G1 Mundo

Agência da ONU para refugiados fecha sede em Jerusalém após ataque de ‘extremistas israelenses’, diz chefe da UNRWA

today10 de maio de 2024 9

Fundo
share close

Lazzarini disse que residentes israelenses incendiaram a fachada da sede da UNRWA enquanto funcionários da agência estavam dentro do local, o segundo ataque dessa natureza em menos de uma semana.

Phillipe Lazzarini disse ainda que “a multidão acompanhada por homens armados do complexo entoava gritos de ‘incendeiem as Nações Unidas'”.

“Nos últimos dois meses, extremistas israelenses têm realizado protestos do lado de fora do complexo da UNRWA em Jerusalém, convocados por um membro eleito da municipalidade de Jerusalém. Esta semana, o protesto se tornou violento quando os manifestantes atiraram pedras no pessoal da ONU e nos prédios do complexo”, afirmou Lazzarini.



Não houve vítimas no ataque, mas os próprios funcionários tiveram que apagar o fogo porque equipes de bombeiros e polícia demoraram para chegar ao local e restaurar a ordem, segundo o chefe da UNRWA.

Lazzarini cobrou Israel ao relembrar que o país deve garantir que os funcionários, as instalações e as operações da ONU devem ser protegidos em todos os momentos, de acordo com o direito internacional.

Autoridades israelenses ainda não se manifestaram sobre o ataque à UNRWA em Jerusalém nesta quinta (9) até a última atualização desta reportagem.

Sacos de alimentos da Agência da ONU para Refugiados em Gaza (UNRWA) são posicionados em Rafah — Foto: Mohammed Salem/Reuters

Ataque contra Hamas em base da UNRWA em Gaza

O exército de Israel afirmou neste domingo (5) que atacou com caças militares uma central de comando do grupo terrorista Hamas que funcionava em uma instalação Agência da ONU para os Refugiados Palestinos (UNRWA), na região central da Faixa de Gaza.

A guerra entre Israel e o grupo Hamas começou em 7 de outubro de 2023, quando o Hamas atacou o território israelense, matou 1.200 pessoas e sequestrou cerca de 250 –acredita-se que hoje ainda restam cerca de 130 reféns israelenses na Faixa de Gaza. Segundo as autoridades de Saúde de Gaza, controladas pelo Hamas, quase 35 mil palestinos morreram na guerra.

Neste domingo, as Forças de Defesa de Israel (FDI) disseram que o Hamas posicionou o centro de comando e controle dentro de uma instalação da UNRWA “para colocar em risco os civis da Faixa de Gaza que se refugiavam lá”.

Sede da UNRWA na Faixa de Gaza. Entidade também está presente na Cisjordânia, Síria, Líbano e Jordânia — Foto: Picture alliance/dpa/APA/ZUMA Press Wire

“O local serviu como área para lançamentos de diversos ataques contra tropas das FDI e como instalação para fornecimento de armas para terroristas do Hamas”, afirmaram, na rede social X (antigo Twitter), as forças israelenses.

No texto, também se diz que a partir deste local foram feitos ataques contra “esforços de distribuição de ajuda humanitária”, sem dar mais detalhes.

Chefe da UNRWA diz que Israel impede ajuda

Horas antes das FDI publicarem esse texto na rede social X, o chefe da UNRWA, Philippe Lazzarini, afirmou que Israel barra o acesso de ajuda da agência da ONU na Faixa de Gaza.

“Só nas últimas duas semanas, registramos 10 incidentes envolvendo disparos contra comboios, detenções de funcionários da ONU, incluindo situações em que foram intimidadados, despidos, ameaçados com armas e longos atrasos em postos de controle, forçando os comboios a viajar durante a noite ou abortar“, publicou Lazzarini na rede social X.

O governo de Israel não respondeu imediatamente a um pedido de comentário sobre as observações de Lazzarini.

Lazzarini também pediu “ao Hamas e a outros grupos armados para que parem com quaisquer ataques às travessias humanitárias, evitem o desvio de ajuda e garantam que a assistência chegue a todos os necessitados”.

Hamas ataca ponto de passagem

Os militantes do Hamas assumiram a responsabilidade neste domingo por um ataque que fechou Kerem Shalom, a principal passagem de ajuda humanitária para Gaza.

Segundo os militares de Israel, foram disparados 10 projéteis a partir da cidade de Rafah, no sul da Faixa de Gaza, contra a região da passagem.

O Hamas afirmou que de fato efetuou disparos contra uma base militar de Israel, mas não confirmou que fez isso da cidade de Rafah.

Outro órgão da ONU também reclama

A diretora do programa de alimentos da ONU afirmou que uma “fome total” tomou conta do norte da Faixa de Gaza, onde vivem 2,3 milhões de pessoas.

Embora não seja uma declaração formal de fome, a diretora-executiva do Programa Alimentar Mundial, Cindy McCain, disse — em entrevista à NBC News transmitida neste domingo — que, com base no “horror” acontecendo no local: “Há fome, fome total, no norte, e está se movendo em direção ao sul”.

O governo de Israel não respondeu a um pedido de comentário sobre as observações de McCain.

UNRWA investigou funcionários após denúncia de Israel

Na ocasião, a ONU demitiu imediatamente os funcionários e colaboradores envolvidos e abriu uma investigação interna para avaliar a neutralidade da agência, que foi dirigida pela ex-ministra de Relações Exteriores da França, Catherine Colonna.

Nas semanas seguintes, outros sete funcionários da UNRWA passaram a ser investigados por supostos vínculos ao ataque terrorista contra Israel.

Cerca de 15 países, entre eles Estados Unidos, Reino Unido, Alemanha e Japão, suspenderam o financiamento à UNRWA após as acusações israelenses. Canadá e Suécia também estavam nesse grupo, mas depois retomaram o envio de ajuda à agência.

Em março, os investigadores publicaram um relatório e disse que “a UNRWA implementou um número significativo de mecanismos e procedimentos para garantir o cumprimento do princípio humanitário de neutralidade”.

Veja abaixo uma reportagem de fevereiro sobre imagens divulgadas pelas forças de Israel que mostram um túnel do Hamas que ligava uma escola a um dos escritórios da agência da ONU.

Israel divulga imagens de túnel do Hamas que liga escola a agência da ONU

Israel divulga imagens de túnel do Hamas que liga escola a agência da ONU




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

sexo-com-trump-‘foi-muito-real’,-diz-atriz-porno-stormy-daniels-na-justica

G1 Mundo

Sexo com Trump ‘foi muito real’, diz atriz pornô Stormy Daniels na Justiça

De acordo com os jornalistas que estavam na sala do tribunal, os diálogos entre os advogados e a atriz pornô foram tensos e, em alguns momentos, agressivos. Um dos advogados perguntou se a atriz tinha experiências com "histórias de mentirinha sobre sexo". Daniels respondeu que o sexo nos filmes é "muito real", assim como o que aconteceu com ela no quarto em que ela esteve com Donald Trump. A cronologia […]

today10 de maio de 2024 5

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%