G1 Santos

Agentes protestam por mais segurança após servidor ser estrangulado e morto na Fundação Casa em Guarujá, SP

today14 de dezembro de 2022 13

Fundo
share close

O grupo se reuniu, por volta das 6h, em frente a sede do Sindicato dos Trabalhadores nas Fundações Públicas de Atendimento Socioeducativo ao Adolescente em Privação de Liberdade do Estado de São Paulo (Sitsesp), em São Paulo. Ônibus foram disponibilizados pelo sindicato para que os manifestantes pudessem descer a serra.

Cerca de 30 servidores se reuniram em frente em frente à unidade da Fundação Casa localizada na avenida Ademar de Barros, na Vila Santo Antônio, por volta das 9h. Eles utilizaram um carro de som e cartazes para protestar.

Servidores protestam por segurança após morte de funcionário da Fundação Casa em Guarujá, no litoral de SP — Foto: Marcela Pierotti/ g1



O servidor Israel Leal, que também atua como diretor de imprensa do Sindicato, disse que o grupo reivindica segurança no ambiente de trabalho e aumento no efetivo de funcionários, que se encontra reduzido. “Em um plantão que era para ter cinco ou seis funcionários tem somente dois”, afirma Leal.

De acordo com o sindicato, o maior problema se encontra nos plantões noturnos. Os funcionários alegam que a falta de efetivo teria sido um ponto crucial para a morte do servidor Evaldo Gomes de Souza. Os servidores querem que haja uma determinação da Fundação Casa para que 40% do efetivo possa trabalhar no período noturno, 10% a mais do que o atual percentual imposto pela organização.

Servidores protestam por segurança após morte de funcionário da Fundação Casa em Guarujá, no litoral de SP, nesta quarta-feira (14). — Foto: Israel Leal

Em relação ao episódio na Fundação Casa de Guarujá, no último domingo, o grupo alega que houve uma interferência de rádio durante a fuga dos menores infratores. Por iss, eles também pedem novos equipamentos para os funcionários.

O Sitsesp aponta que há falta de treinamento aos servidores para lidar com situações de risco, além dos poucos equipamentos de contenção, como armas não letais e escudos. Os manifestantes ainda pedem o retorno do grupo de intervenção rápida, que é treinado pela PM para atuar em situações de tumultos e rebeliões, mas que foi extinto em 2020.

“A situação está muito grave. Os agentes estão adoecendo pouco a pouco, trabalhadores afastados e doentes o tempo todo”, disse o diretor. Diante disso, o grupo pede por apoio psicológico e psiquiátrico, já que há muitos funcionários afastados por estes problemas.

A unidade da Fundação Casa de Guarujá, no litoral de SP, foi alvo do protesto por ter sido o local onde o servidor Evaldo Gomes de Souza foi morto por menores internados durante uma fuga nesta semana. — Foto: Israel Leal

Por meio de nota, a Fundação CASA reafirmou que foram tomadas todas as providências cabíveis quanto à morte do servido no último domingo (11). A Corregedoria Geral, por meio de sindicância, investiga o caso da morte do servidor e fuga dos adolescentes. A Polícia Civil também instaurou inquérito civil policial.

Quanto à manifestação, a Fundação afirma que a falta de segurança, alegada pelos servidores, não representa a realidade da instituição nos últimos anos. A instituição elencou, por exemplo, que houve uma expansão da qualificação dos servidores com a Universidade Corporativa da Fundação CASA (UNICASA), que resultaram em 67.592 certificações em cursos online; 2.285 certificações em 17 cursos presenciais; 4.384 funcionários em 48 palestras e eventos formativos.

Já na área de segurança, foi implementado o Circuito Fechado de TV (CFTV) em todos centros e cinco áreas administrativas, além da instalação de 1.728 câmeras e da central de monitoramento e criação das Equipes de Suporte regionais, para auxílio preventivo e emergencial nos centros socioeducativos.

A Fundação Casa ainda afirmou que os profissionais receberam uma valorização, no início do ano, com um reajuste de 10,33% em suas remunerações, que também impactou no valor dos benefícios oferecidos pela Instituição como vale-refeição e alimentação de R$ 220,66; auxílio-creche/berçário mensal e a Avaliação de Competências aos servidores.

Com relação à assistência à saúde, a Fundação CASA afirma que possui uma Superintendência de Saúde e uma Gerência de Medicina e Saúde do Trabalhador (GMST), que tem como função dar suporte às questões de saúde dos profissionais.

Evaldo foi morto por jovens da Fundação Casa, em Guarujá — Foto: Arquivo Pessoal

O servidor público Evaldo Gomes de Souza morreu aos 45 anos durante uma fuga de jovens da Fundação Casa de Guarujá, na noite do último domingo (11). A vítima e outro agente foram amarrados pelos pés e mãos, com lençóis. Evaldo foi estrangulado, não resistiu a agressão e morreu no chão da unidade.

No momento da fuga, sete menores conseguiram escapar. Quatro jovens foram apreendidos. O caso foi registrado como ato infracional mediante violência contra pessoa, lesão corporal e homicídio. De acordo com o delegado responsável, Rubens Barazal, as equipes estão empenhadas para localizar e apreender os outros três menores.

A Corregedoria Geral da Fundação Casa disse que instaurou sindicância para apuração e que presta solidariedade aos familiares do servidor.

VÍDEOS: Mais assistidos do g1 nos últimos 7 dias




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Santos.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

confira-a-localizacao-dos-radares-instalados-em-santos,-sp

G1 Santos

Confira a localização dos radares instalados em Santos, SP

Mais de 20 pontos de fiscalização eletrônica estão ativados em Santos, no litoral de São Paulo. De acordo com a Companhia de Engenharia de Tráfego de Santos (CET-Santos), os radares registram o excesso da velocidade, avanço de sinal vermelho, parada obrigatória, conversão proibida e restrição à circulação de caminhões. A empresa Splice Indústria e Comércio Ltda, vencedora da licitação de radares na Cidade, vem desde abril instalando os novos aparelhos […]

today14 de dezembro de 2022 18

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%