G1 Mundo

Ao não encontrar Zelensky, Lula perde chance de endossar o seu discurso de mediador do conflito

today21 de maio de 2023 6

Fundo
share close

 A hesitação inicial em aceitar o convite do presidente ucraniano para um encontro bilateral em Hiroshima, durante a reunião do G7, passou a impressão da qual o Brasil justamente quer fugir — a de que está mais alinhado à Rússia. 

A estratégia do governo em sua política externa tem sido a de perseguir a tradição de neutralidade e atuar como mediador de conflitos.  

Não por acaso, o assessor especial da Presidência, Celso Amorim, foi despachado recentemente para visitas à Rússia e à Ucrânia. Seria então mais do que natural Lula acolher de imediato uma reunião com Zelensky, como fez o primeiro-ministro Narendra Modi, da Índia, grande comprador de energia e armamento russos e que se absteve na ONU de condenar a invasão.  



O premiê indiano sentou-se frente a frente com o presidente ucraniano, ouviu seus argumentos, e ainda saiu como defensor da paz, conforme suas palavras no fim do encontro:

“A guerra na Ucrânia é uma grande questão no mundo. Não considero que seja apenas uma questão de economia ou política, para mim, é uma questão de humanidade. A Índia e eu faremos tudo o que pudermos para resolver a guerra.” 

Assim como o Brasil, a Índia integra o Brics, com a China, Rússia e África do Sul. 

O governo brasileiro não apoia o envio de armamento a Kiev nem o endurecimento das sanções a Moscou. Por isso, a presença em Hiroshima de dois membros do bloco reticente em condenar a Rússia foi encarada como uma manobra estratégica dos organizadores da reunião de cúpula. 

A presença de Zelensky no G-7 não chegou a ser uma surpresa. Ele vem de um périplo por países europeus e de uma reunião com líderes da Liga Árabe com dois propósitos: convencer os aliados de se comprometerem com a coalizão de caças para turbinar sua contraofensiva, e persuadir os indecisos de que está na hora de tomar partido. 

O presidente ucraniano deixa o Japão fortalecido. Manteve em seu entorno o foco da reunião das economias mais ricas.

Conseguiu a promessa de Biden de enviar mais um pacote de ajuda para a Ucrânia e, mais importante, dobrou a resistência do presidente americano em mandar caças F-16 para o país e treinar seus pilotos, sob a condição de que os aviões de guerra atuem apenas em território ucraniano. 

Quanto ao Brasil, restou a defesa de Lula de conhecidas demandas, como a reforma do Conselho de Segurança da ONU, o multilateralismo e o diálogo para evitar o uso da força. 

Embora tenha ressaltado, mais uma vez, sua condenação à violação da integridade territorial da Ucrânia, o presidente brasileiro acabou ironizado por Zelensky, que não apareceu para a não agendada tentativa de encontro entre os dois. “Eu acho que ele deve ter ficado desapontado.” 

Seria uma chance para Lula deixar Hiroshima como ator imparcial e mediador da paz que ambiciona ser.   




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

o-encontro-entre-lula-e-zelensky-que-nao-aconteceu-–-e-mais-3-destaques-da-cupula-do-g7

G1 Mundo

O encontro entre Lula e Zelensky que não aconteceu – e mais 3 destaques da cúpula do G7

O G7, grupo de sete das economias mais avançadas do mundo, reúne EUA, Reino Unido, Canadá, França, Alemanha, Itália e Japão - Brasil e outros sete países participaram como convidados do evento. Zelensky, por sua vez, fez uma viagem surpresa à cúpula, um dia antes do esperado. Era previsto um encontro entre ele e o presidente brasileiro, Luiz Inácio Lula da Silva, que não ocorreu. Veja, a seguir, esse e […]

today21 de maio de 2023 5

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%