G1 Santos

Aluno leva mata-leão de colega e desmaia em escola: ‘brincadeira perigosa, mas de comum acordo’, diz prefeitura

today11 de maio de 2024 7

Fundo
share close

A cuidadora de idosos Maria Lúcia Silva Leão, de 54 anos, contou à equipe de reportagem que o filho e o estudante que o golpeou estão no 9º ano do Ensino Fundamental da Unidade Municipal de Ensino (UME) Cidade de Santos. De acordo com ela, esta não é a primeira vez que o menino é agredido.

O estudante desmaiou ao levar um mata-leão dentro da sala de aula durante uma troca de professores. De acordo com a Prefeitura de Santos, o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e a mãe da vítima foram acionados pela diretoria imediatamente.

A equipe de socorristas encontraram o adolescente consciente e podendo andar normalmente. Mas, mesmo assim, o levaram à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Zona Leste, acompanhado da mãe. No hospital, ele passou por exames, que não apresentaram alterações, e foi liberado.



Maria Lúcia contou ao g1 que o médico da UPA disse que algo pior poderia ter acontecido com o menino. “O médico falou que ele poderia ter morrido […] porque esse mata-leão é muito perigoso”, disse ela.

A secretária de Educação Cristina Barletta explicou ao g1 que o menino permitiu que o colega aplicasse um mata-leão na quinta-feira (8). “Foi uma brincadeira perigosa e inconsequente, mas de comum acordo”, afirmou ela.

Maria Lúcia disse que foi acionada pela diretoria porque o filho teria passado mal. Ao chegar na escola, descobriu que o menino tinha desmaiado após ser agredido.

A mãe não acredita que o filho consentiu com a situação. Ela disse que o menino não quis falar o que motivou o mata-leão, mas afirmou à mãe que bateu no braço do colega para ele parar e sentiu uma sensação “horrível” ao desmaiar.

“Isso está muito mal contado. Como é que uma pessoa vai consentir com uma agressão dessa? Sendo que ele já vive sofrendo bullying há muito tempo lá”, questionou a mãe.

A mãe contou ainda que o filho relatou ser xingado de fedido e bobo constantemente pelos colegas. Segundo Maria, ele já foi agredido em outras duas ocasiões. Em uma delas, chegou com hematomas pelo corpo e, em outra, levou um soco na boca, como é possível ver nas imagens acima.

“Eu estou indignada porque eu saio para levar meu filho na escola para ir trabalhar e quando eu sei o meu filho está lá dentro agredido […]. Para que não aconteça mais, eu vou até adiante. Eu não quero que o que aconteceu com o meu filho, aconteça com o filho de outra pessoa”.

A mulher disse que está insegura em deixar o filho voltar para escola e, por este motivo, pediu transferência. De acordo com a secretária de educação, a solicitação da mãe já foi autorizada.

Maria questionou ainda o motivo do menino que deu o mata-leão não ter sido expulso da unidade de ensino. A secretária explicou ao g1 que, como não foi demonstrado uma agressão proposital, o adolescente não pode ser punido por uma brincadeira.

“Foi uma brincadeira de mau gosto que eles perceberam que traz consequências desagradáveis para ambos […]. Agora, o que a gente precisa fazer é intensificar projetos da cultura da paz na escola para que isso não ocorra com nenhum outro aluno”, finalizou ela.

VÍDEOS: g1 em 1 minuto Santos




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Santos.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

adolescente-de-15-anos-e-ameacada-e-xingada-de-‘vagabunda’-por-homem-na-volta-da-escola:-‘traumatizada’,-diz-pai

G1 Santos

Adolescente de 15 anos é ameaçada e xingada de ‘vagabunda’ por homem na volta da escola: ‘traumatizada’, diz pai

Uma adolescente, de 15 anos, foi chamada de "vagabunda" e ameaçada por um homem, de 43, quando voltava da escola em Santos, no litoral de São Paulo. Ao g1, o pai da vítima contou, neste sábado (11), que a filha ficou "traumatizada" e com medo de sair de casa. O suspeito prestou depoimento na delegacia e foi liberado. O caso aconteceu em frente ao prédio onde a vítima mora, no […]

today11 de maio de 2024 10

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%