G1 Mundo

A cidade dos EUA em estado de emergência após alta de 533% em mortes por fentanil

today1 de fevereiro de 2024 4

Fundo
share close

O uso generalizado de fentanil, um analgésico sintético 50 vezes mais potente que a heroína, é o fator causador do aumento de mortes relacionadas a drogas nos EUA.

No Oregon, o aumento de mortes ocorreu em momento em que também houve decisão de descriminalizar o uso da maioria das drogas, incluindo o fentanil.

Na terça-feira (30), autoridades estaduais e municipais disseram que o uso tolerado de drogas está prejudicando Portland, uma cidade que viu a falta de moradia e o vício em drogas se espalharem em suas ruas nos últimos anos.



O fenômeno fez com que diversas empresas importantes e alguns moradores decidissem se mudar para outros lugares.

De acordo com o condado de Multnomah, onde Portland está localizada, o número de mortes por overdose relacionadas ao fentanil aumentou 533% entre 2018 e 2022.

A governadora Tina Kotek anunciou o estado de emergência e reconheceu que a cidade está sofrendo “danos econômicos e de reputação” devido ao problema do fentanil.

“Nosso país e nosso estado nunca viram uma droga tão viciante e todos nós estamos lutando para encontrar uma resposta”, disse a governadora em um comunicado.

O uso do fentanil se espalhou nos EUA nos últimos anos, tornando-se um grande problema político e de saúde.

O uso da droga cresceu exponencialmente. Em 2016, o fentanil foi responsável por 62% das mortes por overdose em Washington. Em 2022, foi a causa de 96% das mortes relacionadas ao uso de drogas.

O presidente Joe Biden descreveu a situação como uma “tragédia”. Seu governo anunciou em novembro um plano federal para facilitar o acesso ao tratamento para dependentes químicos e fortalecer a cooperação internacional.

Alguns dos produtos químicos utilizados na fabricação do fentanil são exportados em massa da China e processados no México por grupos criminosos.

Acompanhado pelo prefeito de Portland, Ted Wheeler, e pela presidente do condado de Multnomah, Jessica Vega Pederson, a governadora anunciou na terça-feira uma nova ação das três instâncias de governo para enfrentar a crise do fentanil.

A ordem estabelece um centro de comando temporário onde “funcionários estaduais, municipais e do condado se reunirão para coordenar estratégias e esforços de resposta”, disseram Kotek, Wheeler e Vega Pederson em comunicado conjunto.

O plano também prevê uma campanha da Secretaria de Saúde do Oregon com propagandas em outdoors, transporte público e na internet para promover a prevenção e o tratamento da dependência de drogas.

A campanha também pede recursos para os dependentes e faz um apelo à polícia para reprimir o tráfico aberto de droga.

A governadora disse que os líderes do condado, da cidade e do Estado agirão com “urgência e unidade” para apresentar progressos contra o fentanil.

“Os próximos 90 dias levarão a uma colaboração e recursos sem precedentes centrados no fentanil e fornecerão um roteiro para os próximos passos”, acrescentou.

Todos em Portland sabem que o desafio não será fácil.

Em 2020, os habitantes do Oregon aprovaram a Medida 110, que descriminalizou o consumo da maior parte das drogas e estabeleceu que quando a polícia encontra consumidores de fentanil deve encaminhá-los para centros de tratamento. Muitos deles, porém, não aparecem.

De acordo com dados estaduais, as mortes por opioides em Oregon aumentaram de 738 em 2021, primeiro ano em que a lei entrou em vigor, para 956 em 2022.

A governadora já havia pedido aos legisladores estaduais que aprovassem uma lei que criminalizasse o uso público de drogas, semelhante às leis para álcool em muitos lugares dos EUA.

Mas as tentativas de endurecer as políticas estatais em matéria de drogas poderão enfrentar a oposição dos grupos de tratamento da dependência, que afirmam que a recriminalização levará muitos a usar fentanil em privado, o que, segundo eles, aumentaria os riscos e o número de overdoses.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

irakli-kobakhidze-assume-posto-de-primeiro-ministro-da-georgia

G1 Mundo

Irakli Kobakhidze assume posto de primeiro-ministro da Geórgia

Anúncio acontece três dias após Irakli Garibashvili desistir do cargo. Ele renunciou porque queria dar mais tempo ao substituto dele, que até então não havia sido escolhido, para se preparar para as próximas eleições, que acontecem em outubro. Irakli Kobakhidze assume posto de primeiro-ministro da Geórgia O atual líder do partido Sonho Georgiano, Irakli Kobakhidze, assumiu o posto de primeiro-ministro da Geórgia, nesta quinta-feira (1º). O anúncio acontece três dias […]

today1 de fevereiro de 2024 13

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%