos nacionalistas e contrários à União Europeia vão aumentar suas bancadas

Os líderes da AfD, Alice Weidel e Tino Chrupalla, afirmaram em um comunicado que souberam da decisão do Identidade e Democracia, mas que mesmo assim estão otimistas com as perspectivas das eleições.

Na Alemanha, o apoio ao AfD caiu cerca de oito pontos percentuais neste ano. Atribui-se essa queda a preocupações por ligações entre os políticos da sigla com a China e a Rússia e notícias de que dirigentes sêniores chegaram a discutir a deportação de alemães que não têm etnia do país.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

carlo-acutis:-quem-foi-o-beato-‘millennial’-que-teve-milagres-reconhecidos-pelo-papa-francisco

G1 Mundo

Carlo Acutis: quem foi o beato ‘millennial’ que teve milagres reconhecidos pelo Papa Francisco

Uma reportagem desta quarta do Vatican News tratou Acutis como "millennial". Millennials são as pessoas nascidas entre o início da década de 1980 até, aproximadamente, a primeira metade da década de 1990. O beato nasceu em 3 de maio de 1991, em Londres, na Inglaterra, mas passou toda sua vida na Itália. No segundo milagre atribuído ao beato Carlo Acutis, reconhecido nesta quinta, ele curou uma jovem da Costa Rica […]

today23 de maio de 2024 11

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%