G1 Mundo

Porta ejetada durante voo: avião saiu da fábrica sem parafusos na porta, conclui relatório dos EUA sobre o caso

today6 de fevereiro de 2024 7

Fundo
share close

O documento, feito pelo Conselho Nacional de Segurança nos Transportes dos Estados Unidos (NTSB, na sigla inglês), que ficou responsável pela investigação do caso, indicou que o avião pode ter saído da fabricante já sem os parafusos.

Segundo os investigadores, os parafusos haviam sido retirados na fábrica para um conserto e não foram colocados de volta.

O documento divulgado nesta terça (6) é uma versão preliminar do relatório. Agora, a investigação buscará os manuais de fabricação que foram usados ​​para autorizar a abertura e fechamento da porta durante o conserto.



A porta que se desprendeu era uma espécie de “tampão” acoplado em uma porta extra construída no Boeing 737-900 MAX. Segundo o NTSB, 171 aeronaves do tipo tinha esse tampão porque as companhias optaram por não utilizar as portas.

Após a divulgação do relatório, o presidente e CEO da Boeing, Dave Calhoun, disse que sua companhia deve ser responsabilizada.

“Quaisquer que sejam as conclusões finais alcançadas, a Boeing é responsável pelo que aconteceu. Um evento como este não deve acontecer num avião que sai da nossa fábrica”, declarou.

A Boeing acrescentou que “implementou um plano de controle para garantir que todos os plugues de saída intermediária do 737-9 sejam instalados de acordo com as especificações”.

Havia 171 passageiros e seis tripulantes a bordo, mas um menino pequeno sentado no assento do meio teve a camisa sugada pela força do vento. A criança sobreviveu porque estava com o cinto afivelado.

Avião fez pouso de emergência após porta abrir durante voo, nos EUA, em 6 de janeiro de 2024 — Foto: Redes sociais

Esse modelo já tinha sido suspenso depois de 2 acidentes, em 2018 e 2019, que mataram centenas de pessoas, e só voltou a voar depois que a Boeing solucionou a falha num software na cabine.

A Boeing pagou ao governo americano uma multa de US$ 2,5 bilhões (cerca de R$ 12 bilhões), por causa desses acidentes.

A Agência Nacional de Aviação Civil afirmou que as companhias aéreas brasileiras não usam o Boeing 737 Max 9, e que a determinação da agência de aviação americana não tem impacto sobre as operações aéreas no Brasil.

Trajetória do avião da Alaska Airlines que retornou a Portland após porta abrir — Foto: Reprodução/FlightRadar24




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

sebastian-pinera,-ex-presidente-do-chile,-morre-aos-74-anos-em-acidente-de-helicoptero

G1 Mundo

Sebastián Piñera, ex-presidente do Chile, morre aos 74 anos em acidente de helicóptero

O acidente aconteceu na cidade de Lago Ranco, na região central do Chile. O jornal "La Tercera" afirma que o ex-presidente estava pilotando o helicóptero e levava outras três pessoas. Os quatro estavam voltando de uma visita a um amigo de Piñera, José Cox. A aeronave caiu em um lago. De acordo com o jornal, três pessoas foram encontradas vivas pelas equipes de emergência. Duas delas conseguiram nadar até a […]

today6 de fevereiro de 2024 6

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%